Saúde

Retire com prazer…

As CAMISINHAS NO METRÔ, do Programa Municipal de DST/Aids de São Paulo chegaram à estação Oscar Freire da linha 4-Amarela do metrô! Agora, já são 22 estações que contam com enormes dispensadores de preservativos para você! É pegar sem pagar, levar e usar conscientemente.

 

Anúncios

São as águas de março…

adefesacivil

Todo o verão a cidade sofre com as fortes chuvas. De novembro a março, quando as chuvas são mais intensas, a população sofre os efeitos do alagamento de vias públicas,
inundações de residências, escorregamentos e quedas de árvores.
Resolver o problema não é fácil, nem rápido. Depende de obras caras e de longo prazo para remediar um problema antigo, mas estamos trabalhando para isto. Depende também da colaboração de todos. Lixo jogado nas ruas entope bocas-de-lobo, córregos e rios por onde a água escoa, além de servir como abrigo e alimento para ratos. (trecho de uma antiga cartilha da Defesa Civil da Cidade de São Paulo)

Entenda o desmanche do setor de saneamento no país

O setor de saneamento básico no país se vê diante de um grave ataque, após anúncio do governo federal de uma Medida Provisória, que visa modificar a Legislação Nacional de Saneamento Básico – Lei 11.445/2007. Entidades realizam o Seminário Nacional – “Garantir à Água como Direito e não Mercadoria”

O governo golpista de Michel Temer não tem medido esforços no sentido de avançar no processo de privatização de todos os serviços e empresas públicas. Seu objetivo a atender a agenda privatista imposta pelo capital nacional e internacional.

No setor do saneamento, na primeira tentativa, o governo designou como principal articulador do processo de privatização o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES, que contratou consórcios de empresas para procederem à modelagem da privatização dos serviços públicos de abastecimento de água e de esgotamento sanitário, para aqueles Estados que aderiram ao Programa de Parcerias e Investimentos – PPI (Lei 13.334, de 13 de setembro de 2016).

Como viram que a legislação do saneamento (Lei 11.445/07), traz uma série de entraves para que esse processo de consolide, resolveu alterar a lei numa “canetada”.

Num breve resumo pretendem, os defensores da privatização, acabar com o Contrato de Programa, instrumento que possibilita que um município possa contratar, através da gestão associada, uma empresa pública para a prestação dos serviços de saneamento básico. Além disso, a MP define que, a partir da sua aprovação, passa a ser necessário a edição de uma Proposta de Manifestação de Interesse – PMI, dirigida às empresas privadas, ou seja, os municípios terão que oferecer primeiro ao privado a operação daquele serviço, caso não haja interesse, aí sim o município poderá celebrar contrato com a empresa pública.

O presidente da FNU, Pedro Blois, reafirma que, “caso essa proposta siga adiante, o setor privado deverá manifestar interesse naquelas cidades onde a possibilidade de lucro maior seja garantido, os municípios não rentáveis continuariam com o poder público. Isso significaria um total desequilíbrio no saneamento básico, já que, o mecanismo de subsídio cruzado é o garante as condições para a prestação dos serviços”.

 

 

PROGRAMAÇÃO
Seminário Nacional – “Garantir à Água como Direito e não Mercadoria”
22/11/2017   – das 13h30 às 19h
Câmara dos Deputados – Brasília
Plenário 2 – Anexo II

Mesa de Abertura: Silvano Silvério da Costa(FAMA/DF) e Deputado Federal Paulo Teixeira -PT-SP(CDU)

Painel I: Os Conflitos pela Água
Mesa 1
: Desafios da disputa pela Água no campo
Coordenação:  Eduardo Luiz Zen – Movimento dos Atingidos por Barragens
Expositor: Gislei  MST ( a confirmar )

Mesa 2: Água e soberania popular
Coordenação:  Érica Ramos Andrade – Consulta Popular
Expositor: Iury Chaves P.Bezerra – Movimento dos Atingidos por Barragens ( MAB)

