Livros

Belchior, por Ricardo Ramos

A lembrança de Belchior em um capítulo do livro Pelo Amor de Adriana, do Ricardo Ramos. Ricardo foi filho do grande Graciliano Ramos

Autor alagoano, nascido em Palmeira dos Índios a 4 de janeiro de 1929, Ricardo de Medeiros Ramos era filho do escritor Graciliano Ramos. Aos 15 anos mudou-se para o Rio de Janeiro onde cursou Direito, porém nunca exerceu, dedicando-se à publicidade.

Transferiu-se para São Paulo em 1956, onde viveu até sua morte. Participou ativamente da vida cultural da cidade; trabalhou como cronista e jornalista, foi professor de Comunicação e diretor da Escola Superior de Propaganda e Marketing. Organizou e foi o primeiro diretor do Museu de Literatura Paulista e presidiu a União Brasileira de Escritores.

Escreveu diversos contos e romances, sendo consagrado com os mais significativos prêmios literários do país. Participou de várias antologias do conto brasileiro contemporâneo. Muitas de suas obras foram traduzidas para o inglês, espanhol, alemão, russo e japonês.
Faleceu em 20 de março de 1992, em São Paulo.

Segundo o próprio autor, no prefácio: “Este livro é uma história de amor. Do amor entre jovens< do primeiro amor. E sendo assim, muito naturalmente, um livro apaixonado.”

Contrarresiliente, uma resenha

O livro é de poesias, mas bem poderia ser um livro de crônicas. Ou será uma crônica-poesia? Mas poderia ser também um livro reportagem, um retrato escrito poeticamente na desgraça que é ser nas ruas onde não ser igual já é um enorme diferencial. O Zeh Gustavo, nosso contrarresiliente fala (ou melhor escreve, descreve e reescreve) o que o engasgado está por nós.
Vá devagar, o livro tem seu público e tem seu selo antifascista, portanto, não espere que nele impere cápsulas antipedagógicas oprimidas. Aqui a escrita é trans! Transbolzonarizado, transacomodado, transeunte.
O Zeh que já em outras lavras traçou linhas incômodas, em contrarresiliente vai direto ao golpe! Pronto para combater o ar contaminado de imbecilidade ou da boçalidade bosta que impera nos guetos nobres da sociedade pós-boçal com seus hiper chiliques.
A poesia aqui é contracorrente e deveras atinge quem deveras ler. Ler aqui é um ato de contravenção, contradição, contradito, não espere palavras mornas, textos leves como beijos suaves ou músicas para dormir.
Portanto, na contra mão necessária, eu super indico a leitura de contrarresiliente de Zeh Gustavo, editado pela Editora Viés.

Livro dos 110 anos da Academia Paulista de Letras traz a biografia dos imortais

Anna Maria Martins e Márcio Scavone a biografia dos imortais – foto: Marcelo Navarro

Os 40 membros da APL escreveram suas próprias histórias de vida

Realizado na noite desta quarta-feira, no auditório da instituição, o evento contou com a presença de intelectuais, como Maria Adelaide do Amaral, que recentemente foi eleita para ocupar umas das cadeiras da APL, de autoridades como o presidente da Imprensa Oficial do Estado, Norival Pântano Junior, de vários integrantes da casa como José de Souza Martins, Roberto Duailibi, Eros Grau, Raul Cutait, Júlio Medaglia, Anna Maria Martins, José Gregori, Dom Fernando Antonio Figueiredo, entre outros.

O Projeto – Feito sob o formato de 25X 29 cm, com 240 páginas, o 110 anos recebeu apoio da Lei Rouanet e patrocínio do Banco Safra. Em sua primeira tiragem – 1500 exemplares -, a obra foi elaborada pelo fotógrafo e acadêmico (cadeira de número 9) Marcio Scavone, e levou três anos para ser concluída. “Sinto-me envaidecido por estar à frente deste projeto, uma vez que procurei instigar cada acadêmico a trazer para o papel a sua impressão, escrevendo sua biografia e ofertando uma citação. Portanto, o livro é uma criação colaborativa. Cada intelectual deixou sua marca pessoal”, afirma Scavone.

