Dia Mundial do Saquê

saque

Uma das mais belas expressões da cultura japonesa é comemorada em 1º de outubro com o Dia Mundial do Saquê

 

Os brasileiros têm motivos de sobra para celebrar essa data especial. Em 2016, completa 81 anos do início da produção da bebida no país, que há décadas agrada diferentes perfis por seu sabor agradável e história fascinante.

O arroz dá origem à bebida que é tão valorizada que é oferecida aos deuses xintoístas, e também é servida em ocasiões especiais como casamento, inauguração de lojas e comemorações. Mas o saquê está presente também na mesa dos japoneses como uma bebida popular

kasatumaru

Os primeiros imigrantes japoneses chegaram ao Brasil em 1908 a bordo do navio Kasato Maru em busca de oportunidades do lado de cá do globo. Alguns anos mais tarde – em 1934 – o Barão Iwasaki então presidente do grupo Mitsubishi, atendeu ao clamor da comunidade japonesa e fundou a 1ª Fábrica de Saquê da América do Sul. Estava fundada a Indústria Agrícola Tozan – a primeira empresa no país a seguir o método de produção original, com estrutura e tecnologia de produção com maquinário japonês.

saque2

O saquê é produzido com arroz curto tipo japonês importado do Uruguai, água extraída de 140 metros de profundidade da excelente água da região de Campinas e o Koji importado do Japão (fungo responsável pela fermentação do arroz). Sendo, portanto, uma das únicas marcas a importar o fungo conferindo ainda mais autenticidade ao produto.

O processo de produção passa, basicamente, pelo armazenamento, lavagem e polimento dos grãos de arroz que depois são fermentados e beneficiados com o álcool etílico. O polimento é importante porque é o processo que confere pureza à bebida ao se descartar 30% ou 40% da quantidade dos grãos ao se tirar a casca (eliminando também gorduras, fibras e proteínas do grão).

O processo de maturação da bebida – que passa por dupla pasteurização e apresenta teor alcoólico médio entre 14% e 15,5% (dependendo da variedade do saquê)- leva entre 30/60 dias.

Principais tipos de saquê

  • Junmai-shu – É o saquê mais puro, com arroz, água e koji, e que não sofre acréscimo de álcool. O arroz é “polido” de forma que perde a parte externa, conservando menos de 70% do seu volume original.
  • Honjozo-shu – Tem pequena quantidade de álcool etílico destilado, o que melhora o sabor, tornando o saquê mais suave. O arroz recebe o mesmo tratamento de Junmai-shu.
  • Ginjo-shu – O arroz é “polido” para conservar apenas 60% do seu formato original. Isso diminui a gordura e as proteínas. Além disso, esse saquê é fermentado a uma temperatura baixa por muito tempo.
  • Daiginjo-shu – Através do polimento, o arroz perde pelo menos 50% de seu volume original, chegando em alguns casos a perder até 65%. É um tipo de saquê que exige muito trabalho em cada nível do processo.
  • Namazakê – É o saquê que não é pasteurizado, e deve ser guardado na geladeira.
  • Nigori-zakê – Não é filtrado.

Como Degustar:

  • O saquê é uma bebida alcoólica excepcional que pode ser tomada quente, gelada ou à temperatura ambiente. O saquê pode ser degustado em uma maior variedade de temperaturas em comparação com outras bebidas alcoólicas, de 5ºC a 55ºC.
  • O saquê é classificado em quatro categorias gerais: saboroso, leve e suave, rico, e envelhecido. Esses diferentes tipos de saquê proporcionam prazeres variados.
  • O saquê pode ser servido em copos de vidro, além dos tradicionais copos feitos de barro, porcelana ou laca. A diversidade de formas e materiais certamente enriquece a experiência dos diversos gostos do saquê. A seleção do copo adequado de acordo com a temperatura do saquê a ser consumido é um incremento à própria degustação do saquê.
  • Uma vez que o saquê apresenta uma ampla variedade de sabores e pode ser servido de diversas maneiras, há muitos maneiras de degustá-lo, dependendo da combinação da estação do ano e do tipo de culinária. Os muitos sabores do saquê também podem ser usados como base para coquetéis.
  • O saquê pode ser combinado com as culinárias de todo o mundo, independentemente das comidas ou estilos de preparação dos pratos. Ele é servido em restaurantes franceses, italianos e em muitas outras cozinhas do ocidente.
  • O saquê potencializa o sabor dos alimentos, ao mesmo tempo em que tempera os aromas fortes da carne e dos frutos do mar. A bebida tem muitas utilizações, seja em misturas ou como tempero, tanto na culinária japonesa como na ocidental.

Observação: O saquê é uma bebida alcoólica delicada, que é extremamente sensível à luz e ao calor. Ele deve ser armazenado em um local escuro e resfriado.

saque

Uma boa dica de saque é a  linha de produtos Azuma Kirin contempla os saquês: Comum, Soft, Dourado, Nama, Junmai, Guinjo e o destilado Syoucyu – além de outros itens da cultura japonesa como o Hiroshigue (tradicional jarro de porcelana que serve para imersão do saquê em Banho Maria para ser degustado quente entre 35º/40º) produzido exclusivamente no Brasil.

