Alimentação

Alimentos funcionais

Uma alimentação equilibrada e variada incluindo, diariamente, alimentos de todos os grupos na proporção correta já fornece propriedades funcionais naturais, sendo desnecessária a aquisição de produtos industrializados para este fim.

Vamos conhecer um pouco mais sobre as propriedades dos alimentos

® Betacaroteno: Antioxidante que diminui o risco de câncer e de doenças cardiovasculares

Fontes: Abóbora, cenoura, mamão, manga, damasco, espinafre, couve

® Licopeno: Antioxidante relacionado à diminuição do risco de câncer de próstata.

Fonte: Tomate

® Fibras: Redução do risco de câncer de intestino e dos níveis de colesterol sanguíneo.

Fontes: frutas, legumes e verduras em geral e cereais integrais.

® Flavonóides: Antioxidantes que diminuem o risco de câncer e de doenças cardiovasculares.

Fontes: Suco natural de uva, vinho tinto

® Isoflavonas: Redução dos níveis de colesterol sanguíneo e do risco de doenças cardiovasculares.

Fonte: Soja

® Ácido graxo ômega 3: Redução dos níveis de colesterol sanguíneo e do risco de doenças cardiovasculares.

Fontes: Peixes, óleos de peixe

® Pró – bióticos: Ajudam no equilíbrio da flora intestinal e inibem o crescimento de microorganismos patogênicos.

Fontes: Iogurtes, leite fermentado

Aproveita as frutas da época

Abacate breda, abacaxi pérola, acerola, amêndoa, amora, avelã, banana prata, coco verde, graviola, jaca, laranja pera, lima-da-pérsia mamão havaí, manga palmer, melão amarelo, nozes, sapoti, tangerina murcote e uva thompson são algumas frutas do mês de novembro

Alimentação Saudável

 

                                                   

Por que precisamos de uma alimentação saudável?

Porque nosso organismo depende da alimentação para obter os nutrientes necessários à sua manutenção.

 

O que devemos fazer para ter uma alimentação saudável?

Para ter uma alimentação balanceada, precisamos ingerir todos os grupos de alimentos. Estes grupos, estão dispostos em uma roda ou pirâmide de alimentos.

 

A roda de alimentos possui 4 grupos de alimentos, que são eles:

 

  • Construtores: São as proteínas, que têm a função de construir e manter nossos tecidos e órgãos. Encontramos: nas carnes (boi, peixe, aves), ovos, leite e derivados (queijo, iogurtes, creme de leite), grãos (ervilha, feijão, lentilha, grão-de-bico). Também devem ser consumidos todos os dias em todas as refeições, mas evitando os alimentos gordurosos, dando preferência aos magros, desnatados, sem pele ou gordura aparente.

 

  • Energéticos: São os carboidratos, fornecem energia para o funcionamento do nosso organismo, mesmo quando estamos dormindo. Encontramos nos: pães, massas, bolos, biscoitos, mel, açúcar, batata, farinha, farofa, cereais, arroz, etc. Devemos consumir um alimento desse grupo em cada refeição, todos os dias, mas seu excesso pode levar ao aumento do triglicérides, que estão relacionados com a formação de placa de gordura nas artérias.
    • Gorduras: Também servem para fornecer energia, mas é o nutriente que mais fornece caloria, portanto, é o que mais “engorda”. Existem dois tipos de gorduras: animal e a vegetal. Devemos restringir o uso das gorduras de origem animal (gema de ovo, pele de aves, gordura aparente das carnes, gordura do leite integral, queijos amarelos, banha, toucinho, creme de leite, manteiga e embutidos), porque elas aumentam os níveis de colesterol sanguíneo. Temos que dar preferências às gorduras de origem vegetal (óleo de soja, girassol, milho, canola e principalmente o azeite), que auxilia na prevenção de doenças cardiovasculares. Mas mesmo assim, devemos controlar a quantidade consumida. Em relação às frituras, devemos lembrar que, por mais que o alimento esteja “sequinho” após a fritura, ele foi banhado em gordura, portanto, a caloria do alimento foi somada à caloria do óleo em que este foi banhado; e que o aumento da temperatura desse óleo vegetal para a fritura, transforma-o em gordura saturada, que aumenta o “mau colesterol” – LDL.