Roberto Duailibi, Roberta Matarazzo e Eros Grau. Foto: Marcelo Navarro

Agora, o livro será distribuído nas principais bibliotecas nacionais e instituições de educação.

Drosófila, a mosquinha famosa

A drosófila se reproduz rapidamente e por isso é muito usada em pesquisas científicas. Ilustrado e escrito pela bióloga e artista plástica Francisca C. do Val, o livro nos conta como nascem, onde vivem, como namoram e se reproduzem as drosófilas e qual foi sua contribuição para a comprovação da teoria da evolução de Darwin.
“Faço pesquisa com moscas, entre elas as drosófilas, e gosto de desenhar plantas, paisagens e bichos. Nas ilustrações, tomo o maior cuidado para que tudo fique como é de verdade: os insetos com suas seis pernas, os ovos com seus filamentos, que são tubinhos para a respiração. Eu quis fazer um livro bonito para falar sobre as drosófilas e mostrar que qualquer criança pode se tornar um cientista (ou uma cientista como eu!). Gostaria que todos soubessem como é interessante estudar a vida dessas moscas e como elas nos ajudaram a entender muito de nós mesmos, inclusive por que somos tão parecidos com nossos pais”, explica Francisca C. do Val.

12 de Outubro – Dia do Engenheiro Agrônomo

Em 12 de outubro é celebrado o Dia do Engenheiro Agrônomo. por se tratar do dia da regulamentação da profissão (decreto 23.196 de 1933).  O profissional não trabalha apenas em fazendas e sítios. Sua atuação se estende a empresas de consultoria, indústrias de fertilizantes, defensivos agrícolas, herbicidas, alimentos e até mesmo a bancos de financiamento e investimento, na fiscalização da distribuição do crédito agrícola e em formas de aperfeiçoamento das espécies vegetais e animais.

engenheiro agrônomo atua em uma área que permite múltiplas funções – desde a preparação de solo para cultivo até as atividades ligadas ao meio ambiente e ao agronegócio. Tudo depende do tipo de formação e especialização profissional. Alguns preferem se aperfeiçoar em física e matemática, uns escolhem biologia e química, outros se especializam em gestão.

Graças aos agrônomos, temos a alta produtividade das lavouras e da pecuária. Com a aplicação de técnicas avançadas, eles aprimoram e potencializam todas as atividades realizadas no campo. Enfim, são profissionais de grande valor, que colaboram com o aquecimento da economia do nosso país e o crescimento dos produtores rurais.

Segue uma dica de livro:

História das agriculturas no mundo

Do neolítico à crise contemporânea de Marcel Mazoyer, Laurence Roudart

Por que o homem tornou-se agricultor? A que picos inesperados de produtividade alguns milhões de agricultores motorizados, mecanizados e especializados chegaram ao final do século XX?
Ao retraçar a prodigiosa epopeia que vai das primeiras domesticações de plantas e animais às agriculturas diferenciadas de hoje, este livro mostra que a recente crise da economia mundial está enraizada na instauração da concorrência, que não leva em conta as heranças agrárias das diferentes regiões do mundo. Os autores propõem uma estratégia mundial capaz de desenvolver a agricultura camponesa pobre e de dar novo impulso à economia.

  • TRADUÇÃO: Cláudia F. Falluh Balduino Ferreira
  • ASSUNTOS: Agronomia / História Cultural / História Geral
  • ANO: 2010
  • ACABAMENTO: Brochura com orelhas
  • PÁGINAS: 568
  • EDIÇÃO: 1
  • ISBN: 9788571399945
  • PESO: 878g
  • FORMATO: 16 X 23

Livro Digital “Direitos das Pessoas com Deficiência”

A fim de fomentar os estudos e pesquisas nessa temática, foi lançado o Livro Digital “Direitos das Pessoas com Deficiência”, organizado pelos Professores  da PUC Minas André Vicente, Fernanda Diniz e pelo advogado Thiago Helton. A obra faz parte da Coleção Essencial de Direito do Curso de Direito da PUC Minas em Contagem/MG.

