Dia: 9 de abril de 2015

A minha imbecilidade proibiu o título…

paulofreire-600x400

Estou quase convicto, para não dizer totalmente com a certeza, que 99,01 porcento das pessoas que empunharam uma faixa pedindo “Basta de Paulo Freire” não leu sequer uma frase do pensador educador, pedagogista e filósofo brasileiro. Talvez, uma linha…

Assim disse em uma rede social o criador da faixa ““Criticar o Paulinho? Ah, isso não! Paulo Freire é uma figura sacrossanta! Haja saco… Pedagogia do Oprimido = coitadismo e doutrinação marxista fulera (sic); não recomendo nem para o meu cachorro.”   O Paulinho já dizia: “Os opressores, falsamente generosos, tem necessidade para que a sua “generosidade” continue tendo oportunidade de realizar-se, da permanência da injustiça.”

Então leiamos, um trecho da entrevista que o “sacrossanto freire” deu para o Moacir Gadotti na revista Nova Escola editada pela “comunista” editora Abril:

Gadotti– O que há de novo no novo livro e o que permanece de Pedagogia do Oprimido?
Freire – Permanece um monte de coisas. Além da crença, da esperança, permanece o respeito e a convicção da importância do papel da subjetividade. Quando os marxistas – e também os não-marxistas – de natureza de pensar puramente mecanicista me criticavam nos anos 70, me acusavam de ser idealista, kantiano, na melhor das hipóteses de neo-hegeliano, por causa de minhas propostas de conscientização que entravam em choque com aquelas idéias de que a superestrutura condiciona a consciência. Hoje estamos vendo emergir a crítica segura e séria a esse mecanismo de origem marxista, que não foi competente para explicar o próprio papel de sua luta contra o projeto capitalista – luta na qual anulou a presença do indivíduo, o gosto do indivíduo, o medo do indivíduo, o prazer do indivíduo.

 

Não entendeu, eu desenho…  Até mesmo os marxista criticavam o marxista Paulo. Mas nem todos, sempre há exceções.

De fato, para alguns é necessário combater o homem que escreveu no livro Pedagogia da Esperança – Um Reencontro cem a Pedagogia do Oprimido (Paz e Terra) que  tinha esperança de que é possível acabar com a opressão, com a miséria, com a intolerância e transformar o mundo num lugar mais gostoso e mais justo para se viver. “A esperança faz parte de mim como o ar que respiro”. Definia o pensador. Que coisa mais marxista!!!

Assim falou a “comunista” e primeira-dama, Ruth Cardoso, representando o presidente Fernando Henrique Cardoso quando da cerimônia de enterro do pedagogo em 3 de maio de 1997:”Ele mudou a perspectiva da educação brasileira”.

Os americanos “todos comunistas” e a mais comunistas das universidades – Harvard – onde deu aulas o considerava  um herói por dedicar-se à alfabetização dos pobres e excluídos..

O medo de algumas pessoas está aqui: Paulo Freire entendia a escola como, “um lugar de luta e de esperança; um lugar não só para estudar, mas para encontrar, conversar, experimentar o confronto com o diferente, discutir e fazer política”.

Mas como Paulo Freire não é santo. Ele pode ser criticado, mas não imbecilizado pelos boçais. O que fazem não é crítica, é deturpação.

Primeiro foi Marx, depois Darwin, agora Paulo Freire. Se segura, Jean Piaget, o próximo será você.

 

Para acessar o Acervo Paulo Freire: http://acervo.paulofreire.org/xmlui
Para conhecer o trabalho do Instituto Paulo Freire e saber mais sobre a obra desse importante pensador brasileiro: http://www.paulofreire.org/
Anúncios

Apenas para lembrar: professores paulistas ainda estão em greve.

baneuapoio_1426630941531672501631

Como não tenha visto, lido ou escutado sobre a greve dos professores no estado mais importante da Federação. Informo que a  a Assembleia Estadual dos Professores será realizada nesta sexta-feira, 10 de abril, a partir das 14 horas na Praça Roberto Gomes Pedrosa, em frente ao Estádio do Morumbi.  Ao final da assembleia, os professores seguirão em caminhada pela Rua Padre Lebret até o Palácio dos Bandeirantes, onde realizarão um Ato em Defesa da Escola Pública e da Valorização do Magistério.

Segundo o sindicato da categoria, o parecer elaborado pela Consultoria Jurídica da Secretaria da Educação, atendendo solicitação da Chefia de Gabinete da SEE. “Entre outros pontos, o parecer é claro quanto á legalidade da nossa greve, assegurada pela legislação e por acórdão do Supremo Tribunal Federal. O parecer recomenda que seja respeitado o direito de greve e expressamente orienta no sentido de que não são permitidas demissões ou punições em razão do exercício do direito de greve, seja para professores efetivos, seja para professores temporários (categoria O). Professores em estágio probatório também não podem ser demitidos nem punidos em razão da greve. O parecer corrobora, assim, aquilo que vimos afirmando a todos os professores e professoras, para que possam participar plenamente da nossa luta. Quaisquer questões relativas ao direito de greve devem ser dirimidas junto ao departamento jurídico nas subsedes, na sede ou ainda através dos telefone s (11) 3350 6070 ou 3350 6104. Os comandos de greve continuarão visitando as escolas, dialogando com professores, pais e alunos, pois a nossa greve é em defesa da educação pública estadual. Muitos apoios, de diversos segmentos sociais e personalidades têm chegado, mostrando que a nossa luta sensibiliza a sociedade. Vamos em frente, até a vitória!” diz a nota da Apeoesp.

Papa no Paraguai

ppa

O Papa Francisco deverá visitar o Paraguai entre 10 e 12 de julho.  Deverá rezar em Assunção e Caacupé.  De acordo com relatório oficial, visitará as cidades de Assunção e Caacupé onde oferecerá duas missas. O papa João Paulo II foi o único a visitar o Paraguai, em maio de 1988.

De acordo com um comunicado divulgado recentemente pelo Palácio do Governo do Paraguai, uma comissão especial esteve nos locais possíveis da visita. Mas o santo padre tem que aprovar tudo….

Como estará bem pertinho seria bom pedirmos para ele orar por nós….. Acho que estamos precisando!