Virada Esportiva

PROGRAMAÇÃO 2016

24 Setembro

Virada Esportiva

Karatê
Karatê na Cidade

Clube Escola Mooca (Rua Taquari, 635 – Mooca – SP)
10:00 às 12:00
13:00 às 15:00

Canoagem e Remo
Virada com SUP e Caiaques 2016
CDC Guarapiranga ou Marina Fibramar
Av Atlantica, 5.048, Parque Atlantico

09:00  às 18:00

Tênis de Mesa
Os Mesatenistas do Futuro
Viaduto do Chá (Vale do Anhangabaú)
10:00  às 17:00

Freestyle, Motocross, Parkour, Escalada, Rapel, Mega Tiroleza, Arena Jungle, Bungee Fun, Full Pipe, New Zeland Zorbit, Slide 2×1, Mega Parede de Escalada, Giro Master, Arco e Flecha.
Arena Radical
Vale do Anhangabaú
08:00 do dia 24 às 16:00 do dia 25

Street, Bowl, Vertical, Miniramp, Clínicas
Virada Skate Radical
Parque Chácara do Jockey (Av. Francisco Morato, Altura 5110 – Vila Andrade SP)
09:00 às 18:00

In Line Patins
Open In Line 2016
Praça Dina (Rua Luiz Correa de Melo, 168, Sto Amaro SP)
10:00 às 16:00

Skate(Mega Mini Ramp), Escalada,Slackline,Balonismo
Virada Exchange 2016
Centro de Esportes Radicais de SP (Av. Presidente Castelo Branco 5.700, Bom Retiro
10:00 às 16:00

BMX, Bike, In Line, Bboys, Le Parkour e Slackline
Sampa Extreme
Parque CERET (Av. Canuto de Abreu s/nº)
09:00 às 17:00

Parede de Alpinismo, Tirolesa, Trampolim, Surf Machine, Futebol de Sabão e Pebolim Humano
Adventure In Sampa
Parque do Carmo (Av. Afonso Sampaio Souza, 951 – Itaquera)
09:00 às 17:00

Skate e Slackline
SS Kids
Centro de Esportes Radicais
09:00 às 16:00

MMA – Mixed Martial Arts
Copa Brasil de MMA, na Virada Esportiva 2016
Qd. da Escola de Samba Unidos de Vila Maria – Rua Cabo João Monteiro Rocha, 448 – Jd. Japão
19:00 às 23:00

Patinação de Velocidade, Patinação Artística, Patinação no Gelo e Freestyle Urban
Arena Patinação
Viaduto do Chá/Vale do Anhangabaú; Centro Esportivo Tietê (Av. Santos Dumont, 843), Centro de Esportes Radicais (Av. Presidente Castelo Branco, 5700 – Ponte Pequena – SP)
09:00 às 18:00

Queda Livre, Simulador de Vôo de Asa Delta, Escalada Modular
Adrena Park
CEE Tietê
10:00 às 18:00

 

Eject X, Big Jump, Zorbit Ball
Virada Radical
Centro de Esportes Radicais de SP (Av. Presidente Castelo Branco 5.700, Bom Retiro) e Vale do Anhangabaú
10:00 às 18:00

Taekwondo
Circuito Paulista de Lutas 2016 – Etapa 4
Instituto Cho (R. Domingos de Morais, 1626 – Vila Mariana) e Clube Esportivo Butantã (Rua Hernani da Gama Correa, 367 – Butantã
09:00 às 15:00

Muay Thai
Top Thai V
Clube Escola Mooca (Rua Taquari, 635 – Mooca – SP)
18:00 às 23:00

Jiu Jitsu
4º Campeonato Internacional de Jiu Jitsu por Equipes
Ginásio Poliesportivo do Colégio Magno – Rua Duque Costa, 164
14:30 às 20:00

Bocha RAFA
Campeonato Paulista Feminino RAFA 2016
Esporte Clube Pinheiros (R. Tucumã, 142 – Jardim Europa)
08:00 às 18:00

Taekwondo
3º Festival Ludico de Artes Marciais
CE Ibirapuera (Rua Pedro de Toledo, 1651)
12:00 às 17:00

Taça Cidade de São Paulo

Futebol
VIII TAÇA CIDADE DE SÃO PAULO DE FUTEBOL FEMININO

C.E Vila Manchester – Praça Haroldo Daltro, s/n – Vila Manchester – Tel.: 2295-2391
14:00 A.D. CENTRO OLIMPICO x INSTITUTO TIGER DE DESENVOLVIMENTO
15:00 INSTITUTO TIGER DE DESENVOLVIMENTO x FAMILIA L&M CATOGORIAS DE BASE FEMININO
16:30 TOQUES/CEU CURUÇÁ FUTSAL FEMININO x REAL ATLETICO/CDC PAULO RAIMUNDO
18:00 GIOIA/ESPORTE CIDADÃO/PEDRA AZUL/SCF x FAMILIA L&M CATOGORIAS DE BASE FEMININO
Festival de Ginástica Artística

