Alimentação

Agosto, mês do morango!

Morango

Mês: agosto 

O morango é uma fruta delicada e deve ser manipulada o mínimo possível, sendo conveniente adquirir o produto condicionado em caixinhas.
É uma fruta com grande quantidade de vitamina C, evita a fragilidade dos ossos e a má formação dos dentes, dá resistência aos tecidos, age contra infecções e ajuda no processo de cicatrização.
É ainda eficiente contra infecções de fígado, garganta e vias urinárias.
O morango amassado com mel é um ótimo remédio para males dos rins e suas folhas são consideradas excelentes como diurético.

ALGUNS CUIDADOS BÁSICOS: Convém lavá-los cuidadosamente para eliminar impurezas. Lavá-los em água corrente. Deixe de molho em água acidificada (limão ou vinagre) durante 15 minutos. Só retire o cabinho na hora de comer para não perder os nutrientes. 

CUIDADOS NA COMPRA: Na hora da compra, verifique o estado dos morangos das camadas inferiores. Ele deve ser bem vermelho, sem manchas ou partes amolecidas. 

CONSERVAÇÃO: Por serem altamente sensíveis, recomenda-se não guardar os morangos por muito tempo (de 3 a 4 dias na geladeira), sem serem lavados, pois a água favorece o seu apodrecimento. 

PERÍODO DE COMPRA: É um produto de época bem definida, sua oferta no mercado acontece em agosto e setembro. Recomenda-se principalmente o mês de agosto como o melhor para compra, pois é quando o morango está com ótima qualidade e é vendido a preço razoável.

Propriedades nutricionais

O morango é um alimento com baixo valor calórico (cerca de 38 calorias por 100 gramas), porém muito rico em diversos nutrientes, como vitaminas C, A, B5 e B6. Dentre os minerais, o cálcio, potássio, ferro, selênio e magnésio são os de maior destaque na composição. Outro nutriente encontrado em grandes quantidades no morango são as fibras, cerca de 2,5 gramas por 100 gramas.

Segundo Milene Massaro Raimundo, diretora do Centro de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável (Cesans), da Coordenadoria de Desenvolvimento dos Agronegócios (Codeagro), a fruta também é rica em antioxidantes, como antocianinas e o ácido elágico, que auxiliam no combate ao envelhecimento precoce, na prevenção de doenças cardiovasculares e de diversos tipos de câncer e na redução de inflamações. Além disso, possui “zeaxantina”, uma substância importante para a saúde dos olhos.

“O fortalecimento do sistema imunológico, o melhor funcionamento do sistema digestivo e o auxílio no processo de cicatrização também estão entre os principais benefícios nutricionais relacionados ao consumo de morangos. Vale destacar que se trata um alimento muito versátil que pode ser consumido de várias maneiras: in natura, suco, sobremesas, bolos e até mesmo saladas”, afirma a nutricionista.

Livros da Coleção Cerrado podem ser baixados gratuitamente

Onze publicações clássicas sobre o Cerrado estão agora disponíveis para download gratuito. A Coleção Cerrado aborda temas como ecologia e flora, matas de galeria, aproveitamento alimentar, correção de solo e adubação, entre outros. 

Os títulos foram publicados durante catorze anos, entre 1998 e 2012, reunindo informações da equipe de pesquisadores e técnicos da Embrapa Cerrados. O conteúdo se mantém atualizadas até hoje e é muito usado por estudantes.

Antes apenas comercializadas no formato impresso pela Livraria da Embrapa, as publicações, agora em formato digital, podem ser baixadas pelo site da Empresa. “Consideramos relevante oferecer esses livros gratuitamente para a sociedade. As publicações ajudam na melhor compreensão do bioma Cerrado, tanto para seu desenvolvimento, quanto para sua preservação”, afirma Shirley Araújo, bibliotecária da Embrapa Cerrados. 

Felipe Ribeiro, pesquisador da Embrapa Cerrados e autor de algumas obras da coleção, lembra que o conhecimento deve servir a sociedade e que a comunidade científica não pode se esquecer dessa finalidade. Ele completa: “Em geral não valorizamos aquilo que não conhecemos. Essa é uma grande oportunidade para que as pessoas conheçam mais sobre esse nosso grande Cerrado. O conhecimento aqui disponibilizado mostra o valor do bioma Cerrado, não apenas para os cerratenses que aqui vivem, mas para todo o Brasil, mostrando como fazer a conservação do nosso solo, da água, da biodiversidade, enfim, dos nossos recursos naturais”.