Além de oferecer gratuitamente, em formato acessível, conteúdos aprofundados nos mais diversos ramos do direito envolvendo a temática da pessoa com deficiência, o livro tem por objetivo homenagear o saudoso Professor Daniel Augusto dos Reis, tetraplégico, entusiasta do Direito Penal falecido em 2018.


CLIQUE AQUI PARA DOWNLOAD DO LIVRO 

“Movido pela maré”, segundo livro da saga da gratidão, de Nora Roberts, ganha edição em capa nova pela Bertrand Brasil


Movido pela Maré 
Rising tides

Nora Roberts

Tradutor: Renato Motta

Páginas: 336

Preço: R$ 39,90

“Ethan Quinn é um pescador. Não nasceu nesse meio, mas o abraçou. É um homem calado cujo coração se agita em águas tão profundas quanto as do mar que ama”. É assim que Nora Roberts, autora considerada referência mundial em romances, descreve o protagonista de “Movido pela maré”, novo livro da Trilogia da Gratidão.

Na continuação da saga dos irmãos Quinn, Ethan é o irmão do meio, que precisa se empenhar para transformar o negócio da família, uma fábrica de barcos, em um tremendo sucesso. Enquanto isso, ele assume o desafio mais importante de sua vida: cuidar do jovem Seth, último dos irmãos adotado por seu pai, Raymond Quinn, pouco antes de morrer.

A vida bem ajustada que Ethan tanto valoriza não terá calma enquanto os rumores sobre a morte e o passado do pai não tiverem respostas claras. E ele precisará enfrentar o seu próprio passado e todas as lembranças dolorosas que o atormentam para conseguir concretizar seus planos e finalmente se declarar para Grace Monroe, seu grande amor.

Nora Roberts foi a primeira escritora a integrar o hall da fama do Romance Writers of America. A autora teve suas obras traduzidas em mais de 40 idiomas e já vendeu mais de meio bilhão de exemplares no mundo.

Falsa acusação: Uma história verdadeira

Vencedores do Pulitzer, jornalistas acompanham as investigações de caso de estupro em livro que vai virar série da Netflix.

Um livro eletrizante, importante e perturbador, Falsa acusação é baseado numa história real e num artigo vencedor do Prêmio Pulitzer de jornalismo investigativo. A partir dos arquivos da investigação policial e de entrevistas com os envolvidos, os jornalistas T. Christian Miller e Ken Armstrong apresentam uma história cheia de reviravoltas, dúvidas, estigmas, mentiras e, acima de tudo, um profundo desejo de justiça, fazendo também uma análise da maneira ultrajante como as mulheres são tratadas quando denunciam casos de violência sexual. Narrado em ritmo de thriller, Falsa acusação está sendo adaptado pela Netflix na série Unbelievable, prevista para estrear em 2019.

Livro retrata relações ecológicas por meio de observações de um jardim tropical


Produzido com apoio da Fundação Grupo Boticário, obra reúne 41 crônicas que explicam, de maneira leve, as relações da natureza

Duas vezes por ano, no início do outono e da primavera, ocorre no mundo um fenômeno da natureza conhecido como equinócio, quando o dia e a noite têm a mesma duração. Quando o relógio da natureza marca o equinócio da primavera, todos os dias que seguirão terão um minuto a mais de sol do que o anterior. Inicia-se então, o ciclo de reprodução para muitos animais, assim como o crescimento das plantas, que alimentam os herbívoros e, por sua vez, servem de alimento para seus predadores.

