Alimentação

10 fatos curiosos sobre o tradicional bacalhau português

Bacalhau exposta numa típica mercearia portuguesa

O bacalhau no Brasil é consumido geralmente em épocas específicas do ano, como Páscoa e Natal, mas em Portugal esse peixe é parte fundamental das refeições. Para conhecer melhor sobre esse símbolo da gastronomia lusitana, separamos algumas curiosidades incríveis desse prato tão cobiçado. 

1 – O alimento da descoberta do novo mundo

Como não existiam métodos de refrigeração da comida, o bacalhau se tornou parte fundamental das grandes embarcações, pois com os métodos de secagem e salga, o peixe era conservado por um longo período de tempo.

2 – Não existe somente um tipo de bacalhau

“Bacalhau” é na realidade o nome popular para o Gadus morhua, o tipo mais tradicional e mais consumido. Porém, esse processo de desidratação também pode ser feito com o saithe, o zarbo e o ling. Características como sabor, textura e preço variam entre eles.

3 – Altamente nutritivo

Ao contrário do que muitos possam pensar, esse tipo de peixe é muito nutritivo e de fácil digestão. Rico em fósforo, cálcio, zinco, potássio e magnésio, é um alimento saudável que pode ser consumido sem culpa. O óleo extraído do fígado do animal também é abundante em vitaminas A e D.

4 – Considerado o “Fiel Amigo” português

Em Portugal, ele é considerado o “Fiel Amigo”. Esse ditado popular vem de tempos antigos, pois a iguaria é parte essencial da culinária lusitana. Assim como o arroz com feijão está presente na mesa dos brasileiros, o bacalhau é o verdadeiro rei nas refeições das famílias portuguesas.

Diversas formas de apresentação do bacalhau

5 – Ílhavo: a “capital do bacalhau”

A cidade de Ílhavo, localizada na região do Centro de Portugal, tem uma forte ligação com o alimento. Situada próxima do oceano, a pesca sempre fez parte das atividades e o bacalhau tornou-se intrínseco na cultura e costumes. O prato é tão popular que a cidade dispõe de dois museus que contam sua incrível história.

6 – Um museu dedicado ao bacalhau

E falando em museus, o Museu Marítimo de Ílhavo, com o seu famoso Aquário de Bacalhaus, é um ponto de parada obrigatória para todos aqueles que queiram conhecer a verdadeira epopeia da pesca desse nobre animal. 

7 – Mais de 1001 maneiras de preparo

Dizem que existem 1001 maneiras de preparar essa iguaria, e Ílhavo é o lugar ideal para conhecê-las. O “Bacalhau assado lascado, à moda de Ílhavo” e o “Arroz de espinhas de bacalhau” são alguns exemplos peculiares e saborosos. No verão, é comum consumi-lo cru em saladas.

8 – Festival do Bacalhau

Em agosto acontece esse evento, em Ílhavo, que visa promover a gastronomia tradicional da região entre os mais jovens. Desde 2008, turistas e moradores podem aproveitar diversas atrações musicais, palestras e deliciosos pratos preparados especialmente para a celebração.

9 – Portugal é o maior importador de bacalhau da Noruega

Por ser um peixe de água fria, é mais comum encontrá-lo na costa de países assim como Noruega e Canadá. Isso fez com que Portugal se destacasse por ser o maior importador do animal do país nórdico. 

10 – Os melhores locais para comprar

Engana-se quem acha que o melhor local para comprar o bacalhau são as peixarias. Os melhores locais para adquirir bacalhau de qualidade são as mercearias ou, em grandes supermercados, a sessão de comidas “salgadas”. Os portugueses são mestres na arte de salgar os alimentos para sua preservação desde a época das grandes navegações.

Receitas Leco contra o desperdício

Vasculhando meu baú de inutilidades públicas, onde armazeno bobagens e afins, desavisadamente encontro um pequeno livro, não datado – pequeno erro cometido em muitas publicações, impresso em papel reciclado e com muitas dicas/receitas sobre o reaproveitamento de alimentos.

O livro denominado Receitas Leco – A Receita é Aproveitar tem 24 páginas e 20 receitas.

Salada de laranja (ou Tangerina), Abacate e Folhas Verdes

Salada de laranja (ou Tangerina), Abacate e Folhas Verdes

 

Ingredientes:

¼ colher (chá) de casca de laranja ralada

¼ xícara (chá) de suco de laranja

½ xícara (chá) de óleo

2 colheres (sopa) de açúcar

2 colheres (sopa) de vinagre

1 colher (sopa) de suco de limão

sal a gosto

6 xícaras (chá) de folhas verdes variadas (rúcula, agrião, alface) em pedaços pequenos

1 pepino pequeno fatiado

1 abacate sem casca, cortado em fatias

2 laranjas em gomos, cortados ao meio sem sementes

2 colheres (sopa) de cebolinha picada

 

Modo de preparo:

Coloque os 7 primeiros ingredientes num recipiente e misture bem.