O pesquisador Alexandre Spetch enfatiza que explica o formato digital gratuito facilita a divulgação dos conteúdos para as famílias, grupos de amigos, pesquisadores e outros interessados: “Acredito que terá um efeito enorme na divulgação dessas obras”. 

Títulos para download

Cerrado – Matas de Galeria

José Felipe Ribeiro (1998)

Aponta a importância econômica, ambiental e científica das matas para a conservação da água e dos solos. Sua manutenção e perenidade dependem do uso racional e planejado das nascentes e das matas ciliares. A obra ainda representa as causas da degradação das matas ciliares, aborda questões relacionadas a produção de mudas, germinação, crescimento e conservação das espécies, recuperação, além de apresentar 68 famílias com 212 gêneros e quase 500 espécies do Cerrado. 

Cerrado – Aproveitamento alimentar

Semíramis Pedrosa de Almeida (1998)

Traz mais de 200 ideias práticas para o pequeno produtor agregar valor ao produto gerado em sua chácara ou fazenda, considerando uma série de parâmetros de sustentabilidade. Um deles é a capacidade de carga do ambiente trabalhado, já que a coleta de frutas do Cerrado ainda é uma atividade quase que exclusivamente extrativista.  

Cerrado – Caracterização e recuperação de matas de galeria
José Fellipe Ribeiro; Carlos Eduardo Lazarini da Fonseca; José Carlos Sousa-Silva (2001)

O livro introduz o leitor no ambiente das matas de galeria no contexto da região do Cerrado, caracterizando e enfatizando as formações florestais bastante complexas que essa região comporta. São apresentados estudos de caracterização de solos; aspectos sobre a vegetação; fenologia e biologia reprodutiva de espécies-chave; padrão de dispersão de todas as espécies lenhosas encontradas nos levantamentos no Distrito Federal até 1999. Reúne ainda estudos sobre a fauna, com resultados de inventários quantitativos e qualitativos, e os microrganismos presentes nessas áreas.

Cerrado – Ecologia e caracterização
Ludimilla Moura de Souza Aguiar; Amabílio José Aires de Camargo (2004) 

A riqueza de espécies tanto da flora quanto da fauna do Cerrado é muito expressiva, representando cerca de 30% da biodiversidade brasileira. Os conhecimentos sobre os processos ecológicos que regem a estruturação e o funcionamento das relações bióticas e abióticas no bioma são importantes para mitigar impactos sobre sua diversidade e para utilização sustentável dos recursos naturais.                                                                                

Cerrado – Correção do solo e adubação
Djalma Martinhão Gomes de Sousa; Edson Lobato (2002)

Destaca as tecnologias que tornaram possível o ótimo desempenho agropecuário da região, que permitiram incorporar os solos altamente intemperizados, ácidos e pobre em nutrientes ao processo produtivo agrícola. Coloca à disposição dos leitores uma série de informações imprescindíveis para o manejo sustentável dos solos. Traz recomendações de correção do solo e de adubação compatíveis para uma produção agrícola, pecuária e florestal que atenda o produtor e a sociedade, em harmonia com o ambiente do Cerrado de forma permanente. 

Cerrado – Adubação verde
Arminda Moreira de Carvalho; Renato Fernando Amabile (2006)

As plantas condicionadoras de solo (adubos verdes e plantas de cobertura) representam uma das opções de diversidade de espécies com reflexos na qualidade do solo e, consequentemente, dos agroecossistemas estabelecidos em áreas de Cerrado. O livro aborda desde o histórico da utilização dos adubos verdes, incluindo sua introdução no Cerrado, até o estudo de viabilidade econômica de seu uso em agroecossistema desse bioma.

Cerrado – Uso eficiente de corretivos e fertilizantes em pastagens
Geraldo Bueno Martha Júnior; Lourival Vilela; Djalma Martinhão Gomes de Sousa (2007) 

A necessidade de adubação das pastagens nessa região do Cerrado é evidenciada pelo fato de que a maioria dos solos não fornece nutrientes na quantidade adequada para o crescimento das plantas e nos níveis de extração das forrageiras utilizadas na formação de pastagens. Os baixos retornos econômicos obtidos pela pecuária se dão pela baixa produção de forragem, que pode ser consequência da não utilização de fertilizantes e pelo manejo do pastejo deficiente. A publicação traz recomendações de adubação de acordo com a intensidade e uso e o tipo de solo, capazes de melhorar a capacidade produtiva das pastagens cultivadas.

