Meio Ambiente

MANHÃ CIENTÍFICA: Borboletando

Borboletando: Palestra e Observação em campo!

Conversa com o público infanto-juvenil sobre observação de borboletas nas áreas verdes da cidade de São Paulo. Quem e quantas são, o que fazem e onde estão esses seres tão coloridos que nos encantam?

Especialista: Dr. Gustavo de Mattos Accacio

Data: 03/06/2017

Horário: 10h

O Parque CienTec fica na Avenida Miguel Stéfano, 4.200,  Água Funda-SP.

CEP 04301-904.

O estacionamento situa-se em frente ao Zoológico.

O acesso pode ser feito pela entrada ao lado do estacionamento ou pela portaria principal.

Para quem vai de transporte público:
A 15 minutos da estação São Judas do Metrô, ônibus 4742-10, Jardim Clímax

ou, da estação Santos-Imigrantes, ônibus Jardim Zoológico.

Programa Conversações com o Secretário Gilberto Natalini

Neste episódio do Programa Conversações o tema é a cidade de São Paulo e os inúmeros desafios dessa complexa megalópole, no que diz respeito à sustentabilidade e à preservação do meio ambiente. O entrevista é o atual secretário do Verde e do Meio Ambiente Gilberto Natalini.

 

 

Avanços e desafios da Política Nacional de Resíduos Sólidos – Congresso Ecogerma 2017

 
O congresso Ecogerma, um dos eventos mais destacados do Brasil na área de Meio Ambiente, Sustentabilidade, Energia e Infraestrutura, enfatizará na edição de 2017 os avanços e desafios da Política Nacional de Resíduos Sólidos.

Organizado pela Câmara de Comércio e Industria Brasil-Alemanha (AHK São Paulo), por meio do seu Departamento de Meio Ambiente, Energias Renováveis e Eficiência Energética, a nona edição do evento, que será realizado no dia 18 de outubro, conta com o apoio da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP) e patrocínio da Lanxess.

Desde sua primeira edição (2009), o evento, que propõe incentivar o diálogo e promover tecnologias ambientais, segue como uma plataforma de excelência para que empresas do setor, bem como órgãos do governo se aproximem, troquem experiências e fechem parcerias. Este ano, o evento abordará os avanços e desafios da Política Nacional de Resíduos Sólidos (dentre eles a logística reversa e economia circular), bem como casos de sucesso no Brasil.

Abaixo programação do Congresso:

09:00 Abertura
Nelson Pereira dos Reis, vice-presidente e diretor titular do departamento do meio ambiente (DMA) da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP)
Julian Thomas, coordenador da Comissão de Sustentabilidade da Câmara de Comércio e Industria Brasil Alemanha, e Diretor Superintendente Hamburg Süd & Aliança Navegação e Logística
Consulado Geral da República Federal da Alemanha em São Paulo

09:30 Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) – avanços e desafios
Carlos Roberto Vieira da Silva Filho, diretor-executivo da ABRELPE (Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais)

10:00 Gestão de resíduos sólidos na Alemanha – lições a serem compartilhadas com o Brasil
Dra. Christiane Pereira, coordenadora no Brasil do Departamento de Resíduos e Recursos Naturais da TU Braunschweig e do Centro de Pesquisa, Educação e Aplicação em Resíduos Urbanos (CREED)

10:30 Logística Reversa – da teoria à realidade dos acordos setoriais
Paulo Roberto Leite, presidente do Conselho de Logística Reversa do Brasil (CLRB)

11:00 Oportunidades e Desafios da economia circular no Brasil
Aldo Roberto Ometto, Professor da Universidade de São Paulo (USP) e Coordenador do Programa Pioneer University em Economia Circular da USP junto à Ellen MacArthur Foundation

11:30 Case Lanxess
Eliane Siviero, CEO da Lanxess Brasil

12:00 Debate

12:30 Pausa para almoço

14:00 Apresentação de cases de sucesso: 
Embraco
ES-fashion (tbc)*
Associação Brasileira de Embalagem de Aço (tbc)*

15:20 Debate

16:00 Cerimônia de Entrega Prêmio von Martius de Sustentabilidade

Tema: Avanços e desafios da Política Nacional de Resíduos Sólidos
Idioma: Português

Data: Quarta-feira, 18 de outubro de 2017
Horário: das 8h30 às 17h30
Local: Auditório da FIESP (Av. Paulista, 1313, São Paulo-SP)

Valor: Gratuito

Inscrições: 
Clique aqui e faça sua inscrição.

