Mês: outubro 2015

Mais Sacis, Menos Imbecis

maissacisPor Gilberto da Silva

Hoje é o Dia do Saci! Bela e justa homenagem ao Saci-Pererê, figura mitológica do imaginário folclórico brasileiro. O MITO é Lúdico! Dia do Saci é o dia da educação pela cultura, da valorização da oralidade abafada pelas tecnologias midiáticas.

Por que hoje é o DIA Da Contra CULTURA e dia de valorizar a valorizar o folclore nacional, ao invés do DIA DAS BRUXAS (Halloween – festa bonita mas para os yanques), que é celebrado no mesmo dia e que nada tem a ver com a cultura do Brasil. Aqui somos nós! Partindo da lenda do Saci surgiu no sul do Brasil, em meados do século XVIII, onde as histórias populares narravam as travessuras de um pequeno índio de rabo que assustava os animais e destruía plantações. Mudaram para uma figura de negro a usar um gorro vermelho e a fumar um cachimbó. Culpado de tudo. Saci capoeira, Saci de uma perna só! Viva o saci do Monteiro Lobato! Vivam todos os sacis!. Nosso mito do encanto! Protetores da selva! Amantes da Floresta! Quer ter orgulho do Brasil? Comece pelo saci…

O Saci de Tarsila do Amaral

O Saci de Tarsila do Amaral

Saci para multiplicar histórias e versões, para contar e recontar, desviar, desmontar e recriar. SACIS e SACXS, menino ou menino ou ambos! Comportamento de liberdade exposta em suas traquinagens. Somos todos sacis na busca pela liberdade, pela alegria e pelo encantamento. Brasilidade na síntese do negro, do índio, do branco. Sacis gozosos das múltiplas terras tupiniquim. Sim, somos uma terra de sacis, de engenhosidade, inventividade, criatividade. Vamos sair por ai a ver sacis…

Que tenhamos mais sacis e menos imbecis!

PS: Assistam o filme SOMOS TODOS SACYS da Confraria Produções. Documentário que mostra a vida, paixão e morte do mito na tradição oral e suas re-significações nos dias atuais.
Por dois anos, os diretores desse documentário percorreram o interior de São Paulo formulando essas perguntas aos paulistas. Desse passeio encantado originou-se um filme lúdico e poético, tipicamente brasileiro.

https://vimeo.com/11609651

Anúncios

Denise Stoklos vem a Casa de Cultura com a peça ‘Vozes Dissonantes’

Vozes-Dissonantes-Divulga----o-Thais-Stocklos-01-e1446037326138

Foto: Thais Stocklos/Divulgação

Espetáculo faz parte do Circuito Municipal de Cultura, e refaz trajetória do Brasil a partir de personagens históricos, como Padre António Vieira, Sérgio Buarque de Holanda e Milton Santos

 

Denise Stoklos vem a Casa de Cultura Chico Science no sábado, dia 7 de novembro, as 16 horas, com a peça ‘Vozes Dissonantes’, da qual é responsável pela adaptação, texto original, coreografia, sonoplastia, direção e interpretação.

O espetáculo fala sobre os rebeldes brasileiros que levantaram suas vozes contra ordens oficiais do país através desses cinco séculos de história. Na peça, podemos perceber expressões de filósofos, estetas, políticos e poetas como Padre Antônio Vieira, Tiradentes e outros, que apontaram novos rumos para uma sociedade ainda jovem e plena de futuro.