Ginástica Artística
Festival de Ginástica Artística 2016

CENTRO ESPORTIVO MANCHESTER
09:00 até 18:00
CEUs

CEU Casa Blanca
Festival de Dança CEU Casa Blanca 2016, Apresentações nas modalidades Clássico, Jazz, Livre, Dança de Rua, Dança de Salão, Dança do Ventre e Contemporâneo Nas categorias infantil, junior, juvenil, adulto, 3ª idade e mista.
CEU Guarapiranga
Super Circuito das 9Hs às 10hs, Zumba das 10hs às 11hs, Hidroginástica das 11hs às 12hs, Lian Kong 13hs às 14hs, Tênis de mesa 14Hs às 17hs, Jiu-Jitsu 15hs às 17hs
CEU Cidade Dutra
Festival de Ginástica Artística, Jogos com a comunidade, Futsal masculino adulto (das 7h às 9h), Futsal crianças (das 9h às 11h), Futsal feminino (das 11h às 13h), Futsal masculino (das 13h às 15h), Vôlei misto (das 15h às 18h)
CEU Três Lagos
Festival de Vôlei Adaptado (das 8h às 10h), Torneio de Tênis de mesa (das 10h às 12h), Futsal (das 10h às 14h), Basquete (das 14h às 16h), Vôlei  (das 16h às 18h), Edição Hip Hop City – Pista de Skate( das 12h às 17h), Slack Line  (das 9h às 12h)

CEU Jambeiro

Ginástica Artística (das 9h ás 18h), Judô (das 8h às 10:30h), Parkour (das 17h às 19:30h), Tai Chi Chuan (das 15h às 16h)
CEU Meninos
Oficina de Games (das 18h às 20h), Evento de Capoeira (das 18h às 20h), Voleibol Misto adulto (das 18h às 20h), Festival De Futebol de campo (das 18h às 20h).
 

 

CEU Parque Bristol
 Futsal (8h às 9h), Zumba (10h às 12h), Avaliação Física e Aferição de Pressão (10h às 12h),
Handebol (14h às 15h), Circuito (8h30 às 10h), Tai Chi Chuan (9h às 10h), Campeonato de Futsal (8h às 12h), Jogos de tabuleiros (9h às  18h), Slackline (11h às 15h), Defesa Pessoal (15h às 16h), Atletismo (15h às 16h), Karatê (16h às 17h)

CEU Azul da Cor do Mar
Campeonato Feminino Futsal, Handebol e Vôlei  FATEC / Torneio de Tênis de Mesa ( Analista Carlos ), Karatê ( Olga kos) Kung – Fu( Prof. Edson ) Jogos e  Brincadeiras  Recreativa (Coordenadores)

CEU Quinta do Sol
Festival de Bandas e Fanfarras (08h ás 16h – Ginásio) , Tai Chi Chuan (08h ás 10h – Sala 51), Voleibol Misto (16h às 18h – Ginásio), Futsal entre amigos (18h às 20h), Festival de Tênis de Mesa – Mezanino (08h ás 12h)

CEU Parque Anhanguera
Inter CEU Modalidade de Judô (8hs às 17hs Evento Externo), Caminhada e Alongamento (9h, com café da manhã), Espaço Kids (9h às 17h), Festival de Rugby (9h às 10h), Piscina aberta (com carteirinha, das 13h às 17h), Festival  de Futsal (das 10:30 às 14h), Hip Hop (das 13h às 14h), Festival de Voleibol (das 14h às 16h), Festival de Basquetebol (das 18h às 20h)

CEU Pêra Marmelo
Piscina aberta (com carteirinha, das 9h às 18h), Amistoso de Vôleibol (das 13h às 17h), Amistoso de Futsal (das 10h ás 12h), Streetball (9h).

CEU Vila Atlântica
Alongamento (9h30 às 10h), Apresentação de GR –(10h às 11h), Hidroginástica  (11h às 12h),           Hidrocapoeira 14h às 15h, Jogos: xadrez gigante, peteca, tênis de mesa, campeonato de truco (13h às 18h).

CEU São Rafael
Oficina de Judô, Torneio de Futsal Pré-Mirim , Oficina de Tênis, Recreação Aquática, Oficina de Voleibol.

CEU Três Pontes
Tai Chi Chuan, Vôlei, Futebol, Futsal, Vôlei Adaptado, Pebolim, Slackline

CEU Vila Curuçá
Festival de Natação, Aulão de Hidroginástica, Aula de Alongamento, Clínica de Futsal, Jogos de Futsal amistosos

 

 

25 Setembro

Virada Esportiva

Canoagem e Remo
Virada com SUP e Caiaques 2016
CDC Guarapiranga ou Marina Fibramar
09:00  às 18:00

Freestyle, Motocross, Parkour, Escalada, Rapel, Mega Tiroleza, Arena Jungle, Bungee Fun, Full Pipe, New Zeland Zorbit, Slide 2×1, Mega Parede de Escalada, Giro Master, Arco e Flecha.
Arena Radical
Vale do Anhangabaú
08:00 do dia 24 às 16:00 do dia 25

Street, Bowl, Vertical, Miniramp, Clínicas
Virada Skate Radical
Parque Chacara do Jockey (Av. Francisco Morato, Altura 5110 – Vila Andrade SP)
09:00 às 17:00

In Line Patins
Open In Line 2016
Praça Dina (Rua Luiz Correa de Melo, 168, Sto Amaro SP)
10:00 às 16:00

Skate(Mega Mini Ramp), Escalada,Slackline,Balonismo
Virada Exchange 2016
Centro de Esportes Radicais de SP (Av. Presidente Castelo Branco 5.700, Bom Retiro
10:00 às 16:00