Arrume os outros ingredientes (folhas verdes, pepino, abacate, laranjas e a cebolinha) em uma travessa, despeje o molho e sirva.

 

RENDIMENTO: 7 PORÇÕES

PESO DA PORÇÃO: 160g

VALOR CALÓRICO DA PORÇÃO: 285,9 cal

2 FORMAS PRÁTICAS DE CONSUMIR COUVE

Bar do Giba

1) Cubos de gelo de couve!

Bata no liquidificador 100ml de água para cada folha de couve. Após formar um suco, coloque no congelador em uma forma de gelo. Quando o “gelo de couve” estiver pronto, coloque em um recipiente de vidro e deixe no congelador.

2) Farinha de Couve Integral!

A liofilização é o processo mais moderno de desidratação, mantendo as propriedades similares em comparação aos alimentos frescos. Você pode usar a couve liofilizada em pó (farinha de couve integral) para fazer sucos verde com maior praticidade.

Creme de abóbora cabotiá

Bar do Giba

Creme de abóbora cabotiá

Ingredientes

1 abóbora cabotiá cortada em cubos já descascada
1 cebola grande cortada em cubos
Água o suficiente
Sal do Himalaia a gosto
Gengibre em pedaços a gosto
Salsinha e alho poró

Modo de preparo

1. Corte a cebola e a abóbora em cubos e leve a uma panela grande. Coloque a água até cobrir os ingredientes, junte o sal, a salsinha e o alho poró.
2. Tampe a panela e deixe cozinhar até a abóbora ficar macia.
3. Transfira os ingredientes para o liquidificador e acrescente 1 e ½ xícaras de água em que a abóbora foi cozida e o gengibre.  Bata até obter um creme espesso.
4. Acrescente o frango em cubos e, após esfriar, transfira para o pote.

 

Fundada em maio de 2016, a LocalChef é uma plataforma de delivery  com viés colaborativo, oferecendo renda extra para quem gosta de cozinhar e uma excelente opção para quem busca culinária caseira. Disponível inicialmente na Região Metropolitana de São Paulo, a Localchef oferece opções de comidas caseiras, de acordo com a proximidade do usuário que faz o pedido. O interessado que deseja solicitar um pedido acessa o site da startup, digita o CEP da residência  e encontra uma lista de cozinheiros dentro de um raio de dez quilômetros. Atualmente são 200 pratos disponíveis para escolha. Para mais informações acesse www.localchef.com.br

QUICHE DE LEGUMES DO DIVINO FOGÃO

BAR DO GIBA

QUICHE DE LEGUMES DO DIVINO FOGÃO

Ingredientes

Massa:                
2 ½ xícaras Farinha de trigo
¾ xícara Margarina com sal
1 Unidade Gema
2 Colheres Leite
Sal a gosto
Recheio:                              
½ Xícara Brócolis em tiras
½ Xícara Cenoura em rodelas
½ Xícara Palmito em rodelas
½ Unidade  Cebola ralada
2 Dentes  Alho picado
Sal a gosto
Creme:                 
2 Unidades  Ovos
1 caixinha de creme de leite
50g Queijo parmesão ralado
100g Mussarela
Noz moscada e sal a gosto

Modo de preparo
Preparo Recheio:
Cozinhar os legumes com um pouco de sal até ficar al dente. Cortar os palmitos em rodelas e reservar.
Em uma panela colocar o alho e a cebola, deixar dourar, colocar os legumes e refogar por dois minutos, desligar o fogo, colocar o palmito e reservar.
Preparo do creme:
Bater todos os ingredientes no liquidificador, menos o parmesão ralado.
Preparo Massa:       
Em uma tigela colocar 2 xícaras da farinha de trigo, o sal, a margarina, e a gema e o leite, juntar os ingredientes delicadamente até formar uma massa lisa, acrescentando o restante da farinha conforme necessário, até a massa soltar dos dedos. Abrir a massa com o rolo, colocar na forma com fundo falso.
Montagem:
Não precisa pré-assar, nem deixar descansando, nem levar a refrigeração, apenas colocar o recheio, colocar o creme, para finalizar polvilhar o parmesão ralado. Levar ao forno médio 160ºC por 20 minutos. Desenformar após alguns minutos e servir.
Dica do Chef: pode trocar os legumes acima, pelos de sua preferência, seguindo o mesmo passo a passo.