Painel II: Estratégia do capital sobre os bens naturais
Mesa 3
: A luta contra a privatização do saneamento básico
Coordenação:  Eliene Otaviano da Rocha – Coord. Frente Nacional pelo Saneamento ambiental ( FNSA)
Expositor:  Marcos Helano Montenegro – Secretário Geral da Assoc.Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental-ABES/DF

Mesa 4: Água como direito e não mercadoria
Coordenação: Washinton Fraga Guimarães- Diretor do Sind.dos Urbanitários-Goiás( STIEGO)
Expositor: Tatiana  Santana Timóteo Pereira – Vice Presidente da ABES/DF

Painel III: O Fórum Alternativo Mundial da Água – FAMA – como instrumento de luta
Coordenação: Amélia Fernandes – Diretora da Confederação Nacional dos Urbanitários ( CNU)
Expositor:  Fábio Giori Smarçaro – Secretário Nacional de Saneamento – FNU

PROGRAMAÇÃO
Reunião do Coletivo Nacional de Saneamento
Local: STIU-DF Sindicato dos Urbanitários no DF
Endereço: SCS QD 06 BLOCO A 7ª andar
Condomínio Ed Arnaldo Dumont Villares – Brasília

23 de novembro
. Mesa de Abertura
: Pedro Blois – Explicação sobre a atividade e dinâmica proposta para os dois dias
Coordenação da Mesa: Fabio Giori – Secretário Nacional de Saneamento da FNU
Exposição sobre a proposta de MP: Abelardo Oliveira – Engenheiro da Embasa

. Debate com base na exposição e Informe dos Estados

24 de novembro
. Debate sobre o Plano de Lutas
: Coordenação: Eliene Otaviano da Rocha – Coordenadora da Frente Nacional pelo Saneamento Ambiental e Pedro Romildo – Secretário de Saneamento da CNU
. Apresentação e aprovação do Plano de Lutas

Nanopartículas magnéticas aplicadas ao tratamento do câncer


O Parque CienTec fica na Avenida Miguel Stéfano, 4.200,  Água Funda-SP.

CEP 04301-904.

O estacionamento situa-se em frente ao Zoológico.

O acesso pode ser feito pela entrada ao lado do estacionamento ou pela portaria principal.

Para quem vai de transporte público:
A 15 minutos da estação São Judas do Metrô, ônibus 4742-10, Jardim Clímax

ou, da estação Santos-Imigrantes, ônibus Jardim Zoológico.

As Flores de Outono

Begônia

Essas pequenas flores precisam de um clima ameno e agradável (temperatura ideal na média dos 25º C) para crescerem bonitas e saudáveis. O plantio pode ser tanto em vaso como no jardim, e seu florescimento se dá em cerca de três meses. É preciso regá-las a cada quatro dias, mantendo a terra sempre úmida, mas nunca encharcada. O solo ácido e misto é o mais indicado. A Begônia é uma flor que combina características rústicas e delicadas. As begônias são um tipo de flor tropical que se desenvolve melhor quando não são diretamente expostas ao sol, chuva e quando a temperatura fica entre 20 e 28 graus. Muito utilizadas para embelezar ambientes, essas plantas precisam ser mantidas longe de salas com ar-condicionado e de corredores com pouca luz. Por serem muito sensíveis, esses vegetais não suportam mudanças bruscas de clima, nem excesso de água.

 

Margarida

O outono é ideal para seu plantio porque os raios de sol muito fortes podem queimar as pétalas e folhas. Fáceis de cultivar em casa (em vasos ou jardim) e em diferentes tipos de solos (com exceção dos terrenos úmidos demais), o tempo de germinação varia entre 7 e 21 dias. É fundamental adubá-la com compostos orgânicos de forma periódica, além de regá-la sempre que a camada superficial do solo estiver seca.

A flor margarida significa inocência, juventude, virgindade, sensibilidade, pureza, paz, bondade e afeto. Leia minha crônica A flor da Obsessão.