Observações:
Despesas com estacionamento correm por conta do participante.

Manual para Gestão de Resíduos Orgânicos nas Escolas

No final de 2015 a Morada da Floresta foi convidada pela CCAC, ISWA e Abrelpe para ser a consultora local de um projeto para desenvolver uma plataforma online para facilitar a comunicação entre as escolas para a troca de experiências relacionadas à compostagem e horta nas escolas, e entregar para as escolas um Manual para Gestão dos Resíduos Orgânicos nas Escolas.

Executamos o projeto Escolas Mais Orgânicas no primeiro semestre de 2016. Trabalhamos com 18 escolas da rede municipal de ensino de São Paulo. Durante 6 meses, realizamos encontros presencias mensais com professores e membros da coordenação das escolas e estimulamos a troca de experiências, informações e conhecimentos sobre compostagem e horta entre as escolas pela plataforma web.

Durante o projeto, aplicamos alguns questionários com nas escolas para gerar informações para a elaboração do Manual para Gestão dos Resíduos Orgânicos nas Escolas, desenvolvido por Marco Ricci (consultor técnico da ISWA). O projeto foi coordenado por Jiao Tang (ISWA) e supervisionado no Brasil por Gabriela Otero (Abrelpe).

Muito didático e completo, o Manual para Gestão de Resíduos Orgânicos nas Escolas foi cuidadosamente elaborado para facilitar a implementação e estimular a prática da compostagem no ambiente escolar.

Esse manual em forma de e-book é uma das entregas do projeto Escolas Mais Orgânicas realizado pela CCAC e ISWA. A Abrelpe foi a supervisora e a Morada da Floresta consultora e executora do projeto.

Mesmo que você não trabalhe em escola, vale compartilhar esse material com a escola dos seus filhos ou com amigos que trabalham em em instituições de ensino. Seguramente eles agradecerão a lembrança.

https://moradadafloresta.eco.br/category/projetos/escolas-mais-organicas/

Prêmio ANA 2017 recebe inscrições de boas práticas relacionadas a água

 

Inscrições vão até 31 de maio e podem ser realizadas pelo hotsite da premiação para as nove categorias em disputa. Vencedores vão ganhar viagem ao Fórum Mundial da Água de 2018, em Brasília, e o Troféu Prêmio ANA

 

O Prêmio ANA é uma ação da Agência Nacional de Águas que reconhece trabalhos os quais contribuem para a gestão e o uso sustentável dos recursos hídricos do País em nove categorias: Empresas de Micro e Pequeno Porte; Empresas de Médio e Grande Porte; Ensino; Governo; Imprensa – Impressos e Sites; Imprensa – Rádio; Imprensa – TV; Organizações Civis; e Pesquisa e Inovação Tecnológica. As inscrições são gratuitas e devem ser realizadas através do hotsite do Prêmio ANA (premio.ana.gov.br) até 31 de maio.

 

O concurso, que está na 6ª edição, também busca identificar ações que estimulem o combate à poluição e ao desperdício, além de apontar caminhos para assegurar água de boa qualidade e em quantidade suficiente para o desenvolvimento das atuais e futuras gerações. Como novidades, o Prêmio ANA 2017 terá duas categorias voltadas para empresas, sendo uma delas para micro e pequenas empresas e a outra para médias e grandes. Para a imprensa, que reunia todos os tipos de mídia numa só categoria, a disputa será entre impressos e sites, rádios e TV separadamente.

 

O Prêmio ANA 2017 terá uma Comissão Julgadora composta por membros externos à ANA e com notório saber na área de recursos hídricos, meio ambiente ou Jornalismo. Um representante da Agência presidirá o grupo, mas sem direito a voto. Os critérios de avaliação dos trabalhos levarão em consideração os seguintes aspectos: efetividade, impactos social e ambiental, potencial de difusão, adesão social, originalidade e sustentabilidade financeira (se aplicável). Para as categorias de imprensa, os critérios serão adaptados ao contexto jornalístico e a sustentabilidade financeira não será considerada.