 

“Todos eles lutavam por um outro país que não este. Um país mais livre, mais humanitário. Eles prepararam revoluções em favor dos menos protegidos, do povo brasileiro. E todos continuam com suas mensagens altamente atualizadas, que nos livram do derrotismo, do negativismo. A poesia ainda é algo que salva o país, constrói saídas e nos dá respostas”. Denise Stoklos

Foto: Thais Stocklos/Divulgação

Foto: Thais Stocklos/Divulgação

Serviço:

VOZES DISSONANTES

Local: Casa de Cultura Chico Science

Data e Hora: 07.11 às 16h

Duração: 75 minutos

Classificação: 10 anos

Ingressos: Entrada gratuita

Dia Nacional do Livro

Cultura

Dia Nacional do Livro

(*) Renata Ribeiro de Moraes   Hoje, 29 de outubro, é o Dia Nacional do Livro. E é preciso mesmo celebrar, pois diante de tantos “rivais”, como a internet ou os livros digitais, ainda há espaço para ele comemorar e muito. Imagine se, no dia de hoje, para comemorá-lo, todos os escritores brasileiros se reunissem para festejar o dia. Imagine mais…
Continue a Leitura »

Uma homenagem:

Cultura

Resistir sempre

RESISTIR SEMPRE Margarete Hülsendeger Minha memória é composta de fragmentos de existência, estáticos e eternos: o tempo não passa entre eles, e coisas que aconteceram em épocas muito distantes entre si estão juntas, ligadas ou reunidas por estranhas antipatias e simpatias. Ernesto Sabato (2008, p. 24) No dia 30 de abril de 2011, quando estava a dois meses de…
Continue a Leitura »
Cultura

Nos Bastidores do Pink Floyd

Por Gilberto da Silva Ao som da trilha sonora do Pink Floyd, aos poucos fui devorando esse livro da Editora Generale, com quase 500 páginas e bem escrito pelo jornalista Mark Blake. O livro  Nos  bastidores do Pink Floyd é literalmente uma viagem para dentro do mundo de uma banda que marcou uma geração (a minha…) e possui muitas entrevistas…
Continue a Leitura »
Cultura

Um amor suspenso

O quadro é idílico, uma imagem quase lírica de um amor casto entre dois jovens inexperientes. Seria assim se essa imagem não fosse retirada do livro “Na praia” (em inglês, On Chesil Beach), do escritor inglês Ian McEwan – também conhecido nos meios literários como “Ian Macabro”. Se alguém já teve a oportunidade de ler algum de seus livros…
Continue a Leitura »
Colunistas

A Cidade Como Negócio

As cidades são tratadas pelos gestores como espaços de segregação “casa de pobre para pobre, lugar pobre para pobre” (p.179) gerando conflitos que não se resolvem diante das condições de reprodução capitalista. São questões complexas, mas que os textos ajudam a refletir sobre as dinâmicas de ocupação e uso do espaço urbano….
Continue a Leitura »
Cultura

Pequenos deuses

Por Gilberto da Silva   “ O problema em ser um deus é que não se tem ninguém para quem orar.” O humor ácido é a tônica utilizada por Terry Pratchett para desenvolver uma história crítica à religião institucionalizada. Como imaginar um deus (Om) que se manifesta na forma de uma tartaruga sendo “uma tartaruga de pernas para o…
Continue a Leitura »
Cinema

O cinema sensível de Zuzu Angel

*Paulo Custódio de Oliveira             Que pode um filme mudar na retina cansada das pessoas? Muita coisa, se considerarmos a diversidade de olhos que ele pode alcançar. As telas de cinema são consideradas por muitos como diversão inconsequente, porque um grande número de filmes hollywoodianos e brasileiros denunciam a despreocupação política de alguns diretores. Mas o contrário não é…
Continue a Leitura »
Cultura

A pedagogia do suprimido

Por Gilberto da Silva Poderia sintetizar A Pedagogia do Suprimido como uma obra que tem “o futuro todo ainda para desacontecer”, mas com certeza, não seria um elogio às avessas, uma maldição e sim um desacontecimento meritório, um des-acontecer no sentido da oposição ao que já acontece na literatura, em específico, a poética. Tento de início, não entender esta…
Continue a Leitura »
Cultura

