Notas

O farol paulistano

Conheça um pouco da história do primeiro jornal paulistano

As mulheres preferem olhar nos olhos dos homens

Certa vez li num jornal que o zoólogo Günter Tembrock – na época ele tinha uns 76 anos – um estudioso do comportamento reprodutivo dos animais, que ao fazer sua escolha a fêmea dá preferência ao macho que lhe parecer superior aos demais, característica que poderá garantir o desenvolvimento de seus descendentes. Sendo assim, a fêmea tolera a poligamia de seus companheiros…. A Moral dupla teria assim sua sólida base biológica!????
Na antiguidade, segundo alguns evolucionistas, o sucesso da espécie humana foi o investimento na criação dos descendentes. Portanto, em matéria de seletividade, a fêmea humana era inteligente (pois é: continua até hoje…) permitia apenas a aproximação daqueles que possuíssem bons genes e boa disposição e tato para ter cuidados com seus filhotes. Vai daí as dores de amores…
Ele, o macho, concorria, testava, ela, a fêmea, negava e testava (parece moderno?). Se ele ganhava a sorte grande, e isto ele sempre sonhava, se transformava no reprodutor. Mas desde aqueles tempos já existia dois tipos de homens: o “pai” (o que provia e cuidava) e o “borboleteador” (o que espalhava seus espermatozóides e vazava, caia fora…). Segundo esta teoria o tipo “pai”, protótipo de reprodutor ficava com mais fraqueza para o adultério. O perigo da traição enraizou o ciúme masculino. Sendo assim, o homem tende mais para o sexo oportunista, enquanto a fêmea tende ao sexo escolhido, afirmava na entrevistado o zoólogo Tempborck. Belo legado biológico!
Diante destas especulações científicas, o ciúme feminino está mais vinculado ao fator emocional do que às escapadas do reprodutor. Era assim no inicio da história da Humanidade é assim nos dias atuais!
Os olhos masculinos estão voltados para as regiões médias e inferior das mulheres, as áreas mais quentes, mas sensuais, mais reprodutivas…. ( que o digam os turistas que procuram as “popozudas no Rio de Janeiro). A mulher prefere olhar o homem no rosto e daí com sua inteligência descobrir o DNA em oito segundos… A mulher é rápida no gatilho!
Apesar do “olho no olho” ser a preferência das fêmeas elas não se dão por contente com isto apenas. Para as fêmeas não basta olhar o parceiro, a excitação vem com o contato físico. Bem, os machos também são estimulados por sinais visuais que o digam os que preferem peitos redondos e grandes por parecem nádegas!
Esses zoólogos! Os homens parecem sempre não querer uma mulher mais toda a espécie feminina… O acoplamento total!
Já as mulheres preferem uma minoria, dá mais atenção ao conteúdo do produto e não na quantidade, exceto é claro em se tratando de consumo no mundo das compras, onde o desejo de consumir extrapola qualquer olhar.
Bem, sendo assim, a mulher prefere olhar nos olhos dos homens e nas prateleiras das lojas (coisa que alguns homens já estão fazendo…) e os homens tem lá outros fetiches….

Massao Ohno – Poesia Presente, no Canal Curta

Quinta do Pensamento – 23/01

22h05 – “Massao Ohno – Poesia Presente” (documentário)
Nos anos 1960, Massao Ohno abriu portas para uma nova geração de poetas paulistanos ao publicar a “Coleção dos Novíssimos”. Em sequência, lançou Hilda Hilst e introduziu o haikai em português no Brasil. Este documentário retrata como Masso redefiniu o âmbito da poesia e do conceito gráfico editorial no país.  Diretora: Paola Prestes. Duração: 90min. Classificação: Livre. Horários Alternativos: 24 de janeiro, sexta-feira, às 2h10 e às 16h10; 25 de janeiro, sábado, às 10h; 26 de janeiro, domingo, às 19h; 27 de janeiro, segunda-feira, às 10h10.

Documentário sobre o ‘Woodstock brasileiro’ estreia no Curta!