 

A Comissão Julgadora selecionará três iniciativas finalistas e a vencedora de cada uma das nove categorias. Os vencedores serão conhecidos em solenidade de premiação marcada para 6 de dezembro de 2017 em local a ser definido. Os nove vencedores receberão um Troféu Prêmio ANA. Além disso, ganharão uma viagem para poderem apresentar seus trabalhos durante o 8º Fórum Mundial da Água – maior evento do mundo sobre recursos hídricos –, que acontecerá em Brasília de 18 a 23 de março de 2018.

 

Inscrições

 

Nesta edição do Prêmio ANA, as inscrições devem ser realizadas totalmente pelo hotsite e não serão aceitos materiais em meio físico, já que a Agência Nacional de Águas adota uma política de papel zero. Cada participante pode inscrever mais de uma iniciativa. Além disso, poderão ser apresentados trabalhos indicados por terceiros, desde que acompanhados de declaração assinada pelo indicado, concordando com a indicação e com o regulamento da premiação.

 

Cronograma

 

  • Inscrições: até 31 de maio de 2017;
  • Avaliação: 7 de agosto a 8 de setembro (1ª fase) e 16 a 20 de outubro de 2017 (2ª fase);
  • Comunicação aos finalistas:  30 de outubro a 3 de novembro de 2017;
  • Premiação: 6 de dezembro de 2017.

Consumo Responsável em Ação: Tecendo relações solidárias entre o campo e a cidade

O Instituto Kairós disponibiliza o livro Consumo Responsável em Ação: Tecendo relações solidárias entre o campo e a cidade”, escrito com a parceria de diversos parceiros da agroecologia, economia solidária, comércio justo e solidário e afins.

 

O livro parte de questionamentos sobre nosso atual padrão de produção, distribuição, comercialização e consumo, especialmente no campo da alimentação e traz a proposta do consumo responsável. Levando em conta desafios como o acesso ao alimento de qualidade e os limites do modelo convencional de abastecimento, são apresentadas práticas alternativas que aproximam consumidores e produtores (como os grupos de consumo responsável), os diálogos do tema com as políticas públicas e possíveis atuações de mobilização social nas redes, ruas e campos.

 

Os textos trazem experiências tanto do Instituto Kairós como de parceiros convidados envolvidos em movimentos e organizações que atuam no campo da agroecologia, economia solidária e temas correlatos: Rede Brasileira de Grupos de Consumo Responsável, RedeMoinho, SISCOS, Rede Ecológica, GiraSol e MUDA-SP.

 

A publicação é fruto de projeto executado pelo Kairós com a Secretaria Nacional de Economia Solidária (SENAES/MT).

 

O livro está disponível para download gratuito no site do Instituto Kairós através do link a seguir

http://institutokairos.net/portfolio-items/consumo-responsavel-em-acao-tecendo-relacoes-solidarias-entre-o-campo-e-a-cidade/

 

O FAMOSO PARQUE TRIANON FARÁ 125 ANOS


Secretaria do Verde e do Meio Ambiente promove atividades durante o final de semana, para comemorar o aniversário do parque.

Bem no coração de São Paulo, o Parque Trianon fará 125 anos! Neste final de semana a população contará com uma programação agitada. Dentre as animações, está o plantio de árvores, trilha monitorada, festival de dança, lançamento do programa de voluntários no parque, apresentação da banda da Guarda Civil Metropolitana e até show do Duofel (uma das mais conhecidas duplas de música instrumental, com 35 anos de estrada).

O parque, localizado em meio a Av. Paulista de prédios comerciais e atrações culturais, conta com uma área de 48.600 m² e uma vegetação ampla, composta por remanescentes da Mata Atlântica, como jequitibá, palmeira-de-leque-da-china e camboatás. Em sua fauna, o destaque vai para o sabiá-ferreiro, que faz “escala” no parque, e pode ser detectado pelo canto de timbre metálico, além de borboletas laranja e amarela.