 

  • Reguladores: São as frutas, verduras e legumes, como o próprio nome já diz, servem para regular o nosso organismo. Fornecem vitaminas e minerais que são responsáveis para contribuir na prevenção de algumas doenças. Além disso fornecem água que auxilia na hidratação do nosso organismo e as fibras. As fibras são responsáveis pelo bom funcionamento do intestino, prevenção de câncer do intestino, auxilia no controle do colesterol e da glicemia e dão saciedade. Consumir de duas a três porções de frutas ao dia e folhas e legumes no almoço e jantar, diariamente.

 

 

 

 

Então, para uma refeição saudável, devemos ingerir um alimento de cada grupo. Independente de estar disposta num prato, num lanche ou na forma de sopa, a refeição deve conter um alimento do grupo dos energéticos, um alimento do grupo dos construtores e pelo menos um alimento do grupo dos reguladores, lembrando que o grupo das gorduras está inserido no preparo das refeições.

 

Cultive hortaliças em recipientes

Se você vive em apartamento e quer reativar o contato com a natureza saiba que pode cultivar hortaliças na sua casa.

Qualquer lugar que tenha sol pelo menos 4 horas diárias e recipientes como baldes de plásticos, vasos de cerâmica, garrafas PET ou caixa de madeira. Evite material que enferrujam.

 

Todos os materiais devem ter pequenos furos nos fundos e uma pequena camada de cascalho, pedra britada ou cacos de vasos de cerâmica para o escoamento do excesso da água.

A terra utilizada poderá ser a de jardim, misturada com terra vegetal (terra preta), em volumes iguais.

 

Você deve regar quando notar que a terra começou a secar, evitando o excesso de água. Mantenha o solo sempre úmido.

 

Dia do Enólogo

Dia do Enólogo

 

Dia 22 de outubro é celebrado o Dia do Enólogo e, para a ocasião, a Domno compartilha 5 dicas do enólogo Lucas Simões sobre como conservar melhor seus espumantes e garantir bons brindes para todas as ocasiões. Confira!

1- Quanto mais velho melhor?

Não somente com espumantes, mas com qualquer estilo de vinho, “quanto mais velho melhor” é um dos grandes mitos. Vinhos são bebidas vivas e, como tudo que é vivo, um dia declina. É um fato que alguns grandes espumantes podem suportar mais de 10 anos ou mais na garrafa, podendo evoluir e melhorar com o passar do tempo. Entretanto, o grande risco é perder os gases carbônicos (CO2) dissolvidos no líquido, pois naturalmente eles vão permeando a rolha.

2- Deve ser servido bem gelado ou em temperatura ambiente?

O espumante sempre deverá ser servido em temperaturas mais baixas. Entre 4°C para os espumantes mais doces e leves e, os já mais maturados e cremosos, ficam excelentes a 8°C. Se estiver mais gelado do que isto, seus aromas e sabores ficarão menos intensos. Caso contrário, em altas temperaturas, o gás se perderá mais rápido, além de tornar a bebida ácida e desiquilibrada.

 

3- Tem alguma dica de harmonização que seja ideal para alimentos leves (ideal para o clima primavera/verão)?

Para dias quentes, o ideal são pratos com maior acidez e que também possam ser consumidos em temperatura ambiente. Queijos brancos, salpicão, frutas secas, bruschettas, saladas, frutos do mar etc.

4- A escolha da taça influencia no sabor?