Tempo de Preparo:   45 minutos
Rendimento: 8 porções

Dica do DIVINO FOGÃO

Livro “Panorama da Segurança Alimentar e Nutricional na cidade de SP

livorali

Na última quinta-feira, 15/12, a Secretaria Municipal do Desenvolvimento, Trabalho e Empreendedorismo (SDTE) realizou o lançamento do livro “Panorama da Segurança Alimentar e Nutricional na cidade de São Paulo: ações, desafios e perspectivas do papel da cidade na alimentação”. A publicação contempla as políticas públicas que marcaram a gestão Haddad, nesta temática, chamando a atenção da população para os desafios que ainda precisam ser encarados. Clique na imagem para obter o PDF completo do livro.

A Governabilidade do Nexo Urbano,

15032289_835148869952884_2067789339402401025_n

Uma nova perspectiva em termos operacionais e de governança da sustentabilidade de sistemas urbanos se configura com o nexo entre água, alimentos e energia. Estes recursos são essenciais ao desenvolvimento humano e à redução da vulnerabilidade. Este tema será tratado por um grupo de pesquisadores no IEA no próximo dia 23. Saiba mais e se inscreva

 

O seminário é uma realização do Grupo de Pesquisa Meio Ambiente e Sociedade do IEA, do Grupo de Estudos e Acompanhamento de Governança Ambiental (GovAmb) do Instituto de Energia e Ambiente (IEE) e do Departamento de Saúde Ambiental da Faculdade de Saúde Pública (FSP), todos da USP.

A Comissão Organizadora é constituída por Leandro Giatti (IEA e FSP), Pedro Roberto Jacobi (IEA, FE e IEE), Michele Dalla Fontana (Universidade de Veneza, Itália), Alberto Urbinatti, Joshua Daniel Shake (FSP) e Leandro Belini.

O evento é aberto ao público, mas requer inscrição prévia via formulário online. Quem não puder comparecer, poderá assistir ao seminário ao vivo pela internet (sem necessidade de inscrição)

Programação


A Governabilidade do Nexo Urbano
23 de novembro, das 14 às 18h
Sala de Eventos do IEA, rua da Praça do Relógio, 109, bloco K, 5º andar, Cidade Universitária, São Paulo
Evento aberto ao público, gratuito e com inscrição via formulário online
Transmissão ao vivo pela internet
Informações: com Sandra Sedini (sedini@usp.br), telefone (11) 3091-1678

Dia da Abelha

abelhas

Hoje, 3 de outubro é comemorado o Dia da Abelha.

Não se sabe ao certo como surgiu a data, mas a intenção é lembrar a importância que este pequeno inseto possui para o bem estar dos seres humanos. Pense na importância da POLINIZAÇÃO….

As abelhas são consideradas insetos úteis porque:

  • contribuem para a fecundação das flores, propiciando aumento da produção de frutos e grãos;
  • produzem o mel e a geleia real, importantes fontes energética e nutritiva;
  • produzem o própolis a partir de substâncias resinosas dos brotos e cascas de vegetais, o qual atua como antibiótico natura.

A abelha é a única espécie do planeta capaz de produzir o mel – considerada a primeira substância adocicada utilizada pelo homem na  antiguidade. Quantas maravilhas não são feitas com o mel????

Atualmente, são conhecidas, no mundo, mais de 20 mil espécies do inseto. Uma abelha silvestre visita 10 flores por minuto em busca do pólen e do néctar;

No Brasil, são conhecidas mais de duas mil espécies entre nativas e exóticas, que foram introduzidas nos nossos biomas.

Caetano Veloso musicou e escreveu MEL que na boca de sua irmã Maria Betânia é pura doçura:

Mel

Ó abelha rainha faz de mim
Um instrumento de teu prazer
Sim, e de tua glória
Pois se é noite de completa escuridão
Provo do favo de teu mel
Cavo a direita claridade do céu
E agarro o sol com a mão
É meio-dia, é meia-noite, é toda hora
Lambe olhos, torce cabelos, feiticeira vamo-nos embora
É meio-dia, é meia-noite, faz zumzum na testa
Na janela, na fresta da telha
Pela escada, pela porta, pela estrada toda a fora
Anima de vida o seio da floresta
O amor empresta a praia deserta zumbe na orelha, concha do mar
Ó abelha, boca de mel, carmin, carnuda, vermelha
Ó abelha rainha faz de mim um instrumento do seu prazer.

abelha

E que tal um bolo de mel?

Bolo de mel

Ingredientes: 3 ovos, 2 xícaras de farinha de trigo (pode ser integral), 3 colheres de margarina, 1 xícara de mel, 1 colher de fermento em pó.

Modo de preparo:
bater o mel e a margarina. Juntar as gemas bem batidas, a farinha e o fermento, e por último as claras em neve. Colocar em fôrma untada e assar em forno médio. É DIVINO.