Projetado pelo paisagista francês Paul Villon e o inglês Barry Parker, o atual nome do parque (Tenente Siqueira Ramos) foi dado em 1931 em homenagem a um dos heróis da Revolução do Forte de Copacabana, na Revolta Tenentista. Há também, duas famosas esculturas que embelezam o parque: “Fauno”, de Vitor Brecheret e “Aretusa”, de Francisco Leopoldo Silva, que podem ser vistas durante a Trilha do Fauno (caminho com 11 estações e 600 metros que liga a Avenida Paulista com a Alameda Santos).

O parque fica aberto todos os dias, das 06h às 18h.

Av. Paulista, 1700 – Bela Vista, São Paulo – SP, 01310-200

 

Programação

Dia 1/04

 

Apresentação Banda da Guarda Civil Metropolitana (GCM)

Das 9h às 10h30- Praça Central

 

Grupo Escoteiros Maria Imaculada- Hasteamento das Bandeiras e outras atividades

Das 9h às 18h

 

Leitura da Carta de Desejos

12h – Praça Central

 

Plantio de Árvores pela Secretaria do Verde e do Meio Ambiente

12h – Praça Central

 

Show Duofel

Das 11h às 12h- Praça Central

 

Lançamento do programa de voluntários do Parque

Das 14h às 16h – Condomínio Conjunto Nacional

 

Dança Sagrada (Pan-eu-ritmia)

Das 11h às 12h30 – Chafariz

 

Dia 2/04

 

Grupo Escoteiro Maria Imaculada

8h45 – Praça Central

 

Trilha Monitorada

Das 9h às 10h30- Saída em frente à administração

 

Roda de Conversa sobre o Parque- Tema: Novo olhar sobre a nossa Floresta Urbana

11h- Em frente à administração

 

Lançamento do programa de voluntários do Parque

Das 10h às 12h – Condomínio Conjunto Nacional

 

Festival de Dança- Urbaninhas

Das 10h às 13h – Praça Central

 

Apresentação de Dança- Grupo Romany Dança Tribal

Das 13h às 14h – Praça Central

Curso: Jogos Cooperativos e Pedagogia da Cooperação

“O mundo ‘lá fora’ e o mundo ‘aqui dentro’ é o mesmo, isto é, um reflete o outro. O que o mundo é, depende de quem o vê e como vive nele.
A maneira de inserir a Cooperação no cotidiano é VIVENDO em nós mesmos o resgate desses valores e a transformação da nossa visão-e-ação no mundo.
Podemos inserir no dia-a-dia pequenas, simples e poderosas mudanças. Partindo do mais próximo – EU – para o mais distante – NÓS – estaremos fazendo a parte que nos cabe neste grande JOGO-VIDA.”
FÁBIO BROTTO

Os Jogos Cooperativos surgiram da preocupação com a excessiva valorização que a sociedade moderna atribui à competição. O Curso ‘Jogos Cooperativos e Pedagogia da Cooperação’ visa proporcionar aos/as participantes a vivência de situações onde a cooperação possa ser identificada e reconhecida como essencial para a construção de relações cotidianas saudáveis, construtivas e de respeito mútuo. Isso por meio de diferentes jogos cooperativos.
As atividades que privilegiam os aspectos cooperativos são importantes por contribuírem para o desenvolvimento da percepção de pertencer a um grupo, pois trabalham respeito, fraternidade e solidariedade de forma lúdica e altamente compensatória, levando a possibilidade de percepção da interdependência entre todas as criaturas.
A competição pode gerar diversos conflitos e emoções desagradáveis, podendo levar à comparação, frustração, ao sentimento de vitória ou de derrota, à exclusão. Porém a competição quando bem encaminhada, pode contribuir para ajustar a percepção destes momentos à sua verdadeira dimensão íntima, visando o equilíbrio. No ambiente competitivo bem administrado também estão presentes a necessidade do respeito, a superação de limites e a amizade, enfim a cooperação.
Os Jogos Cooperativos são estruturados visando diminuir a pressão para competir e a necessidade de comportamentos destrutivos, promover a interação e a participação de todos, deixando aflorar a espontaneidade e a alegria de jogar. São jogos de compartilhar, unir pessoas, jogos que eliminam o medo do fracasso e que reforçam a confiança em si mesmo e nos outros. Todos podem ganhar e ninguém precisa perder. Dessa forma, resultam no envolvimento total da aceitação de todos os membros do grupo.
O curso como um todo é organizado em 03 módulos, sendo os módulos I e II (descentralizados / em parceria) e o módulo III (na UMAPAZ), orientados (com os jogos que serão vivenciados pelo grupo) para os temas ÁGUA, RESÍDUOS, BIODIVERSIDADE E CULTURA DE PAZ/CONFLITOS (eixos prioritários).