Sim. Para melhor visualização do perlage (borbulhas), o ideal é utilizar taças de cristal, pois o material apresenta maior porosidade, facilitando a liberação das borbulhas e consequentemente, melhor visualização. Nesse sentido, taças com o corpo mais delgado e longilíneas são as mais proveitosas. Estas taças são conhecidas com flute. Entretanto, há uma tendência de utilizar taças mais bojudas para a degustação de espumantes, pois podem não destacar tanto o perlage visualmente, mas liberam com mais intensidade os aromas da bebida. Taças do estilo tulipa também são recomendadas.

5- Após a abertura, devemos manter na geladeira ou no freezer?

Após a abertura da garrafa, caso o produto não seja consumido totalmente, pode-se armazená-lo na geladeira, pois a temperatura baixa ajuda a manter o CO2 dissolvido no líquido. O ideal é utilizar uma tampa especial para vedá-lo, preservando o produto por cerca de três dias.

Confira a tabela de safra das hortaliças

 

TABELA DE SAFRA E CARACTERÍSTICAS DA BOA QUALIDADE DAS HORTALIÇAS

 

HORTALIÇA SAFRA CARACTERÍSTICAS DA BOA QUALIDADE
Abóbora Setembro. Casca firme, sem manchas e rachaduras ou partes moles.
Abobrinha Outubro à

Dezembro, sendo

Novembro o melhor mês.

Casca brilhante, consistência firme, sem rachaduras ou marcas de picadas de bichos.

Por estragar facilmente, evitar comprar quantidade acima da que será rapidamente consumida.

Acelga Maio,

Agosto (melhor mês)

e Setembro.

Folhas novas, cor verde claro, talo verde esbranquiçado (quando o talo estiver mole ou com manchas pretas,é sinal  que a acelga passou do ponto de amadurecimento).
Agrião Agosto à Outubro (melhor mês). Folhas de cor verde bem escuro, brilhantes, firmes, tenras, sem manchas, sem marcas de picadas de insetos.
Alface Agosto à Dezembro, sendo Outubro o melhor mês. Folhas limpas, cor brilhante, sem marcas de picadas de insetos.
Alho Janeiro e Fevereiro. Dentes grandes, de consistência firme, recobertos por uma película fina e brilhante, polpa clara (se estiver amarelada é sinal que o alho está velho).
Almeirão Novembro. Maço com folhas menores é mais novo, firme e menos amargo.

Maço com folhas amareladas ou murchas indica estar velho.

Batata Outubro, Novembro e Dezembro e Janeiro. Casca lisa e fina, sem ceder à pressão dos dedos, sem manchas ou pontos escuros, sem brotos bolor ou cor esverdeada (indicam que está velha e sem sabor).
Berinjela Meses de altas temperaturas

(Dezembro à Maio).

Consistência firme; casca roxa, lustrosa e uniforme.

Rejeitar a machucada, enrugada e/ou muito madura, pois geralmente tem sabor amargo e desagradável.

Beterraba

 

Setembro à Janeiro, sendo Novembro o melhor mês. Tamanho médio, consistência firme, folhas brilhantes e viçosas.
Brócolis Outubro. Talos e flores verdes, sem marcas de picada de insetos.
Broto de Feijão Abril. Inadequado ao consumo quando murcho ou amarelado.
Cará Maio. Tamanho médio, consistência firme, sem manchas ou rachaduras.
Cebola Outubro até Janeiro, sendo Dezembro o melhor mês. Casca brilhante, seca, firme, lisa, sem machucados ou manchas.
Cebolinha Fevereiro. Sem folhas murchas e amareladas (que não são boas para consumo).
Cenoura Agosto à Dezembro, sendo Outubro o melhor mês. Consistência firme, casca limpa e lisa de cor alaranjado vivo, extremidades verdes (indicando evidência de sol durante o crescimento).
Chicória Janeiro e

Agosto à Novembro.

Folhas bem presas à base; cor verde viva na parte superior e clara na base, muitas vezes chegando a ser branca; sem folhas machucadas ou marcas de picadas de insetos.
Chuchu Março, Abril (melhor mês) e Maio. Cor uniforme, casca sem marcas ou machucados, consistência firma.
Couve

 

Dezembro Cor brilhante, folhas limpas, sem marcas de picadas de insetos.
Couve – flor Agosto à Outubro, sendo Setembro o melhor mês. Formato bem redondo, talos firmes, sem espaço entre os buquês, sem manchas pretas.