BMX, Bike, In Line, Bboys, Le Parkour e Slackline
Sampa Extreme
Parque CERET (Av. Canuto de Abreu s/nº)
09:00 às 17:00

Parede de Alpinismo, Tirolesa, Trampolim, Surf Machine, Futebol de Sabão e Pebolim Humano
Adventure In Sampa
Parque do Carmo (Av. Afonso Sampaio Souza, 951 – Itaquera)
09:00 às 17:00

Patinação de Velocidade, Patinação Artística, Patinação no Gelo e Freestyle Urban
Arena Patinação
Viaduto do Chá/Vale do Anhangabaú; Centro Esportivo Tietê (Av. Santos Dumont, 843), Centro de Esportes Radicais (Av. Presidente Castelo Branco, 5700 – Ponte Pequena – SP)
09:00 às 18:00

Queda Livre, Simulador de Vôo de Asa Delta, Escalada Modular
Adrena Park
CEE Tietê
10:00 às 18:00

Eject X, Big Jump, Zorbit Ball
Virada Radical
Centro de Esportes Radicais de SP (Av. Presidente Castelo Branco 5.700, Bom Retiro) e Vale do Anhangabaú
10:00 às 18:00

Taekwondo
Circuito Paulista de Lutas 2016 – Etapa 4
Instituto Cho (R. Domingos de Morais, 1626 – Vila Mariana) e Clube Esportivo Butantã (Rua Hernani da Gama Correa, 367 – Butantã
09:00 às 16:00

Bocha RAFA
Campeonato Paulista Feminino RAFA 2016
Esporte Clube Pinheiros (R. Tucumã, 142 – Jardim Europa)
08:00 às 18:00

Kung Fu
22º Campeonato Paulista de Kung Fu 2016
Ginásio Poliesportivo Mauro Pinheiro (R. Abílio Soares, 1300
09:30 às 18:00

Karatê
Torneio L.K.O de Karatê
CEU Tiquatira (Av. Condessa Elizabeth Robiano, s/ nº, com a rua Kampala, 270 )
08:00 às 17:00

Judô
20ª Copa de Judô
Clube “A Hebraica” (Rua Hungria, 1000 – Pinheiros)
08:00  às 18:00

Jogos da Cidade

Handebol Feminino
ETAPA REGIONAL –  JOGOS DA CIDADE
CENTRO OLIMPICO – QUADRA DE HANDEBOL – RUA PEDRO DE TOLEDO 1591 – VILA CLEMENTINO
11:00 CEU INACIO MONTEIRO – CIDADE TIRADENTES x HANDEBOL PARQUE DO POVO – SANTO AMARO
12:00 EC TANTO FAZ – CAMPO LIMPO x CLART FITNESS – IPIRANGA

Handebol Masculino
ETAPA REGIONAL – JOGOS DA CIDADE

CENTRO OLIMPICO – QUADRA DE HANDEBOL – RUA PEDRO DE TOLEDO 1591 – VILA CLEMENTINO
09:00 LPH – SANTO AMARO x HANDEBOL ATALIBA – VILA PRUDENTE
10:00 ANGELUS HANDEBOL – LAPA x A D HANDBOYS – IPIRANGA

Futsal Feminino
ETAPA REGIONAL – JOGOS DA CIDADE
CDC VILA CLEMENTINO – RUA DIOGO DE FARIA 1080 – VILA MARIANA
14:00 ADC JOSE BONIFACIO – ITAQUERA x ROMP FC – LAPA
15:00 INCRIVEIS FUTSAL – ARICANDUVA-FORMOSA x SAO PAULO GLADIADORAS FUTEBOL CLUBE – PINHEIROS
16:00 CEU INACIO MONTEIRO – CIDADE TIRADENTES x CANTAREIRA GIRLS – CIDADE TIRADENTES

Futebol
ETAPA MUNICIPAL – JOGOS DA CIDADE

CDC VILA CLEMENTINO – RUA DIOGO DE FARIA 1080 – VILA MARIANA
12:00 PETELEKOS VILA SILVIA – ERMELINO MATARAZZO x AVANT´S FUTSAL – CIDADE ADEMAR
13:00 MANOS F C JABAQUARA – VILA MARIANA x GREMIO JUVENTUDE VILA INDUSTRIAL ZL FS – VILA PRUDENTE

Futebol
ETAPA MUNICIPAL – JOGOS DA CIDADE

CDC JORGE TIBIRIÇA (PORTUGUESINHA DA VILA MARIANA) GRAMA SINTÉTICA – RUA JORGE TIBIRICA 700 – VILA MARIANA
13:30 BOLA DE OURO FUTEBOL CLUBE – FREGUESIA DO O x EXPLOSAO SAPENSE FC – IPIRANGA

CDC SERRA MORENA (GRAMA SINTÉTICA) – RUA ARAGUAIA, 749 – CANINDE
10:30 PENHAROL FC – SAO MIGUEL PAULISTA x ESPORTE CLUBE ELEDY – CAMPO LIMPO
12:00 GREMIO BOTAFOGO FC GUAIANASES – GUAIANASES x UNIAO DO CAMPO GRANDE FC – SANTO AMARO