 – “O Barato de Iacanga” (Documentário)
O documentário musical mostra os bastidores do Festival de Águas Claras, o mais lendário festival alternativo dedicado à música brasileira. A narrativa é construída a partir de Leivinha, idealizador do evento. Na época com 20 anos, ele organizou as quatro edições do festival (1975, 1981, 1983 e 1984) transformando a fazenda de seus pais no principal destino hippie daquele período. Diretores: Thiago Mattar. Duração: 94min. Classificação: 10 anos. Horários alternativos: 17 de dezembro, terça-feira, às 02h10 e às 16h10; 18 de dezembro, quarta-feira, às 10h10; 21 de dezembro, sábado, às 13h10; 22 de dezembro, domingo, à 22h10.

Cipriano Barata

Cipriano Barata

Hoje vamos falar sobre o Jornalista baiano José Cipriano Barata de Almeida (26/9/1762-7/6/1838), um dos mais combativos defensores da independência do país do período do Império.
Cipriano José Barata de Almeida foi um médico e político baiano, que teve importante participação na liderança da Conjuração Baiana (1798), também conhecida como Conspiração dos Alfaiates. Cipriano Barata tinha posição política liberal, foi um importante revolucionário e defensor da independência do Brasil em relação a Portugal, da liberdade e também da abolição da escravatura.
Cipriano Barata nasceu na cidade de Salvador (BA) em 26 de setembro de 1762. Estudou na Universidade de Coimbra, instituição em que se formou em Filosofia, Matemática e Cirurgia. isto mesmo Filosofia, Matemática e Cirurgia!
Enquanto estudava em Portugal, entrou em contato com os ideais de liberdade e igualdade, disseminados pelo Iluminismo.
Liberal-democrata, participa da Conjuração Baiana de 1798 e da Revolta Pernambucana de 1817.

Em 1821, foi deputado pela Província da Bahia.junto às Cortes Constitucionais, em Lisboa, em 1821 onde defende publicamente a separação do Brasil de Portugal.
Em 1822 cria o jornal Sentinela da Liberdade na Guarita de Pernambuco, no qual acusa o imperador dom Pedro I de se comportar de maneira absolutista.

Em 1823, foi eleito deputado para a Assembleia Constituinte. Porém, não assumiu, pois percebeu que ocorreria intervenção imperial. Fato que se comprovou. Neste mesmo ano, na província de Pernambuco, publicou o jornal liberal A Sentinela da Liberdade na Guarita de Pernambuco.

Foi preso em 1825, acusado de ter participado da Confederação do Equador. É libertado em 1830. Liberto em 1833, foi morar em Salvador, cidade em que criou o jornal Sentinela da Liberdade na Guarita do Quartel General de Pirajá.
A ousadia é punida com sucessivas transferências de prisão, o que sempre causa mudança no título da publicação.

Nos dois últimos anos de vida, após largar a política, atuou como professor de Francês na cidade de Natal.

Faleceu, aos 75 anos de idade, na cidade de Natal (RN) em 7 de junho de 1838.

Almirante Delamare

Em Junho de 1822, período da independência, o Chefe divisão Rodrigo Antonio Delamare comandava uma flotilha. Nessa época, chefiava as forças portuguesas na Bahia o general Inácio Luís Madeira de Melo (1775-1833), que acabara de receber reforços consideráveis para enfrentar os separatistas. Dom Pedro, para enfrentá-las, envia uma frota leve, uma frota de barcos leves da marinha de guerra brasileira, sob o comando do Chefe-de-Divisão Rodrigo Antônio Delamare, foi mandada bloquear a Bahia.

O futuro Almirante Partiu do Rio de Janeiro transportando tropas do general francês Pierre Labatut, a serviço do Império, com a missão de bloquear Salvador e dar fim à inquietude causada pelo jornal Constitucional, de Francisco Jê Acaiaba de Montezuma (1794-1870), futuro visconde de Jequitinhonha, que denunciara a intenção dos portugueses em atacar os brasileiros.

O Almirante Delamare exerceu posteriormente atividades no Supremo Tribunal Militar. Foi-Nomeado Vogal em 3 de janeiro de 1828, tendo sido dispensado em 19 de dezembro de 1833. Delamare falece em 04 de maio de 1840 e foi sepultado nas catacumbas da Igreja de São Francisco de Paula que localiza-se hoje no largo de São Francisco de Paula, no centro histórico da cidade do Rio de Janeiro.

Curta, compartilhe e inscreva-se no Vitrine do Giba iremos falar mais sobre os personagens da independência do Brasil e que hoje muitos são denominações de ruas no bairro do Ipiranga na cidade de São Paulo.