TABELA DE SAFRA E CARACTERÍSTICAS DA BOA QUALIDADE DAS HORTALIÇAS

 

HORTALIÇA

SAFRA CARACTERÍSTICAS DA BOA QUALIDADE
Escarola Agosto à Outubro. Folhas firmes, cor verde acentuada, sem manchas, sem marcas de picadas de inseto.
Espinafre Agosto à Novembro, sendo Outubro o melhor mês. Folhas frescas, de cor verde escura brilhante, tenras, limpas e sem marcas de picadas de insetos.
Ervilha Julho Ervilha Fresca: Vagens limpas, cheias, firmes, cor verde claro.

 

Ervilha Seca: Sem excesso de sujidade e de grãos muito quebrados.

 

Ervilha em Conserva: Consistência firme e odor característico (não devem ter consistência mole nem odor azedo).

Inhame Março à Setembro, sendo Julho o melhor mês. Firme; não ceder ao ser apertado com os dedos, mas também não muito duro.
Jiló Janeiro à Maio. Liso, brilhante, consistência firme, sem picadas de insetos,

cor totalmente verde (manchas amarelas indicam que o fruto já amadureceu e tem gosto muito amargo e desagradável).

Mandioca Abril à Setembro, sendo Junho o melhor mês. Polpa de cor branca ou amarelada, uniforme e casca soltando-se com facilidade.
Mandioquinha Junho à Outubro. Consistência firme, cor amarelo-claro, forma regular, sem pontos escuros.
Milho Verde Dezembro,

Janeiro (melhor mês),

Fevereiro e Março

Folhas de cor verde vivo e cabelo marrom-escuro nas espigas. Quanto mais amarela e seca a casca, mais o milho vai estar duro.
Mostarda Fevereiro. Sem folhas murchas ou amareladas.
Nabo Janeiro e

Julho à Outubro

Pele deve lisa, sem machucados ou manchas.
Pepino Março. Cor bem verde, casca lustrosa, consistência firme (quando rugosa, não é recomendável para consumo).
Pimentão Janeiro à Março e

Setembro à Outubro

Limpo, lustroso, uniforme, cabo verde. Quando está sem brilho e com pele enrugada e mole, não está fresco.
Quiabo Janeiro,

Fevereiro (melhor mês)

Março e Abril.

Consistência firme, bem cheio, com a ponta quebrando com facilidade, cor verde clara, sem deformação ou manchas.
Rabanete Agosto

Julho e Outubro.

Cor bem vermelha, liso, consistência firme.
Repolho Setembro até

Novembro (melhor mês)

Pesado; consistência firme; cabo de cor clara e consistência firme (estando mole e escuro indica que está velho).
Tomate Janeiro e

Junho à Dezembro

Para molhos, sopas ou cremes: Cor bem vermelha, maduros, sem machucados ou manchas.

 

Para saladas: Cor uniforme, lisos, consistência firme.

Vagem

 

Outubro à Janeiro, sendo Novembro o melhor mês. Consistência não cede à pressão da unha, e não é mole nem escura nas pontas quando fresca e boa para consumo.

 

Quibe de bacalhau

Ingredientes

500g de aparas de bacalhau bem limpas e dessalgadas por 12 horas no mínimo
1 e ½ xícara de trigo para quibe
1 cebola grande em cubinhos
½ xícara de salsinha picada
Azeite de oliva a gosto
1 litro de óleo vegetal para fritar

