Neve

neve

Entre inúmeras leituras por fazer – entre tantos outros afazeres – procurarei desvendar as quase quinhentas páginas do Nobel de Literatura de 2006, Orhan Pamuk. Minha colega Deyse Cioccari recomendou, o que por si só já é um bom caminho.

Eu tinha uma coleção antiga da Record que comprei por meses a fio, via Reembolso Postal, lá pelos idos de 1978-1982. Tinha que ir buscar nos Correios. Era uma edição primorosa, Capa dura. Bom acabamento e ilustrações. Infelizmente tive que desfazer de tal coleção. Sempre que eu consigo um livro “Nobel” veem à lembrança tal coleção.

Bem, mas “Nobel” é aquilo: tem coisas ótimas, mas tem também muitos desconhecidos que ganharam “politicamente” o prêmio.

Anúncios

Cultura a Unir os Povos – A Arte do Encontro

Célio Turino convida todas as pessoas que ajudaram na formação da RaiZ-Movimento Cidadanista ao lançamento de seu novo livro, sobre a América Latina vista a partir da mirada dos movimentos comunitários e ancestrais.

raizeiro

“Cultura a Unir os Povos – A Arte do Encontro”

dia 26/fev – às 19h
Memorial da América Latina – Salão de Atos

Com exposição fotográfica por Mario Miranda Filho de povos antigos e sagradas cores da América Latina

CURSO DE MICRO DRAMATURGIA

Com a premiada autora de Córdoba, Argentina, SONIA DANIEL, de 19 a 22 de fevereiro, das 19 às 22h, no Teatro Commune, Rua da Consolação, 1218 (metrô Mackenzie-Higienópolis) e estacionamento ao lado.

Inscrições pelo link: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSf0Eq746fIgQ192iNFOp-XqHIL6crsS4bI9b-J28mid7piTOA/viewform

 

OBJETIVOS: Desenvolver noções básicas da dramaturgia abordando personagem, conflito e o texto dramático e a criação de micro cenas que serão apresentadas no Teatro Commune no final do curso. Os alunos deverão trazer 5 fotos de situações (familiares, cotidianas, do mundo, curiosas, interessantes….), 1 notícia de jornal ( que seja interessante, teatral… ) e 1 texto curto de sua autoria (que foi ou esteja sendo escrito)

SONIA DANIEL é atriz, professora e dramaturga premiada e coordenadora do Teatro Maria Castana, em Córdoba, Argentina e fundadora da Rede de Salas Independentes de Córdoba. É diplomada em Produção e Gestão Cultural na Universidade Blas Pascal. Suas referências em dramaturgia são Patricia Suarez, Alejandro Finzi, Luis Cano, Marco Antonio de La Parra, Ariel Davila. Foi dirigida como atriz por Chete Cavagliatto, Elisenda Seras, Jorge Pinus, Mildred Yedro, Sergio Blanco, Mauricio Kartun, Leo Rey, Jorge Aran entre outros.

Recebeu inúmeros prêmios como atriz, professora, escritora de teatro e gestora cultural. Como dramaturga foi representada em várias ocasiões. Destacam-se seus textos “Qual pluma ao vento”, “Expediente Fidelio, una historia clínica” (Arquivo Fidelio, uma história clínica), em coautoria com Liliana Sosa, “El gran deporte nacional” (O Grande esporte nacional), “Herida absurda” (Ferida Absurda), montada no Brasil há alguns anos, ”Mala Muerte” (Morte má), “El Juego de las Palomas” (O Jogo das Pombas).  Foi premiada com o primeiro lugar no Dramaturgia Provincial 2005 e no Prêmio Municipal Dramaturgia Unipersonal 2011. Recebeu em 2012 uma menção especial de Argentores, SAGAI e do Ministério do Desenvolvimento Social por sua peça curta “Boca de Lobo” no concurso de Aplausos pela Inclusão. Em 2013, sua peça “A vida sexual dos morcegos” é escolhida para a série “A Cozinha dos Dramaturgos” pela sociedade dos autores teatrais da Argentina.