Programação SESC

Tênis
Sesc Bom Retiro – Alameda Nothmann, 185
13:00 Tênis em Cadeira de Rodas

Tiro com Arco
Sesc Santana – Av. Luiz Dumont Villares, 579
10h30 às 18h

Goalball
Sesc Pompeia – Rua Clélia, 93
14:00 às 16:00

Hapkidô
Sesc Santo Amaro – Rua Amador Bueno, 505
16:30 às 18:00

Basquete 3×3 e Slackline
Sesc Campo Limpo – Rua Nossa Senhora do Bom Conselho, 120
14:00 às 20:00 Festival de Basquete 3X3 e Slackline

Tênis de Mesa
Sesc Itaquera – Av. Fernando do Espírito Santo Alves de Matos, 1000
Sesc Vila Mariana – Rua Pelotas 141

9:00 às 17:00

Stand Up Paddle e Rugby
Arena Move Zona Sul – Parque Praia do Sol
11:00 às 14:00

Reflexologia
Sesc Pinheiros – Rua Paes Leme, 195
10h30 às 11h30

PRAÇA ESPORTIVA – PAIS E FILHOS
Sesc Belenzinho – Rua Padre Adelino 1000
13h30 às 17h30

 

 

 

CEUs

CEU Casa Blanca
Festival de Dança CEU Casa Blanca 2016, Apresentações nas modalidades Clássico, Jazz, Livre, Dança de Rua, Dança de Salão, Dança do Ventre e Contemporâneo Nas categorias infantil, junior, juvenil, adulto, 3ª idade e mista.

CEU Guarapiranga
Caminhada e Liang Gong (8h às 10h), Aulão de Hidroritmos 10h às 11h), Piscina aberta (9h às12h e das 13h às 17h), Torneio de Natação (14h às 16h).
CEU Cidade Dutra
Campeonato infantil de Kung Fu, Tai Chi Chuan, Defesa Pessoal (Aula aberta).
CEU Três Lagos
Torneio de Handebol (das 8h às 11h), Futsal (das 12h às 14h), Basquete (das 14h às 16h), Vôlei (das 16h às 18h), Almoço dançante (12h).
CEU Jambeiro
Ginástica Artística (09h às 16h30), Judô (8h às 11h), Kung Fu (8h às 11h), Street Dance (14h30 às 16h).

 

CEU Meninos
Segunda Corrida e Caminhada CEU Meninos (8h às 10h), Copa FEST PAN de Futebol Amador (10h às 16h), Zumba (10h30 às 11h30), Basquete de rua (14h às 17h), Jogo de futsal adulto (17h as 18:30h).
CEU Parque Bristol
Hidroginástica (9h às 11h), Zumba Funcional e Aero Salsa (das 10h as 12h), Torneio de Ping Pong (das 12h às 14h), Hapikido (das 14h às 15h(, Flag Rubgy (das 15h as 17h), Batizado de Capoeira (das 10h às 16h).
CEU Azul da Cor do Mar
Gincanágua, Roda de Capoeira, Judô, Jogos e brincadeiras recreativas.
CEU Quinta do Sol
Voleibol (das 10h as 12h), Futsal (das 12h às 14h), Festival de Judô (das 12h às 16h), Voleibol Misto (das 16h às 18h).

CEU Pêra Marmello
Caminhada (9h), Piscina Aberta (com carteirinha, das 9h às 18h), Amistoso de Futsal (14h)
CEU Vila Atlântica
Baile de ouro (das 14h às 20h).
CEU São Rafael
Futsal, Oficina de Karatê, Recreação Aquática
CEU Três Pontes
Futebol, Futsal, Jogos Recreativos e Slackline
CEU Vila Curuçá
Jogo amistoso de veteranos, Jogo amistoso adulto, festival de voleibol feminino, festival de futsal feminino, jogo amistoso adulto.
Corridas de Rua

 

Circuito Popular  Vila São Francisco
Rua Candido Mota
7h, premiação 7h45.

Track & Field Villa Lobos III
Shopping Villa Lobos
7:00h

Se Toque Run
Instituto Se Toque – Campo de Marte
7:00h, premiação 8:30h
Ford Models Run
Concentração no Shopping Morumbi,  largada na marginal expressa
7:00, premiação 8:30
Global Energy Race 2016
USP
7:00

MANIFESTO DO MOVIMENTO NACIONAL EM DEFESA DO ENSINO MÉDIO

ensinomedio

MANIFESTO DO MOVIMENTO NACIONAL EM DEFESA DO ENSINO MÉDIO

O Movimento Nacional pelo Ensino Médio foi criado por dez entidades do campo educacional – ANPED (Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Educação), CEDES (Centro de Estudos Educação e Sociedade), FORUMDIR (Fórum Nacional de Diretores das Faculdades de Educação), ANFOPE (Associação Nacional pela Formação dos Profissionais da Educação), Sociedade Brasileira de Física, Ação Educativa, Campanha Nacional pelo Direito à Educação, ANPAE (Associação Nacional de Política e Administração da educação), CONIF (Conselho Nacional Das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional Científica e Tecnológica) e CNTE (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação) e foi criado no início de 2014 com vistas a intervir no sentido da não aprovação do Projeto de Lei nº 6.840/2013* . Para esse fim empreendeu um conjunto de ações junto ao Congresso Nacional e ao Ministério da Educação, além de criar uma petição pública. Destas ações resultou um Substitutivo por meio do qual, se não se logrou obter avanços, ao menos evitou-se o maior retrocesso. O Substitutivo ao PL 6.840/13 foi aprovado na Comissão Especial da Câmara dos Deputados em dezembro de 2014. Na atual conjuntura, diante da investida do Ministério da Educação em retomar a versão original do PL 6.840/2013, o Movimento Nacional em Defesa do Ensino Médio se vê mais uma vez convocado a se manifestar.