Cerrado – Ecologia e Flora (volumes 1 e 2)

Sueli Matiko Sano; Semíramis Pedrosa de Almeida; José Felipe Ribeiro (2008)

A partir da atualização e do acréscimo de conteúdo à publicação esgotada Cerrado: ambiente e flora, esta traz uma lista aumentada da flora do Cerrado, em formato de banco de dados, com descrição e classificação dos organismos, dentro dos sistemas taxonômicos. Isso porque os autores entendem que para utilizar e preservar o bioma Cerrado, é necessário primeiro conhecer suas fitofisionomias e as espécies que a compõem.

Cerrado – Desafios e oportunidades para o desenvolvimento sustentável
Lucília Maria Parron; Ludmilla Moura de Souza Aguiar; Eny Duboc; Eduardo Cyrino Oliveira-Filho; Amabílio José Aires de Camargo; Fabiana de Gois Aquino (2008)

O Cerrado tem cerca de 320 mil espécies vegetais, animais e de microrganismos, além de importante produção agropecuária. No entanto, nas últimas décadas, os recursos naturais têm sido tratados de forma fracionada, como se eles não fossem componentes de um sistema dinâmico. Trabalhar de forma sistêmica e desenvolver tecnologias menos agressivas ao meio ambiente contribui para a conservação e a utilização planejada dos recursos. Nesse sentido, a publicação apresenta os avanços no desenvolvimento de tecnologias compatíveis com os cenários atuais e futuro.

Cerrado – Micorriza arbuscular: ocorrência e manejo
Jeanne Christine Claessen de Miranda (2008)

A associação benéfica entre fungos micorrízicos e raízes de plantas sempre esteve presente em todos os sistemas de produção e tem contribuído significativamente para a sua sustentabilidade e para a preservação ambiental. A publicação apresenta os conhecimentos e os resultados de estudos realizados durante 30 anos sobre o tema, considerando duas linhas principais: manejo dos fungos micorrízicos arbusculares nativos e da micorriza arbuscular nos sistemas de produção; inoculação desses fungos para implementação de modelos de desenvolvimento sustentável. 

Todas as publicações estão disponíveis na página da Embrapa Cerrados. Clique aqui para fazer o download da coleção.

Bolo Cremoso de Abacaxi com Coco Zero Açúcar

Desenvolvido pela Criadora de Conteúdo Culinário Maviane Chiappetta, o bolo clássico é uma excelente sugestão para servir no geladíssimo após as refeições

Desenvolvido com Adoçante Culinária Lowçucar, a receita resulta em uma massa extremamente macia com aquele aroma que se espalha por toda casa enquanto fica pronto. Vamos acompanhar o passo a passo para fazer ainda hoje?

Ingredientes: Doce de Abacaxi:1 abacaxi picado 2 xícaras de água.2 colheres de sopa de adoçante. 

Modo de preparo: Doce de AbacaxiEm uma panela coloque todos os ingredientes e leve ao fogo. Deixe cozinhar por 20 minutos em fogo baixo, desligue e reserve..

Ingredientes: Massa 4 ovos 3 colheres de sopa de Óleo de Coco 4 colheres de sopa de Adoçante Culinária Lowçucar1 xícara de leite morno1 xícara de farinha de arroz1 colher de chá de extrato de baunilha 1 colher de sopa de fermento em pó (rasa)1 xícara de leite de coco diluído em mais 1/2 xícara de leite para umedecer o bolo.50g de coco ralado sem açúcar. 

Modo de preparo: Massa Pré aqueça o forno a 180⁰.Bata as claras até ponto de neve e reserve.Na batedeira, adicione as gemas, o adoçante, o óleo de coco e bata até formar um creme claro, em seguida, adicione o leite, a baunilha, a farinha de arroz e bata para misturar os ingredientes. Finalize colocando as claras em neve e o fermento. Unte uma forma e asse até o palito sair limpo. 

Ingredientes: Creme500ml de leite 1 colher de sopa bem cheia de amido de milho 3 colheres de sopa de Adoçante Culinária LowçucarMetade do abacaxi picado com calda que se formou no cozimento.1/2 caixa de creme de leite

 Modo de Preparo: Creme

No liquidificador coloque o leite, o amido, metade do abacaxi cozido o adoçante e bata. Em seguida leve para o fogo mexendo sem parar, assim que ferver deixe cozinhar por um minuto, desligue o fogo e misture o creme de leite..Montagem:Molhe o bolo com a mistura de leite de coco com leite, em seguida cubra o bolo com o creme, adicione o restante do abacaxi cozido e finalize com coco ralado. 