Mentes Perigosas

MENTES PERIGOSAS, o Psicopata mora ao Lado   Nair Lúcia de Britto A obra publicada pela Editora Principium da GLOBOLivros, de autoria da  psiquiatra Ana Beatriz Barbosa Silva, é uma  edição nova, revista e ampliada, que aborda o assunto de forma mais aprimorada e detalhada; citando novos casos divulgados pela Imprensa e que horrorizaram a população. O objetivo da…
Continue a Leitura »
Assédio Moral

Uma verdadeira história de assédio moral

Por Gilberto da Silva Segue abaixo texto que escrevi sobre o segundo livro de Ednete Franca , O perigo invisível. Recomendo a leitura e pauta para apresentações, palestra e entrevista.   Depois de Entre sonhos e pesadelos, Ednete Franca nos presenteia com O perigo invisível, obra em que a autora sergipana aprofunda sua narrativa sobre o processo de vitimização…
Continue a Leitura »
Cultura

Crianças com livros serão adultos leitores

Por Antonio Luiz Rios* A última edição da pesquisa “Produção e Vendas do Setor Editorial Brasileiro”, há pouco divulgada e cujo ano base é 2013, mostra que as editoras comercializaram no mercado consumidor, principalmente por meio das livrarias, dentre outros canais de venda, 279,66 milhões de exemplares no ano passado. O volume representa aumento de 4,13% em relação aos…
Continue a Leitura »
Cultura

Narrativas clássicas infantis: construindo um leitor autônomo

Izaura da Silva Cabral As narrativas estudadas Alice no país das maravilhas, O mágico de Oz, Narizinho Arrebitado e As aventuras de Tom Sawyer são narrativas que se tornaram clássicas, pois ultrapassaram os limites cronológicos do tempo e possuem traços comuns que contribuem para a construção de um possível leitor. Dessa forma, partimos do princípio de que o leitor…
Continue a Leitura »
Educação

Educação ao ritmo da vida

Evelin Gomes da Silva* Acadêmica de Letras na Faculdade de Comunicação, Artes e Letras (FACALE) Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD) BRANDAO, C. R. O Que é Educação. 49ª reimpressão. São Paulo: Brasiliensis, 2007, 117p.   O livro “O que é Educação” (2007) é de autoria de Carlos Rodrigues Brandão, psicólogo e doutor em Antropologia pela Universidade de Brasília…
Continue a Leitura »
Em questão

Dia Mundial do Livro e o protagonismo da sociedade

                                              Karine Pansa* A celebração — uma homenagem a Miguel de Cervantes e William Shakespeare, falecidos nessa data, em 1616, bem como ao nascimento e morte de escritores como Maurice Druon, K. Laxness, Vladimir Nabokov, Josep Pla e Manuel Mejía Vallejo — tem especial significado para o mercado editorial brasileiro em 2014, quando será realizada a 23ª Bienal…
Continue a Leitura »
Cultura

O Triunfo do Capitalismo e o Declínio da Democracia

REICH, Robert B. Supercapitalismo: como o capitalismo tem transformado os negócios, a democracia e o cotidiano. Rio de Janeiro: Elsevier, 2008. 288p.   O Triunfo do Capitalismo e o Declínio da Democracia   Antonio Gil da Costa Júnior *1 Carlos Eduardo de Mira Costa *2   A economia nos Estados Unidos, a partir da década de 70, disparou. Uma…
Continue a Leitura »
Ciências Sociais

Positivismo, historicismo e marxismo: contradições, dilemas e contribuições para as ciências sociais

LÖWY, Michael. As aventuras de Karl Marx contra o Barão de Münchhausen: marxismo e positivismo na sociologia do conhecimento. 9ª Ed. São Paulo: Cortez, 2007. 280p.    Antonio Gil da Costa Júnior *1 Carlos Eduardo de Mira Costa *2   LÖWY, Michael. As aventuras de Karl Marx contra o Barão de Münchhausen: marxismo e positivismo na sociologia do conhecimento….
Continue a Leitura »
Cultura