O Movimento Nacional em Defesa do Ensino Médio manifesta as razões pelas quais é contrário às proposições de reformulação presentes no PL 6.840/2013 e atualmente encampada pelo Ministério da Educação: a respeito da proposição de Ensino Médio diurno em jornada de 7 horas para todos, o Movimento Nacional pelo Ensino Médio entende que, em que pese a importância da oferta da jornada completa, a compulsoriedade fere o direito de acesso à educação básica para mais dois milhões de jovens de 15 a 17 anos que estudam e trabalham ou só trabalham (PNAD/IBGE 2011). Na mesma direção, a proibição de acesso ao ensino noturno para menores de 17 anos constitui-se em cerceamento de direitos além de configurar-se em uma superposição entre o Ensino Médio na modalidade de educação de jovens e adultos e o Ensino Médio noturno ‘regular’. A proposta para o Ensino Médio noturno com duração de quatro anos com a jornada diária mínima de três horas, contemplando o mesmo conteúdo curricular do ensino diurno desconsidera as especificidades dos sujeitos que estudam à noite, especificidades etárias, socioculturais e relativas à experiência escolar que culminam por destituir de sentido a escola para esses jovens e adultos. Do ponto de vista da organização curricular, a proposição de opções formativas em ênfases de escolha dos estudantes reforça a fragmentação e hierarquia do conhecimento escolar que as DCNEM lograram enfrentar. Retoma o modelo curricular dos tempos da ditadura militar, de viés eficienticista e mercadológico. A organização com ênfases de escolha para uma ou outra área contraria tanto a Constituição Federal quanto a LDB que asseguram o desenvolvimento pleno do educando e a formação comum como direito. A opção para o ensino superior vinculada à opção formativa do estudante retoma o modelo da reforma Capanema da década de 40 e se constitui em cerceamento do direito de escolha e mecanismo de exclusão. A proposta de opções formativas ou ênfases conduz à privação do acesso ao conhecimento bem como às formas de produção da ciência e suas implicações éticas, políticas e estéticas, acesso este considerado relevante neste momento histórico em que as fusões de campos disciplinares rompem velhas hierarquias e fragmentações. A organização curricular com base em temas transversais às disciplinas retoma o formato experimentado em período recente da educação brasileira a partir das Diretrizes Curriculares Nacionais anteriores às que estão em vigência, e que se mostrou inócuo. As atuais Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio (DCNEM) definem o currículo, em seu Art. 6º: “O currículo é conceituado como a proposta de ação educativa constituída pela seleção de conhecimentos construídos pela sociedade, expressando-se por práticas escolares que se desdobram em torno de conhecimentos relevantes e pertinentes, permeadas pelas relações sociais, articulando vivências e saberes dos estudantes e contribuindo para o desenvolvimento de suas identidades e condições cognitivas e socioafetivas”. (Resolução CNE/SEB 2/2012). Portanto, o currículo é visto como elemento organizador das experiências significativas que deve a escola propiciar. As atuais Diretrizes preconizam que haja uma estreita relação entre o conhecimento tratado na escola e sua relação com a sociedade que o produz. Desse modo, não cabe falar em “temas transversais”, posto que todo conhecimento, ao estar vinculado ao contexto social que o produziu adquire sentido e expressão na construção da autonomia intelectual e moral dos educandos. A inclusão no último ano do Ensino Médio da proposta de que o estudante possa fazer a opção por uma formação profissional contraria o disposto nos Artigo 35 da LDB 9.394/96 e desconsidera a modalidade de Ensino Médio Integrado à Educação Profissional, mais próxima da concepção proposta nas DCNEM e já em prática nas redes estaduais e federal. Desconsidera, ainda, pré-requisitos fundamentais para o aprimoramento da qualidade do Ensino Médio que vêm sendo indicados há décadas como necessários e urgentes e ainda não suficientemente enfrentados, tais como a sólida formação teórica e interdisciplinar dos profissionais da educação, em cursos superiores em contraposição às concepções “minimalistas” (Cf. Art 3º do PL 6.840 que altera o disposto no Art. 62 da LDB quanto às licenciaturas e propõe a formação por áreas do conhecimento).

A proposição recentemente anunciada pela Secretária Executiva do Ministério da Educação, Maria Helena Guimarães de Castro, de oferecer um Ensino Médio comum a todos por um ano ou no máximo um ano e meio, após o que se daria a partição em opções formativas ou ênfases como justificativa para um currículo “mais flexível” mutila e sonega o conhecimento escolar para a ampla maioria dos estudantes que se encontram no Ensino Médio público. Aliada à ideia de que a educação profissional possa ser uma das opções formativas e encaminhada à iniciativa privada, essas propostas configuram um aligeiramento ainda maior do que o proposto no PL original.