Dica Especial: Sirva bem gelado.

FOLHADINHOS DE SARDINHA COM LIMÃO

Gomes da Costa/Divulgação

Preparo: 55 min.

Rendimento: 20 porções

Ingredientes

1 lata de Sardinha com Limão Gomes da Costa

Meio pacote de massa folhada laminada, descongelada (150g)

Gema para pincelar

 
Modo de Preparo

Com o auxilio de um garfo, amasse a Sardinhas Gomes com o molho de limão, de maneira a formar uma pasta.

Desenrole-a, para obter um retângulo com cerca de 12,5x40cm.

Corte a massa ao meio no sentido do comprimento, formando 2 tiras de cerca

de 6,5cm x 40cm.

Distribua no centro de cada tira de massa metade da pasta de sardinha (faça

uma fileira com a pasta no meio da tira).

Feche a massa dobrando-a sobre o recheio. Não é necessário enrolar a

massa, basta uni-las.

Corte cada tira recheada em 10 pedaços (cerca de 2,5cm cada). Proceda da

mesma forma com toda a massa.

Distribua os folhadinhos numa assadeira (deixando um pequeno espaço entre

eles).

Cubra a assadeira com papel alumínio e leve ao congelador ou freezer por

cerca de 20 minutos.

Retire o papel alumínio, pincele a gema pela superfície da massa e leve ao

forno preaquecido (180ºC), por cerca de 15 minutos ou até folhar e dourar.

Sirva morno ou frio.

Tempo de Congelador/Freezer: 20 minutos

 
Dica do Chef

Você pode deixar os folhadinhos prontos no freezer/congelador e assar no

momento em que for consumir.

 
Variação

Salpique castanha de caju picada sobre a gema.

ARROZ DE FORNO DE ESPINAFRE COM SARDINHA

Gomes da Costa/Divulgação

Preparo: 40 min.

Rendimento: 3 porções

Ingredientes

1 colher (sopa) de óleo

1 cebola pequena picada

1 xícara (chá) de arroz

2 xícaras (chá) de água fervente

Sal a gosto

1 lata de Sardinha com Molho de Tomate Picante Gomes da Costa (125g)

Meia xícara (chá) cheia de espinafre cozido e refogado

4 ovos

Sal a gosto

2 colheres (sopa) de queijo tipo parmesão ralado

 
Modo de Preparo

Numa panela média, aqueça o óleo e refogue a cebola até começar a

murchar. Junte o arroz e refogue demoradamente.

Acrescente a água fervente e tempere com sal a gosto. Abaixe o fogo, tampe

a panela e cozinhe até o arroz secar.

Retire do fogo e adicione a Sardinha Gomes da Costa com seu molho e o

espinafre. Misture bem.

Distribua a preparação num refratário quadrado e baixo (cerca de 16 cm).

Com o auxílio de 1 colher de sopa, faça 4 covas na superfície do arroz.

Coloque 1 ovo em cada cova e polvilhe o sal sobre os ovos.

Salpique o queijo por toda a superfície. Cubra o refratário com papel alumínio.

Leve ao forno médio (180ºC), preaquecido, por cerca de 15 minutos ou até

que o ovo cozinhe.

Sirva em seguida.

 
Dica do Chef

Meia xícara (chá) de espinafre cozido equivale a cerca de meio maço médio. Retire as folhas de espinafre, lave-as e coloque-as numa panela. Tampe a panela e cozinhe em fogo baixo até murchar. Retire da panela e pique o espinafre

 
Variação

Substitua o espinafre por brócolis.