Objetivos Gerais: Conhecer e praticar os Jogos Cooperativos; Compreender os fundamentos da Pedagogia da Cooperação; Estimular a reflexão crítica sobre COMPETIÇÃO X COOPERAÇÃO; Desenvolver maior empatia e capacidade de cooperar; Vivenciar diversos Jogos Cooperativos e aprender a focalizá-los; Vivenciar e praticar a PAZ EM AÇÃO; Praticar comportamentos e atitudes cooperativas para a construção de um mundo melhor e mais fraterno.

Proposta metodológica

 Aprendizagem Vivencial, com a utilização de metodologias integrativas, tais como Danças Circulares Sagradas, Comunicação Não-Violenta e Diálogo, estimulando o surgimento da Inteligência Coletiva e o exercício da Inteligência Social/Comunitária.
 Grupos entre 20 e 35 participantes (dependendo das possibilidades do espaço físico).
 Avaliação contínua (feedback e co-gestão) e formulário online a cada módulo.

Encontros

 Periodicidade semanal;
 01 módulo por mês (04 encontros/módulo);
 03 horas por encontro;
 Módulo III no segundo semestre, realizado na UMAPAZ;

Vagas: 40 (Haverá seleção de acordo com o público focalizado).
Carga horária: 12 horas/módulo (36 horas no total).

Facilitação e coordenação: Prof. Adriano Galhardo Pedroso, pedagogo com pós-graduação em Gestão de Pessoas, Psicopedagogia, Ecologia-Arte-Sustentabilidade, Transdisciplinaridade em Educação e Cultura de Paz; Focalizador em Danças Circulares Sagradas e em Jogos Cooperativos; Designer em Sustentabilidade pelo Programa Gaia Education. Docente e Coordenador de Projetos da Divisão de Formação da UMAPAZ/SP. Psicoterapeuta Transpessoal, com formação em Análise Transacional, Programação Neurolinguística e Florais de Bach.

Público: educadores/as, coordenadores/as de grupos e equipes, lideranças e gestores/as, profissionais da educação / saúde / assistência social, profissionais de ONG’s que necessitem trabalhar com grupos e desenvolver o senso comunitário.

TURMAS:

• UMAPAZ
Dias: 6, 13 e 28 de abril de 2017; 4,11,18 e 25 de maio de 2017; 1 de junho de 2017, quintas-feiras.
Horário: das 14h às 17h.
Local: Sede da UMAPAZ – Parque Ibirapuera. Av. Quarto Centenário, 1268. (zona sul)
Pedestres: Portão 7A.
Estacionamento: Portão 7 da Av. República do Líbano (Zona Azul).
Inscrições: aqui

• CEU GUARAPIRANGA (manhã)
Dias: 28 de abril de 2017; 5,12, 19 e 26 de maio de 2017; 2, 23 e 30 de junho de 2017, sextas- feiras.
Horário: das 9h às 12h.
Local: CEU Guarapiranga – Estr. da Baronesa, 2031. (zona sul)
Inscrições: DRE Campo Limpo – em breve

• CEU GUARAPIRANGA (tarde)
Dias: 28 de abril de 2017; 5,12, 19 e 26 de maio de 2017; 2, 23 e 30 de junho de 2017, sextas- feiras.
Horário: das 14h às 17h.
Local: CEU Guarapiranga – Estr. da Baronesa, 2031. (zona sul)
Inscrições: DRE Campo Limpo – em breve