Em 2014 foi premiada por sua peça “Herida Absurda” como o melhor texto de teatro da Festa Provincial de Teatro de Formosa e é convidada a participar do Ciclo de Autoras Argentinas no Teatro Nacional Cervantes, onde estreia “Pequeña Melodia para piano y Ella” com direção de Cristina Merelli. Sua obra foi publicada e traduzida em várias línguas. Seus textos são geralmente representados tanto em Córdoba, sua cidade natal na Argentina, como no resto do país e em países como Espanha, Bolívia, México, Brasil e Venezuela. Foi destaque como atriz em muitos projetos, incluindo: “Desviaciones musicoteatricas”, “El guante blanco”, “El rey se muere”, “Extraño juguete”, “Paseantes, maqueta de una história contada”, “Creciendo con el cuerpo” e seu exclusivo: “Dicese de la persona cuyo conyuge ha muerto” (Fala-se da Pessoa cujo Marido Morreu). Seus últimos textos foram “Pequeño Cyrano Ilustrado” dirigido por Leo Rey, seu marido, falecido em 2014. A trilogia Anti Comics, com os textos A Vida Sexual dos Morcegos, A Festa do Pijama e O Evangelho Segundo o Superman e Entre Mi piernas (adaptação do conto de Chapeuzinho Vermelho), premiada em Córdoba, em 2016. É autora da peça ANTI COMICS, DESCONSTRUINDO SUPER HERÓIS, montada pela COMMUNE, em parceria com o Teatro Maria Castana, em 2016, com recursos do IBERESCENA. Em 2015 participou, representando a Argentina, do “Encontro: a mulher na cena teatral latino-americana no século XXI, realizado em Mérida, no México.

Inscrições pelo link: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSf0Eq746fIgQ192iNFOp-XqHIL6crsS4bI9b-J28mid7piTOA/viewform

De 19 a 22 de fevereiro das 19h às 22h

No Teatro Commune (ao lado do metrô estação Higienopolis Mackenzie)

INFORMAÇÕES E CONTATO: cursos@commune.com.br

Em São Paulo, obras do cubano Carlos Garaicoa são expostas no Espaço Cultural Porto Seguro

Carlos Garaicoa, RBC, 2012.

Carlos Garaicoa – ser urbano, individual Espaço Cultural Porto Seguro, de 6/02 a 6/05

São ao todo 8 trabalhos do artista cubano Carlos Garaicoa que estarão disponíveis para deleite do público no Espaço Cultural Porto Seguro. Reunindo vídeos, instalações, maquetes, fotografias e desenhos de Garaicoa, o curador Rodolfo de Athayde leva todos por uma viagem no universo urbano que ronda as criações do artista. Os debates políticos, econômicos e sociais inerentes a Carlos estão presentes na mostra, com o intuito de provocar transformações internas e externas.

Receita de couve-flor gratinada

Ingredientes:
1kg couve-flor
½ cebola
3 dentes alho
2 colheres de sopa de azeite
50g de queijo parmesão
Molho bechamel
500ml de leite
1 colher de sopa de margarina
1 ½ colher de sopa de farinha de trigo
Sal e pimenta a gosto
Noz moscada a gosto

Pré-Preparo:
Descascar e picar o alho e a cebola. Cozinhar a couve-flor até ficar al dente. Reservar.

Molho Bechamel:
Em uma panela colocar a margarina para aquecer em fogo baixo, quando derreter acrescentar a farinha de trigo, mexer constantemente com o fuê, tendo o cuidado para não empelotar, deixar cozinhar mexendo sempre. Acrescentar o leite quente ao roux aos poucos, abaixar o fogo e continuar mexendo, para não empelotar. Não deixar o molho grosso, pois quando esfriar ele tende a engrossar.

Preparo:
Em uma frigideira colocar o azeite, o alho e a cebola, deixar dourar e puxar a couve-flor. Colocar em uma travessa fazendo camadas alternadas de couve-flor e molho bechamel. Finalizar com queijo parmesão. Levar ao forno a 180ºC para gratinar por alguns minutos. Servir.

Tempo de Preparo: 25 minutos

Rendimento Aproximado: 1,800 kg

Fonte: Divino Fogão – http://www.divinofogao.com.br

Benedito Domingos Mariano de volta para a Ouvidoria da Polícia

Domingos Mariano volta a ser Ouvidor da Polícia Civil do estado de São Paulo. O governador Geraldo Alckmin nomeou pela segunda vez o sociólogo para o cargo. Mariano ficará mais dois anos à frente do cargo de ouvidor

 

 

 

Enquanto tentam descobrir quanto ganha um procurador, procura-se o dono do celular

AR-305239565

Nossa Câmara Municipal de São Paulo tem sempre algumas ocorrências hilárias, vejam essa ocorrida durante a 76ª SESSÃO ORDINÁRIA em 07/12/2017:

 