PIZZA DE FOGÃO COM ATUM

Gomes da Costa/Divulgação

endimento: 3 porções

Tempo total: 70 minutos

Cozimento: 50 minutos

Preparo: 20 minutos

 

Ingredientes:

Massa:

3 xícaras (chá) de farinha de trigo (450g)

1 colher (café) de fermento em pó (3g)

1 pitada de sal

1 colher (sopa) de margarina ou manteiga (20g)

1 ovo (60g)

1 xícara (chá) de leite morno (240ml)

 

Recheio: 

1 lata de Atum Sólido em Óleo Gomes da Costa

1 sachê de molho de tomate (340g)

1 lata de milho verde (200g)

3 unidades de Palmito Gomes da Costa cortadas em rodelas médias (cerca de 150g)

3 colheres (sopa) de azeitonas verdes cortadas em rodelas (39g)

1 tomate cortado em rodelas (80g)

Meia cebola pequena cortada em rodelas finas (30g)

250g de queijo mozarela fatiado

Azeite Extra Virgem Gomes da Costa e orégano a gosto

 

Modo de Preparo:

Massa:

Numa tigela junte a farinha, o fermento e o sal. Acrescente a margarina ou manteiga e amasse com um garfo.

Junte o ovo inteiro e misture. Por último acrescente o leite e misture bem. Trabalhe a massa até soltar das mãos. Se necessário vá acrescentando mais farinha, aos poucos.

Divida a massa em 3 partes. Mantenha numa superfície enfarinhada para descansar por cerca de 10 minutos.

Com o auxílio de um rolo, abra cada porção de massa (uma de cada vez) e coloque-a numa frigideira grande ou assadeira redonda, antiaderente ou untada. Tampe a frigideira/assadeira e leve ao fogo brando por cerca de 10 minutos, girando de vez em quando e virando, de maneira que fique dourada dos dois lados.

 

Montagem da pizza:

Envolva o Atum Gomes da Costa em seu óleo.

Retire a frigideira/assadeira do fogo e monte cada uma das pizzas da seguinte maneira: distribua uma parte do molho de tomate, uma parte do Atum Gomes da Costa, cerca de 3 colheres (sopa) de milho escorrido, 1 Palmito Gomes da Costa cortado em rodelas, 1 colher (sopa) de azeitona, parte do tomate e parte da cebola.

Cubra com fatias de mozarela e regue com azeite e orégano a gosto.

Volte novamente ao fogo somente para o queijo derreter.

Sirva em seguida.

SARDINHA NA MORANGA

 

Rendimento: 10 porções

Tempo de Preparo: 25 minutos

Tempo de Cozimento: 3 horas e 30 minutos

 

Ingredientes

3 colheres (sopa) de óleo

2 cebolas picadas

5 colheres (sopa) de farinha de trigo

2 xícaras (chá) de leite

2 latas de Sardinha com Molho de Tomate 125g

2 colheres (sopa) de coentro ou salsinha picada

sal e molho de pimenta a gosto

1 embalagem de requeijão cremoso tipo Catupiry (250g)

Modo de Preparo

Abóbora:

Com a ajuda de uma faca bem afiada corte uma tampa na abóbora . Retire as sementes.

Lave bem a abóbora e tempere seu interior com sal.

Embrulhe a abóbora e a tampa com papel alumínio, de maneira que fique bem fechada. Cozinhe em forno médio (180ºC), preaquecido, por cerca de 3 horas ou até que espetando a polpa da abóbora com um garfo esta esteja macia. Retire do forno.

Para eliminar o líquido que se forma dentro da abóbora, vire-a com a abertura para baixo. Reserve.

Recheio:

Numa panela, aqueça o óleo e doure aí a cebola.

Junte a farinha dissolvida no leite e cozinhe mexendo sempre até encorpar.

Acrescente as Sardinhas Gomes da Costa com seu molho, o coentro ou salsinha, o sal e o molho de pimenta. 

Montagem

Espalhe o requeijão cremoso pela parte interna da abóbora.

Recheie a abóbora com o refogado de sardinha e cubra com a tampa da abóbora.

Leve a abóbora ao forno médio (180ºC) por cerca de 20 minutos ou até que a casca da abóbora comece a dourar.

Sirva a seguir.

 

Dica

Outro método de cozimento da abóbora: Numa panela grande, com água até a metade, coloque a abóbora. Tempere a água com sal. Cozinhe a abóbora em panela tampada até que, enfiando-se um garfo, ele entre sem dificuldade (cerca de 2 horas).

Variação

Retire uma tampa maior e cubra toda a abertura com batata palha.

Dicas alimentares

Foto por Michelle Reeves em Pexels.com

ABACATE:

Conservar: Para conservar o abacate maduro por alguns dias, enrole o abacate em um pano úmido e coloque na geladeira. Fique atenta, se o pano secar umedeça novamente.