As Flores de Outono

Begônia

Essas pequenas flores precisam de um clima ameno e agradável (temperatura ideal na média dos 25º C) para crescerem bonitas e saudáveis. O plantio pode ser tanto em vaso como no jardim, e seu florescimento se dá em cerca de três meses. É preciso regá-las a cada quatro dias, mantendo a terra sempre úmida, mas nunca encharcada. O solo ácido e misto é o mais indicado. A Begônia é uma flor que combina características rústicas e delicadas. As begônias são um tipo de flor tropical que se desenvolve melhor quando não são diretamente expostas ao sol, chuva e quando a temperatura fica entre 20 e 28 graus. Muito utilizadas para embelezar ambientes, essas plantas precisam ser mantidas longe de salas com ar-condicionado e de corredores com pouca luz. Por serem muito sensíveis, esses vegetais não suportam mudanças bruscas de clima, nem excesso de água.

 

Margarida

O outono é ideal para seu plantio porque os raios de sol muito fortes podem queimar as pétalas e folhas. Fáceis de cultivar em casa (em vasos ou jardim) e em diferentes tipos de solos (com exceção dos terrenos úmidos demais), o tempo de germinação varia entre 7 e 21 dias. É fundamental adubá-la com compostos orgânicos de forma periódica, além de regá-la sempre que a camada superficial do solo estiver seca.

A flor margarida significa inocência, juventude, virgindade, sensibilidade, pureza, paz, bondade e afeto. Leia minha crônica A flor da Obsessão.

Lírio branco

No preparo do cultivo deve-se usar composto orgânico e areia, e sua regagem deve ser regular, sem atingir as flores. Em dias muito frios, diminua a quantidade de água, já nos mais quentes é permitido borrifar um pouco de água extra sobre toda a planta. O outono é a época ideal, já que ela é muito sensível às baixas temperaturas e à incidência de raios solares fortes.

O lírio é originário do hemisfério norte, e está presente tanto na América do Norte, quanto na Europa e Ásia. A flor possui um pistilo saliente, com aspecto fálico, remetendo a significados relacionados à sexualidade e erotismo.

O lírio planta medicinal antisséptica e cicatrizante, utilizada para tratar diversas infecções, apresentada muitas vezes na forma de tintura.

Rosa

As rosas preferem o outono, pois é a época do ano mais propícia para o cultivo, cuidado e manutenção. Até a primeira floração, deve-se regar todos os dias com água em temperatura ambiente, passando depois para duas vezes por semana, deixando a terra um pouco seca entre uma rega e outra. As roseiras precisam estar localizadas em um local ensolarado e bem arejado, com temperatura entre 25 e 30° C. A primeira poda deve ser feita após um ano do plantio e repetida todos os anos.

A rosa (do latim rosa) é uma das flores mais populares no mundo. Vem sendo cultivada pelo homem desde a Antiguidade.

Gérbera

Pertencente à família dos girassóis, as gérberas são flores bastante usadas para ornamentar ambientes internos, o que se deve à variedade e intensidade de suas cores. O cultivo deve ser realizado em solo sempre úmido, com areia e compostos orgânicos. As flores gostam do clima temperado, nem muito quente e nem muito frio, mantidas à meia sombra. Seu florescimento costuma durar dois meses, sendo um pouco menor quando plantadas em vasos.

Gérberas são flores que podem significar sensibilidade, sensualidade, amor, nobreza, alegria e simplicidade.

São plantas do gênero Gerbera, que fazem parte da família Asteraceae (também conhecida como Compostas). Por serem da mesma família que o girassol e margarida, as suas flores apresentam algumas semelhanças.

Astromélia

Essa é uma planta que não tolera frio e falta de umidade, por isso é importante manter a terra do vaso ou do canteiro sempre úmida e fértil com adubo orgânico. Ela gosta muito de sol, mas, para que as pétalas não se queimem, é preciso mantê-las à meia sombra. A flor pode alcançar até 25 cm e é aconselhável cultivá-la de forma isolada. A folha da astromélia apresenta um comportamento incomum: a ressupinação. Significa que ela tem uma torção na base. Desse modo, o que parece ser a parte de cima da folha é, na verdade, a parte inferior.

As Astromélias são de origem peruana, chilena e brasileira, apesar de ter um nome não muito atrativo, possuem flores de grande beleza