O SR. PRESIDENTE (Milton Leite – DEM) – Tem a palavra, pela ordem, o nobre Vereador Adilson Amadeu.
O SR. ADILSON AMADEU (PTB) – (Pela ordem) – Sr. Presidente, quero fazer um alerta aos demais Srs. Vereadores sobre algo que aconteceu hoje comigo. Recebi no gabinete algumas denúncias que vieram da região da Vila Maria/Vila Guilherme e, como não posso prevaricar como Vereador, fui verificar. Pedi ao Prefeito Regional de Vila Maria/Vila Guilherme, Sr. Dário José Barreto, e ao seu Chefe de Gabinete, Sr. Samuel Renato Machado, que tomassem providências quanto ao fato de que alguns agentes do Município têm visitado vários estabelecimentos comerciais – inclusive alguns que estão para inaugurar em área do Município – e simplesmente apresentado um ofício da  Prefeitura usando nome de Vereador.
Sr. Prefeito Regional Vila Maria/Vila Guilherme e Sr. Chefe de Gabinete, verifiquem se realmente essas denúncias procedem.
Se não procederem, é só me avisar.
Aproveito a oportunidade para esclarecer uma fala minha num direito de resposta envolvendo a Vereadora Soninha no dia de ontem. Para encerrar o assunto, peço desculpas à nobre Vereadora Soninha e também ao Vereador Caio, mas acho desnecessário o que V.Exa. postou na rede, pois seus eleitores não são os meus eleitores.
Aliás, foi um eleitor seu, taxista, que me avisou sobre a maneira que V.Exa. se portou: “Não posso concordar com ofensa e tratamento desrespeitoso”. Eu quero aqui pedir desculpas a todos os membros da Comissão de Constituição, Justiça e Legislação Participativa – o Presidente Mario Covas Neto está aqui. Eu não retiro o que falei, porque falei do lobby, dos procuradores do Município, que andam por aí. A Sra. Presidente
da Associação dos Procuradores é uma lobista profissional, não retiro nada do que falei.
O SR. CAMILO CRISTÓFARO (PSB) – (Pela ordem) – Quanto ganha um procurador, nobre Vereador?
O SR. ADILSON AMADEU (PTB) – (Pela ordem) – De 30 a 90 mil, por mês. É por produtividade.
O SR. CAMILO CRISTÓFARO (PSB) – (Pela ordem) – Mas ele tem honorários quando ganha alguma coisa?
O SR. ADILSON AMADEU (PTB) – (Pela ordem) – Ele ganha no escritório particular, que boa parte dos procuradores tem, boa parte.
O SR. CAMILO CRISTÓFARO (PSB) – (Pela ordem) – Eu não sabia. Eu não sabia.
O SR. ADILSON AMADEU (PTB) – (Pela ordem) – Eles têm, também. Eles não trabalham só para o Município, eles trabalham na produtividade. É muito dinheiro. Então, nobre Vereadora Soninha Francine, desculpe. Eu prometo que estarei mais bem preparado para ver as ações certas.
O SR. CAMILO CRISTÓFARO (PSB) – (Pela ordem) – Mas qual é o salário de um procurador?
O SR. ADILSON AMADEU (PTB) – (Pela ordem) – Não sei, é três vezes mais do que o do Vereador.
O SR. PRESIDENTE (Milton Leite – DEM) – Srs. nobres Vereadores, não é comum esta Casa oferecer serviços de utilidade pública, mas como o sanitário é de um dos Srs. Vereadores,
alguém esqueceu um celular. Não sei de quem é.
Neste momento, vou suspender a sessão para a reunião conjunta do Congresso de Comissões

Um poema de Che para Fidel

Abaixo um poema de Che Guevara para Fidel Castro….

 

DOSSIER MATHIL
COMMANDANTE CHE GUEVARA
RAOUL CORRALES

Vamos,

ardoroso profeta da alvorada,
por caminhos longínquos e desconhecidos,
liberar o grande caimão verde que você tanto ama…

 

Vamos,

derrotando afrontas com a testa

plena de martianas estrelas insurretas,

juremos atingir o triunfo ou encontrar a morte.

Quando soar o primeiro tiro
e na virginal surpresa toda a floresta acordar,
lá, ao seu lado, calmos combatentes
você nos terá.


Quando sua voz proclamar aos quatro ventos,
reforma agrária, justiça, pão e liberdade,
lá, ao seu lado com sotaque idêntico,
você nos terá.

 

E assim que chegar o fim da jornada

A sanitária operação contra o tirano, ali, a

seu lado, aguardando a derradeira batalha,

você nos terá.

 

No dia em que a fera lamber o lado ferido

onde o dardo nacionalizador lhe acertar,

ali, a seu lado, com o coração altivo,

você nos terá.

 

Nem pense que possam minguar nossa integridade

as decoradas pulgas armadas de presentes;

pedimos um fuzil, suas balas e um rochedo.

Nada mais.


E se o nosso caminho for bloqueado pelo ferro,
pedimos uma mortalha de lágrimas cubanas
para cobrir nossos ossos guerrilheiros

no trânsito para a história da América.
Nada mais.

Ernesto Guevara de la Serna (Che)