Amargo: O abacate não totalmente maduro, não é bom para ser usado em pratos salgados (saladas, etc.) Ele dá um gosto amargo à comida. Portanto use sempre abacates maduros, se for misturá-los com outra comida. 

Saber: Na hora de comprar escolha os abacates maiores, que ainda tenham o caroço preso (sacuda e você sentirá), sem manchas ou amassados e de cor verde claro.

ABACAXI:

Acompanhamento: O Abacaxi combina com vários tipos de pratos salgados (saladas, presunto, etc.), doces (saladas, tortas, mousses, etc.), bebidas alcoólicas e sem álcool. Abacaxi com presunto é uma ótima entrada.

Amadurecer: Para amadurecer um abacaxi mais rapidamente enrole em duas ou três folhas de jornal e deixe em um lugar de sombra.

AMÊNDOA:

Descascar: Se você precisa retirar a pele da amêndoa, a sugestão é colocá-las de molho em água fervente. Retiradas da água e espremidas com os dedos as cascas soltam facilmente. Depois coloque em água fria para clarearem, retire e enxugue com pano.

BANANA:

Escurecimento: Para não correr o risco da salada de frutas ficar com uma aparência “estranha” as bananas usadas devem antes serem mergulhadas em suco de limão ou laranja para que não escureça. 

Calda: Um velho truque é acrescentar um pedaço de casca de banana na calda em que será cozida, ela fica muito mais bonita, rosada.    

Grude:  Para evitar que na hora de fazer o doce de banana pegue no fundo da panela, uma dica é adicionar uma colher pequena de chocolate em pó à mistura. (açúcar e banana).

COCO:

Escurecimento: Se vai decorar um bolo com coco e não quer correr o risco dele escurecer, então polvilhe com o açúcar.

Aproveitamento: Para aproveitar melhor o coco coloque-o para esquentar no forno por alguns minutos antes de abrir, ele vai se soltar da casca mais facilmente. 

LARANJA:

Sabor: A casca da laranja seca ao sol ou no forno pode ser usada para dar um sabor especial a muitas comidas, como por exemplo milk-shakes, chás, suflê, omeletes, etc.

Soltar: Para que aquela difícil membrana branca da laranja solte dos gomos mais facilmente deve-se colocar a fruta de molho em água bem quente (fervendo) por uns 5 minutos.

Espremes: Para facilitar espremer, as laranjas devem ser colocadas no microondas durante 3 a 4 segundos na potência máxima.

LIMÃO

Aproveitamento: Para retirar ao máximo do suco de limão coloque-o num recipiente fechado, com água, na geladeira até a hora de usar.

Economia:  Usar somente algumas gotas de um limão inteiro às vezes acontece, para evitar esse desperdício, aqui está uma ótima dica. Fure o limão com um palito, retire as gotas que precisa e volte a enfiar o palito no buraco para que este fique tampado. Coloque na geladeira.  

LARANJA – quais os tipos e diferenças

Laranja da Baia ou Umbigo
Tem sabor adocicado, polpa muito suculenta e casca amarelo-gema. Dá bastante suco, podendo ser consumida ao natural, em refrescos ou como ingrediente de pratos especiais.

Por ser pouco ácida, seu suco pode ser misturado ao de outras variedades (como laranja-pêra e laranja-barão) com bons resultados. É o tipo de laranja que contém a maior quantidade de vitamina C.

Laranja da terra ou Cavala, Azeda, Bigarada

Tem cor amarelo-forte com tons avermelhados, forma achatada e não é muito grande.

De sabor ácido e polpa suculenta, pode ser consumida em forma de suco, mas a melhor maneira de prepará-la é a compota, tipo de doce em que a casca também pode ser usada

Laranja Lima

É a variedade menos ácida, sendo, por isso, muito recomendada para bebês. Tem casca fina de cor amarelo-clara, sabor suave e doce e polpa muito suculenta.

É ótima para ser comida em gomos, mas não se presta a outros preparos culinários.

Laranja Seleta

Quase do tamanho da laranja-da-baía, é bem suculenta, tem sabor adocicado, pouco ácido, e casca amarelo-clara.

Excelente para ser consumida ao natural ou em sucos, não se presta para preparações culinárias.

laranja Pera
Menor que as outras variedades, tem casca fina e lisa, cor amarelo-avermelhada e polpa suculenta. Tem sabor adocicado, e é especial para o preparo de sucos e geléias.