Lírio branco

No preparo do cultivo deve-se usar composto orgânico e areia, e sua regagem deve ser regular, sem atingir as flores. Em dias muito frios, diminua a quantidade de água, já nos mais quentes é permitido borrifar um pouco de água extra sobre toda a planta. O outono é a época ideal, já que ela é muito sensível às baixas temperaturas e à incidência de raios solares fortes.

O lírio é originário do hemisfério norte, e está presente tanto na América do Norte, quanto na Europa e Ásia. A flor possui um pistilo saliente, com aspecto fálico, remetendo a significados relacionados à sexualidade e erotismo.

O lírio planta medicinal antisséptica e cicatrizante, utilizada para tratar diversas infecções, apresentada muitas vezes na forma de tintura.

Rosa

As rosas preferem o outono, pois é a época do ano mais propícia para o cultivo, cuidado e manutenção. Até a primeira floração, deve-se regar todos os dias com água em temperatura ambiente, passando depois para duas vezes por semana, deixando a terra um pouco seca entre uma rega e outra. As roseiras precisam estar localizadas em um local ensolarado e bem arejado, com temperatura entre 25 e 30° C. A primeira poda deve ser feita após um ano do plantio e repetida todos os anos.

A rosa (do latim rosa) é uma das flores mais populares no mundo. Vem sendo cultivada pelo homem desde a Antiguidade.

Gérbera

Pertencente à família dos girassóis, as gérberas são flores bastante usadas para ornamentar ambientes internos, o que se deve à variedade e intensidade de suas cores. O cultivo deve ser realizado em solo sempre úmido, com areia e compostos orgânicos. As flores gostam do clima temperado, nem muito quente e nem muito frio, mantidas à meia sombra. Seu florescimento costuma durar dois meses, sendo um pouco menor quando plantadas em vasos.

Gérberas são flores que podem significar sensibilidade, sensualidade, amor, nobreza, alegria e simplicidade.

São plantas do gênero Gerbera, que fazem parte da família Asteraceae (também conhecida como Compostas). Por serem da mesma família que o girassol e margarida, as suas flores apresentam algumas semelhanças.

Astromélia

Essa é uma planta que não tolera frio e falta de umidade, por isso é importante manter a terra do vaso ou do canteiro sempre úmida e fértil com adubo orgânico. Ela gosta muito de sol, mas, para que as pétalas não se queimem, é preciso mantê-las à meia sombra. A flor pode alcançar até 25 cm e é aconselhável cultivá-la de forma isolada. A folha da astromélia apresenta um comportamento incomum: a ressupinação. Significa que ela tem uma torção na base. Desse modo, o que parece ser a parte de cima da folha é, na verdade, a parte inferior.

As Astromélias são de origem peruana, chilena e brasileira, apesar de ter um nome não muito atrativo, possuem flores de grande beleza

 

Cadê o cabide que deveria ter no banheiro?