O Movimento Nacional se manifesta a favor de uma concepção de Ensino Médio como educação básica, como educação “de base”, e que, portanto, deve ser comum e de direito a todos e todas. Coloca-se, portanto, contrário às proposições que caracterizam um Ensino Médio em migalhas e configuram uma ameaça à educação básica pública e de qualidade para os filhos e filhas das classes trabalhadoras. O Movimento defende, amparado nas atuais Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio que, sendo a última etapa da educação básica, se assegure a todos e todas, cidadãos e cidadãs brasileiras, o acesso a uma formação humana integral, entendida como aquela que busca garantir o pleno desenvolvimento intelectual, afetivo, físico, moral e social, com base em princípios ético-políticos que sustentem a autonomia intelectual e moral e que oportunizem a capacidade de análise e de crítica, tendo, enfim, a emancipação humana como princípio e finalidade. O Movimento Nacional pelo Ensino Médio propõe a organização de um currículo que integre de forma orgânica e consistente as dimensões da ciência, da tecnologia, da cultura e do trabalho, como formas de atribuir significado ao conhecimento escolar e, em uma abordagem integrada, produzir maior diálogo entre os componentes curriculares, estejam eles organizados na forma de disciplinas, áreas do conhecimento ou ainda outras formas previstas nas DCNEM. Por meio dessa perspectiva se é capaz de enfrentar a excessiva hierarquia e fragmentação do conhecimento escolar e contribuir com a superação das concepções reducionistas que ora entendem o Ensino Médio como preparatório para o ensino superior, ora o dirigem para a formação mais restrita para o mercado de trabalho. Na defesa do direito ao Ensino Médio como educação básica, o Movimento Nacional reitera o que consta nas DCNEM sobre a necessidade de conter o abandono e qualificar a permanência dos jovens na última etapa da educação básica. Nesse sentido, assegurar o direito à educação e caminhar em direção à universalização do Ensino Médio passa por reconhecer as múltiplas juventudes que estão na escola, sua diversidade, necessidades e direitos.

*O PL nº 6.840/2013 é resultado do Relatório da Comissão Especial destinada a promover Estudos e Proposições para a Reformulação do Ensino Médio – CEENSI e propõe alterar a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996 com vistas a instituir a jornada em tempo integral no ensino médio, dispor sobre a organização dos currículos do ensino médio em áreas do conhecimento e dar outras providências.

Movimento Nacional em Defesa do Ensino Médio

Democratizar o acesso ao Esporte

14329986_661094030706138_4901095922454860932_n

 

#Erundina50éRAiZ e hoje falaremos sobre Esportes & Lazer:
As práticas esportivas e o sistema de produtos, serviços e relações de poder a elas vinculadas são reiteradas em espaços específicos de produção, ligadas a instituições públicas e privadas e espetacularizadas pela mediação dos veículos de comunicação.

Tais espaços de produção são também lugares de disciplinarização e modelação dos corpos, nos quais se inscrevem um conjunto de significados que revelam corporalidades instituídas que naturalizam desigualdades e reforçam relações de dominação social.

Nesse quadro, predomina no senso comum, em grande parte da mídia e na grande maioria das políticas públicas o reforço às práticas esportivas de alto rendimento, essencialmente concorrenciais e competitivas, e o seu mimetismo em atividades amadoras e/ou semiprofissionais, silenciando outras formas de expressões lúdicas e de corporalidades dissonantes e contestadoras de padrões sociais, comportamentais e estéticos dominantes.

Sem negligenciar a corporalidade atlética e o esporte de alto rendimento, que têm suas demandas legítimas, o desafio de um programa de governo popular e socialista é ultrapassar tais perspectivas e estabelecer o direito à cidade também através de outras práticas lúdicas e esportivas.

Assim, podemos reconhecer nas práticas esportivas a oportunidade de reverter a razão normativa que estabelece a inferiorização dos corpos das mulheres, que inibe a livre expressão da diversidade sexual, que reprime violentamente a presença das pessoas transgêneras e intersexuais e que reforça estigmas racistas, passando, assim, de uma definição restritiva do corpo legítimo à pluralidade do uso legítimo do corpo.

É também a oportunidade de superar a perspectiva do esporte como uma escola de coragem e virilidade, em busca da vitória e da competitividade a qualquer preço. É também a oportunidade de reconhecer práticas lúdicas e esportivas para além do calendário espetacular dos megaeventos esportivos.

Do mesmo modo, o apoio a práticas populares, colaborativas e lúdicas, bem como o diálogo e a vinculação de um programa de esportes aos movimentos sociais torna-se um imperativo para fomentar o exercício de uma cidadania crítica, transformadora e participativa que se diferencie dos modelos conservadores de gestão.

Democratizar de verdade o acesso ao esporte e às práticas corporais só é possível se considerarmos campos, ginásios e quadras como lugares de disputas ideológicas e estimularmos outros sujeitos a se apropriarem desses espaços públicos. Se recuperarmos a gestão pública eficiente desses equipamentos e garantirmos o seu uso efetivo pelos cidadãos paulistanos.

Mas, também, só é possível se levarmos em conta as dimensões sociais do corpo e das práticas esportivas. De modo que, garantir a sua democratização e universalização signifique reposicionar as políticas públicas no sentido da inclusão de setores populares preteridos, tanto socialmente quanto pela hegemonia dos corpos atléticos e pelos esportes de alto rendimento.

Assim, as práticas esportivas, de lazer e recreação readquirem o seu sentido de práticas sociais, transformadoras e questionadoras, ressaltando-se que se tratam de técnicas corporais lúdicas, portadoras de estruturas de reprodução de valores. Brincar na cidade, estendendo as práticas lúdicas a outros espaços, menos evidentes, é uma forma de ocupação pela ludicidade e constituição de uma cidade de pessoas.