Esses e diversos outros acontecimentos científicos são explicados em forma de crônicas na obra “O Equinócio dos Sabiás: Aventura científica no seu jardim tropical”. “Durante a produção das crônicas, procurei mostrar que existe uma comunidade ecológica extremamente complexa no quintal da casa do leitor, e que ele, o leitor, pode contemplar e entender a interação dos seres vivos que ali habitam, mesmo que seu quintal seja apenas um vaso encostado num canto qualquer da casa”, explica o autor da obra, Marcos Rodrigues.

O livro, produzido com apoio da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza, em parceria com a Editora da Universidade Federal do Paraná (UFPR), é organizado em 41 crônicas que podem ser lidas separadamente e que, juntas, percorrem 12 meses, tratando de maneira simples as relações ecológicas entre as espécies de animais e plantas que ocorrem num jardim tropical qualquer.

Sobre a Fundação Grupo Boticário

Para o autor, a divulgação científica para o público geral é rara no Brasil e é preciso que os conhecimentos sobre a natureza cheguem a um número cada vez maior de pessoas . “O país precisa se desenvolver em todos os campos da vida, e não há desenvolvimento sem livros. Um país se faz com homens, mulheres e livros, já disse Monteiro Lobato. O Brasil ainda se encontra muito atrasado neste aspecto porque lemos pouco. No caso dos cientistas, precisamos devotar um tempo a passar nossas descobertas para a população de uma maneira mais interessante, menos técnica. Precisamos falar um pouco mais com o público leigo, que não tem uma noção clara que suas vidas estão permeadas e dependentes totalmente da ciência. Espero que meu livro chegue a essas pessoas”, ressalta.

A Fundação Grupo Boticário é fruto da inspiração de Miguel Krigsner, fundador de O Boticário e atual presidente do Conselho de Administração do Grupo Boticário. A instituição foi criada em 1990, dois anos antes da Rio-92 ou Cúpula da Terra, evento que foi um marco para a conservação ambiental mundial. A Fundação Grupo Boticário apoia ações de conservação da natureza em todo o Brasil, totalizando mais de 1.500 iniciativas apoiadas financeiramente. Protege 11 mil hectares de Mata Atlântica e Cerrado, por meio da criação e manutenção de duas reservas naturais. Atua para que a conservação da biodiversidade seja priorizada nos negócios e nas políticas públicas, além de contribuir para que a natureza sirva de inspiração ou seja parte da solução para diversos problemas da sociedade. Também promove ações de mobilização, sensibilização e comunicação inovadoras, que aproximam a natureza do cotidiano das pessoas.

POLÍTICA, MÍDIA E ESPETÁCULO

Por Vanderlei de Castro Ezquiel

Todos os textos do livro Política, mídia e espetáculo têm por origem o quarto Seminário Comunicação e Política na Sociedade do Espetáculo, organizado em 2016 pelo Programa de Mestrado em Comunicação da Faculdade Cásper Líbero.

Participaram desse seminário pesquisadores do grupo de pesquisa Comunicação e Sociedade do Espetáculo, da própria Cásper Líbero, e pesquisadores do NEAMP (Núcleo de Estudos em Arte, Mídia e Política) da PUC/SP. Os trabalhos publicados indicam o compromisso dos seus autores não só com a produção do conhecimento, mas principalmente com a defesa do exercício da cidadania.

O livro Política, mídia e espetáculo pretende contribuir para a compreensão do momento extremamente delicado pelo qual a sociedade brasileira vem passando, e, dessa forma, colaborar para que a resolução da crise institucional aconteça mediante o fortalecimento da democracia.

Tenho muito orgulho de participar de livro! Muito orgulho de ter amigos e amigas pesquisadores tão competentes e corajosos… que venham novos desafios!

O livro pode ser acessado no formato eletrônico no link: 
https://casperlibero.edu.br/…/Pol%C3%ADtica-m%C3%ADdia-e-es…