LEI Nº 16.586, DE 9 DE DEZEMBRO DE 2016
(PROJETO DE LEI Nº 129/15, DO VEREADOR
ANÍBAL DE FREITAS – PV)
Dispõe sobre a obrigatoriedade de colocação de ganchos tipo cabide ou suportes em todas as instalações sanitárias de estabelecimentos comerciais, industriais, de serviços, locais de culto religioso e repartições públicas, no âmbito do Município de São Paulo, e dá outras providências.
FERNANDO HADDAD, Prefeito do Município de São Paulo, no uso das atribuições que lhe são conferidas por lei, faz saber que a Câmara Municipal, em sessão de 16 de novembro de 2016, decretou e eu promulgo a seguinte lei:
Art. 1º É obrigatória a instalação de ganchos tipo cabide ou suportes de apoio de bolsas, sacolas e pertences de usuários em banheiros de estabelecimentos comerciais, industriais, de serviços, locais de culto religioso, clubes, edifícios e repartições públicas, no âmbito do Município de São Paulo.
§ 1º Esses equipamentos deverão ser colocados nas cabines individuais dos banheiros, ou em local próximo aos vasos sanitários, em altura e tamanho que reduzam o risco de contaminação desses objetos.
§ 2º Os estabelecimentos deverão colocar e manter em caráter permanente tantos ganchos ou suportes quanto necessários ao atendimento adequado dos usuários, sem prejuízo da instalação de outros equipamentos que lhes possam oferecermelhores condições de higiene.
§ 3º (VETADO)
§ 4º Nas repartições públicas municipais, a instalação dos itens previstos no “caput” deverá ocorrer quando da construção ou reforma dos banheiros, sendo que em relação aos banheiros já existentes, a instalação deverá ocorrer de forma gradativa, na medida da disponibilidade financeira do Poder Executivo.
Art. 2º O descumprimento do disposto nesta lei implicará a imposição de multa no valor de R$ 100,00 (cem reais) por cabine ou vaso sanitário sem gancho ou suporte, a ser aplicada mensalmente até o efetivo cumprimento da obrigação.
Parágrafo único. (VETADO)
Art. 3º As despesas decorrentes da execução desta lei correrão por conta das dotações orçamentárias próprias, suplementadas, se necessário.
Art. 4º O Poder Executivo regulamentará esta lei, no que couber, no prazo de sessenta dias a contar da data de sua publicação.
Art. 5º Esta lei entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário.
PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO, aos 9 de dezembro de 2016, 463º da fundação de São Paulo.
FERNANDO HADDAD, PREFEITO
FRANCISCO MACENA DA SILVA, Secretário do Governo
Municipal
Publicada na Secretaria do Governo Municipal, em 9 de
dezembro de 2016.

Dia da Abelha

abelhas

Hoje, 3 de outubro é comemorado o Dia da Abelha.

Não se sabe ao certo como surgiu a data, mas a intenção é lembrar a importância que este pequeno inseto possui para o bem estar dos seres humanos. Pense na importância da POLINIZAÇÃO….

As abelhas são consideradas insetos úteis porque:

  • contribuem para a fecundação das flores, propiciando aumento da produção de frutos e grãos;
  • produzem o mel e a geleia real, importantes fontes energética e nutritiva;
  • produzem o própolis a partir de substâncias resinosas dos brotos e cascas de vegetais, o qual atua como antibiótico natura.

A abelha é a única espécie do planeta capaz de produzir o mel – considerada a primeira substância adocicada utilizada pelo homem na  antiguidade. Quantas maravilhas não são feitas com o mel????

Atualmente, são conhecidas, no mundo, mais de 20 mil espécies do inseto. Uma abelha silvestre visita 10 flores por minuto em busca do pólen e do néctar;

No Brasil, são conhecidas mais de duas mil espécies entre nativas e exóticas, que foram introduzidas nos nossos biomas.

Caetano Veloso musicou e escreveu MEL que na boca de sua irmã Maria Betânia é pura doçura:

Mel

Ó abelha rainha faz de mim
Um instrumento de teu prazer
Sim, e de tua glória
Pois se é noite de completa escuridão
Provo do favo de teu mel
Cavo a direita claridade do céu
E agarro o sol com a mão
É meio-dia, é meia-noite, é toda hora
Lambe olhos, torce cabelos, feiticeira vamo-nos embora
É meio-dia, é meia-noite, faz zumzum na testa
Na janela, na fresta da telha
Pela escada, pela porta, pela estrada toda a fora
Anima de vida o seio da floresta
O amor empresta a praia deserta zumbe na orelha, concha do mar
Ó abelha, boca de mel, carmin, carnuda, vermelha
Ó abelha rainha faz de mim um instrumento do seu prazer.

abelha

E que tal um bolo de mel?

Bolo de mel

Ingredientes: 3 ovos, 2 xícaras de farinha de trigo (pode ser integral), 3 colheres de margarina, 1 xícara de mel, 1 colher de fermento em pó.

Modo de preparo:
bater o mel e a margarina. Juntar as gemas bem batidas, a farinha e o fermento, e por último as claras em neve. Colocar em fôrma untada e assar em forno médio. É DIVINO.