Do corpo como território de interdições e tiranias, que imprime as costumeiras cicatrizes sociais, um programa de esportes deve contribuir para o desenvolvimento do corpo como território de liberdades e superações, que sejam signos do combate à dominação social.

Algumas Propostas:

• Pacaembu para as mulheres: constituição de um centro de treinamento e de organização de torneios e campeonatos de futebol de campo e futsal de mulheres no Pacaembu, acrescidos de palestras, debates e discussões visando o empoderamento das mulheres.
• Pacaembu palco da diversidade: organização de partidas e torneios de futebol e outras modalidades esportivas da diversidade e com equipes mistas como instrumento de combate ao machismo, ao sexismo e à homofobia, lesbofobia e transfobia.
• Recomposição, através de concursos públicos, do quadro técnico profissional da SEME, abandonado nos últimos anos.
• Ênfase na elaboração de políticas públicas para o desenvolvimento de esportes para as mulheres.
• Estímulo a práticas corporais e modalidades lúdicas populares não normatizadas pelos esportes de alto rendimento.
• Articulação das políticas públicas dos esportes com os movimentos sociais.
• Promoção de práticas corporais e torneios que reconheçam e ampliem os espaços de expressão da diversidade sexual e de gênero.
• Promoção de oficinas lúdicas itinerantes que incluam os equipamentos vinculados à administração direta da secretaria e os diversos parques do município, transformados assim em Parques Lúdicos.
• CDCs: Gestão direta, democratizar, capacitar os gestores e ampliar as práticas esportivas e lúdicas.
• Reestruturação e ampliação das modalidades esportivas do Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa do Ibirapuera.
• Articulação das práticas esportivas à cultura, saúde, educação e meio ambiente: uma cidade lúdica.

#Erundina50 #ProgramaDeGovernoColaborativo
#Esportes #Educação #Diversidade #Cultura
#ExperiênciaParaTransformar
#SonhosPodemGovernar

A imagem pode conter: sapatos, texto e uma ou mais pessoas

Danças circulares e sabedoria dos povos

dancascirculares

Curso: Danças circulares e sabedoria dos povos – 7ª edição

As Danças Circulares fazem parte de um movimento mundial de resgate de danças tradicionais e contemporâneas dos povos buscando o respeito, a união e a cooperação entre os indivíduos e o grupo. Estas danças possibilitam vivenciarmos de modo especial a alegria, a irmandade, o contato com a natureza numa comunicação não verbal, sendo um rico instrumento no trabalho de inclusão das questões sociais que envolvem nossa relação com o meio em que vivemos, ressaltando a necessidade de convivência pacífica, inclusiva e sustentável.
A partir da vivência com as danças e do conhecimento das tradições culturais que as inspiram, buscamos estimular o autoconhecimento e exercitar os valores da Cultura de Paz tais como ética, diversidade, afetividade, cooperação e sensibilização sobre as questões ambientais.
Este curso é um convite ao conhecimento da cosmovisão de alguns povos através de danças circulares e reflexão sobre os símbolos dançados. Conhecer as tradições culturais que estruturam os passos e gestos simbólicos que fazemos ao dançar possibilita uma melhor assimilação, compreensão e respeito diante da diversidade e auxilia no desenvolvimento de uma visão de mundo pacífica e sustentável.

Objetivo:
Propiciar vivência de Danças Circulares e conhecimento das tradições culturais que as inspiram estimulando o autoconhecimento e o respeito às diferenças, exercitando os valores da Cultura de Paz tais como respeito, ética, diversidade, afetividade, cooperação e sensibilizando sobre as questões socioambientais.

Conteúdo:

• Conceitos básicos sobre o Movimento das Danças Circulares Sagradas;
• 6 danças circulares tradicionais e contemporâneas baseadas nas tradições: tupi guarani, africana, andina, celta, tibetana e hindu;
• Conceitos básicos sobre as diversas tradições culturais;
• Valores da Cultura de Paz;
• Sensibilização sobre as questões socioambientais.

Vagas: 40
Público: interessados no tema.

Facilitação:
Estela Maria Guidi Pereira Gomes – Focalizadora de Danças Circulares e docente da UMAPAZ Formação. Especialista em Educação em Saúde Pública e Antropologia da Saúde, designer em sustentabilidade pelo Programa Gaia Education, coordena o Programa de Metodologias Integrativas na divisão de formação da UMAPAZ.
Samuel Souza de Paula – Pesquisador das culturas dos povos; estudioso do comportamento humano desenvolve trabalhos de integração entre corpo, mente e espírito. Parceiro da UMAPAZ Formação desde 2008 desenvolve cursos sobre a sabedoria indígena e Danças Circulares.
Coordenação: Estela Maria Guidi Pereira Gomes

Dias: 23 e 30 de setembro; 7, 14, 21 e 28 de outubro; 4, 11 e 18 de novembro de 2016, sextas-feiras
Horário: das 9h às 12h
Local: Sede da UMAPAZ – Parque Ibirapuera. Av. Quarto Centenário, 1268.
Pedestres: Portão 7A.
Estacionamento: Portão 7 da Av. República do Líbano (Zona Azul).

Inscrições: aqui