Laranja Barão

Embora com formato parecido ao da laranja-pêra, é menor e tem cor mais clara. Sua casca é fina e lisa e a polpa muito suculenta, sendo recomendada para o preparo de sucos e pratos especiais

Aspectos Gerais de uma Alimentação Saudável

Foto por Luna Lovegood em Pexels.com

Aspectos Gerais de uma Alimentação Saudável

O processo de nutrição é  iniciada quando escolhemos os alimentos para a nossa refeição, os quais fornecerão energia e nutrientes para o bom funcionamento do organismo. Sendo assim, é necessário adotar uma alimentação  variada e equilibrada.

A alimentação das pessoas e o seu estilo de vida vêm mudando gradativamente com o passar dos anos, e estas mudanças têm sido as grandes responsáveis pelo aumento significativo de doenças associadas à má nutrição. 

Grande parte dessas doenças poderia ser evitada,  adotando-se alimentação e estilo de vida mais saudáveis!

Conceitos básicos de uma alimentação saudável:

  • Monte pratos bem coloridos. Combine as cores branco, vermelho, roxo, amarelo e verde dos alimentos.
  • Alimentos cozidos, grelhados e assados;
  • Consuma frutas, legumes e verduras de preferência crus;
  • Consuma cereais integrais;
  • Dê preferência a alimentos grelhados e cozidos; 
  • Alimente-se sempre com pequenas porções, isto é, ingerindo menor volume e menos calorias de cada vez; 
  • Utilize leite e derivados (iogurte, queijos) desnatados ou light; dê preferência às carnes magras; as leguminosas (feijões, ervilhas…) devem fazer parte do cardápio, pois contêm proteínas, ferro e fibras;
  • E não esqueça: Ao escolher sobremesas diet ou light, coma apenas uma porção, pois, em dobro pode significar o mesmo que comer um doce hipercalórico. 
  • Evite o consumo excessivo de doces, massas e frituras;
  • Faça 3 refeições (café da manhã, almoço e jantar) e 3 “lanches” leves (lanche entre o café da manhã e o almoço, lanche da tarde e ceia – após o jantar). 
  • Alimente-se sempre com pequenas quantidades, isto é, ingerindo menos calorias de cada vez. Assim a digestão fica mais fácil.

Cuidados na Compra de Alimentos

Escolha o supermercado pela higiene dos atendentes, organização e limpeza do ambiente e não apenas por vender alimentos mais baratos ou por ser mais próximo de casa. As medidas de higiene previnem a contaminação por germes que podem afetar a qualidade dos alimentos e provocar danos à saúde.

O que são alimentos perecíveis? 

Os alimentos perecíveis são aqueles que devem ser mantidos em condições especiais de temperatura para a sua conservação, pois pode ocorrer o desenvolvimento de germes se não forem guardados na temperatura recomendada pelo fabricante.

O que são alimentos não perecíveis?

Os alimentos não perecíveis são aqueles que possuem tempo de durabilidade longo e não precisam ser mantidos sob refrigeração, congelamento ou aquecimento. Podem ser armazenados à temperatura ambiente.

O que deve ser observado na escolha dos vegetais? 

Ao escolher os vegetais, observe: cor, aroma, grau de maturação (característico de cada espécie), frescor e integridade. Evite apalpar, apertar, quebrar talos, pois esta prática causa danos aos vegetais, facilitando o apodrecimento.

A cor dos alimentos, aparência e cheiro são fatores que precisam ser observados. Evite produtos amassados, folhas murchas ou secas. 

Ao fazer as suas compras, deixe para o fim os alimentos que necessitam de refrigeração, evitando que se estraguem.

A importância de consumir alimentos de época (safra):

Cada espécie ou variedade de planta tem preferência por um determinado clima e tem sua produção em uma estação climática mais favorável ao seu bom desenvolvimento. Consequentemente a qualidade de seus frutos (ou legumes), folhas e raízes, dos quais nos alimentamos, são muito melhores. A quantidade produzida também é bem maior.

Alimentos de época são:

  • Mais saudáveis;
  • Mais baratos;
  • Mais coloridos;
  • Mais suculentos;
  • Mais naturais;
  • Mais nutritivos;
  • Mais duráveis;

Higiene de Frutas e Verduras:

  • Escolha uma a uma, descartando as estragadas;
  • Lave em jato de água retirando os resíduos com as mãos;
  • Desinfete Mergulhando em solução clorada por 15 a 20 minutos ou em solução com vinagre;
  • Enxágüe novamente.