Preparo

1 Aqueça 2 litros de água numa panela grande, abaixe o fogo quando surgirem as primeiras bolhas nas laterais, ponha o bacalhau e cozinhe por 5 a 10 minutos, dependendo do tamanho das aparas, até a carne esbranquiçar e firmar.
2 Escorra, descarte peles e espinhas e transfira o bacalhau para uma tigela grande.
3 Ponha o trigo numa tigela média, cubra com água e deixe hidratar por 20 minutos.
4 Em seguida, esprema porções de trigo com as mãos para descartar o excedente de água e passe para a tigela do bacalhau.
5 Junte a cebola, a salsinha, um fio de azeite e misture até obter uma massa homogênea (se preferir uma massa bem lisa, processe todos os ingredientes juntos).
6 Para moldar os bolinhos, unte ligeiramente com óleo a palma das mãos, pegue 1 porção de massa com 1 colher (sopa) e molde dando o formato de quibe.
7 Aqueça o óleo numa frigideira grande e, banhando sempre com uma escumadeira, frite até 6 quibes por vez.
8 Escorra bem os bolinhos com uma escumadeira, seque sobre papel absorvente e sirva quentes.
Receita da chef Heloisa Bacellar, publicada no livro “Bacalhau – Receitas e Histórias das Águas Geladas às Caçarolas” (Editora DBA)

Festival de Camarão e Massas Ceagesp

Spaghetti com Camarao e Parmesao (Foto Eduardo Bacani)

Spaghetti com Camarão e Parmesão (Foto Eduardo Bacani)

 

Começa nessa quarta-feira (28/02), a partir das 18h, o Festival de Camarão e Massas Ceagesp, edição 2018. O mais novo evento gastronômico da cidade funcionará de quarta a domingo, e vai até 29 de abril. Serão mais de 50 itens pelo preço fixo de R$ 69,90 por pessoa (exceto bebidas e sobremesas).

Neste festival, a proposta é combinar camarões com diversas opções de massas e molhos. Também haverá risotos, pizzas, parmegianas, frango à passarinho, pernil, porqueta e outros pratos da culinária italiana.

O Espaguete com Camarão preparado no interior de uma esfera de queijo parmesão será uma das grandes atrações do Festival de Camarão e Massas Ceagesp. O prato, servido individualmente, é finalizado na frente do público.

O mesmo acontece com os risotos, que serão preparados sempre na hora, à la minute. Ilhas de preparação de pratos ficarão instaladas no salão do Espaço Gastronômico Ceagesp para garantir a temperatura ideal das massas.

Camarão e Massas

Os camarões continuam presentes neste novo festival, tanto nas massas quanto nas tradicionais opções consagradas nos festivais da Ceagesp. O Camarão Assado no Espeto e o Camarão Crocante com Tártaro e Limão, por exemplo, continuarão sendo servidos nas mesas, à vontade. O mesmo acontecerá com o Frango à Passarinho e a Polenta Frita.

Todas as semanas, o público encontrará várias opções de massas secas e recheadas, preparadas na Cozinha Gourmet Ceagesp. Nesta primeira semana (de quarta a domingo), além de espaguete com camarão, terá ainda penne, fettuccine e gnocchetti, com opções de molhos ao sugo, bolonhesa, romanesca e dois queijos.

No cardápio também haverá sempre uma opção de peixe. Nesta semana, será a vez do Salmão com Molho de Maracujá. As opções de entradas do novo festival ficarão por conta de pizzas, brusquetas e caldos diversos, além de casquinha de siri.

Uma farta mesa de saladas e antepastos também estará incluída no valor do evento. Conservas, patês, embutidos, vários tipos de queijos, pães e saladas diversas ficarão à disposição dos comensais. Nesta primeira semana, entre os destaques, estarão Abobrinha Grelhada com Tomate Seco e Manjericão, Berinjela Grelhada com Pesto, Rúcula com Parmesão, entre outras opções.

Funcionamento

O Festival de Camarão e Massas Ceagesp 2018 funcionará de quarta a domingo. De quarta a sexta, o horário será das 18h à 0h. Aos sábados, das 12h às 17h (almoço), e das 18h à 0h (jantar). Aos domingos, das 12h às 17h (apenas almoço).

A entrada será pelo Portão 4 da Ceagesp, na altura do 1.946 da av. Dr. Gastão Vidigal, na Vila Leopoldina, zona oeste da capital. O estacionamento para automóveis ficará no Portão 4, com preço especial para os frequentadores do evento. O estacionamento para Motos será somente pelo Portão 2, na mesma avenida.

Serviço

Festival de Camarão e Massas Ceagesp

  • Quando: de 28 de fevereiro a 29 de abril
  • Horários: de quarta a sexta, das 18h à 0h. Aos sábados, das 12h às 17h, e das 18h à 0h. Aos domingos, das 12h às 17h
  • Preço: R$ 69,90 por pessoa (não há cobrança de taxa de serviço). Criança até cinco anos, não paga. De seis a dez, paga metade do valor. Bebidas e sobremesas são cobradas à parte.
  • Onde: Espaço Gastronômico Ceagesp
  • Endereço: Portão 4 da Ceagesp – av. Dr. Gastão Vidigal, altura do 1.946, na Vila Leopoldina, zona oeste da capital.
  • Estacionamento: Automóveis pelo Portão 4 (preço especial para os frequentadores do evento). Motos: somente pelo Portão 2.
  • Site: www.festivaisceagesp.com.br

Virado à Paulista

virado

O Virado à Paulista, prato tradicional das segundas-feiras paulistanas, foi tombado como Patrimônio Imaterial do Estado pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do governo do Estado de São Paulo.

O Prato é composto de arroz, feijão engrossado com farinha de milho, bisteca, linguiça, toucinho, couve, ovo frito e banana, o prato carrega história em seus ingredientes, tendo seus primeiros registros ainda no século 17.

 

Ingredientes

  • 3 xícaras de feijão cozido, batido no liquidificador
  • 2 dentes de alho, picados ou amassados
  • 1 cebola, picada
  • Sal a gosto
  • Pimenta – do – reino a gosto
  • 1/2 xícara de farinha de mandioca crua
  • 2 colheres de sopa de óleo de soja ou azeite
  • 3 xícaras de água
  • 2 bistecas
  • Suco de 2 limões
  • Óleo para fritura
  • 1/2 kg de lingüiças fresca ou caipira
  • 3 l de água fervente
  • 2 bananas nanicas
  • 1 ovo batido com 1 copo de leite
  • O suficientes de farinha de trigo, para empanar
  • Sal a gosto
  • 1 maço de couve, lavado e higienizado
  • 1/2 kg de panceta
  • 1 colher de chá de bicarbonato de sódio

Receita de couve-flor gratinada

Ingredientes:
1kg couve-flor
½ cebola
3 dentes alho
2 colheres de sopa de azeite
50g de queijo parmesão
Molho bechamel
500ml de leite
1 colher de sopa de margarina
1 ½ colher de sopa de farinha de trigo
Sal e pimenta a gosto
Noz moscada a gosto

Pré-Preparo:
Descascar e picar o alho e a cebola. Cozinhar a couve-flor até ficar al dente. Reservar.

Molho Bechamel:
Em uma panela colocar a margarina para aquecer em fogo baixo, quando derreter acrescentar a farinha de trigo, mexer constantemente com o fuê, tendo o cuidado para não empelotar, deixar cozinhar mexendo sempre. Acrescentar o leite quente ao roux aos poucos, abaixar o fogo e continuar mexendo, para não empelotar. Não deixar o molho grosso, pois quando esfriar ele tende a engrossar.

Preparo:
Em uma frigideira colocar o azeite, o alho e a cebola, deixar dourar e puxar a couve-flor. Colocar em uma travessa fazendo camadas alternadas de couve-flor e molho bechamel. Finalizar com queijo parmesão. Levar ao forno a 180ºC para gratinar por alguns minutos. Servir.

Tempo de Preparo: 25 minutos

Rendimento Aproximado: 1,800 kg

Fonte: Divino Fogão – http://www.divinofogao.com.br