A vida sabe o que faz

  Nair Lúcia de Britto No prefácio desse livro espiritualista A vida sabe o que faz, de Zíbia Gasparetto, lançado pela Editora Vida e Consciência, a escritora comenta sobre sua mediunidade e sobre seu mentor espiritual, Lucius, quem lhe dita todos os romances que escreve e com quem tem uma especial afinidade. Primeiramente ela agradece a Deus por ter…
Continue a Leitura »
Administração

Prefácio para Madalena Carvalho

Por Gilberto da Silva Se de tudo fica um pouco, mas por que não ficaria um pouco de mim? (Carlos Drummond de Andrade) Enfrentar os desafios de um mundo contemporâneo que vive em constante processo de mudança é uma tarefa árdua, mas extremamente necessária para as organizações. Os novos líderes não podem mais agir de acordo com as lições…
Continue a Leitura »
Cultura

Saberemos ouvir como Momo?

Por Gilberto da Silva O que fazer com o meu tempo livre? Estamos sempre amarrados na desculpa do circulo temporal onde ninguém quer compreender o vazio do outro, o tempo do outro, não fazer nada sempre fazendo alguma coisa. Então, nessa arte de saber o que fazer com o tempo e aproveitando o feriado, depois de muito tempo, literalmente,…
Continue a Leitura »
Cultura

Celso Furtado e a produção de um clássico da historiografia brasileira: Formação Econômica do Brasil (1959)

Denilton Novais Azevedo*        Celso Monteiro Furtado nasceu na cidade de Pombal – PB, no dia 26 de Julho de 1920, vindo a falecer em 20 de novembro de 2004. Filho de magistrados, realizou todo o curso secundário na Paraíba, posteriormente, bacharelou-se em Direito pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, no ano de 1944; doutorou-se em Economia quatro…
Continue a Leitura »
Cultura

O Homem e a Cultura – Obra de Leontiev, O desenvolvimento do psiquismo

Resenha do Capítulo: “O Homem e a Cultura – Obra de Leontiev, O desenvolvimento do psiquismo”   Cassiano Telles Cícera Andréia de Souza Esta obra é uma tentativa de Leontiev, analisar os fatores históricos que influenciam no desenvolvimento cultural do homem quanto a sociedade. Pensando o homem quanto a um ser em progressão ele classifica este processo como um…
Continue a Leitura »
Crônicas

Universo feito de papel

      Uma história, um romance, um conto – essas coisas assemelham-se a seres vivos, e talvez o sejam de fato. Elas têm sua cabeça, suas pernas, sua circulação sanguínea e sua roupa, como pessoas de verdade. Erich Kästner E se os personagens dos livros pudessem falar? E se eles pudessem dar ao seu criador o mesmo tratamento…
Continue a Leitura »
Ciências Sociais

“Enigmas da modernidade-mundo” de Octávio Ianni

 Cassiano Telles Cícera Andréia de Souza Resumo: Octavio Ianni nasceu em São Paulo em 1926, faleceu em 2004. É considerado, assim como Florestan Fernandes e Fernando Henrique Cardoso, um dos principais sociólogos do Brasil. Ianni foi um dos primeiros a lançar mão do método dialético para desvendar enigmas da formação histórica do Brasil e as contradições econômicas, sociais e…
Continue a Leitura »
Cultura

GOTO, o Novo Romance de Silas Correa Leite

GOTO – A Lenda do Mundo do Barqueiro Noturno Na Terceira Margem do Rio Itararé -“A mão que faz girar a água no charco Acorda a areia movediça; que amarra o sopro do vento” Dylan Thomas Sessenta anos e vinte livros. Pensa que é fácil? Sessenta anos e postado em mais de oitocentos links de sites, até no exterior,…
Continue a Leitura »
Livros

Cidades Rebeldes, manifestações contemporâneas

“Se fizermos um bom trabalho pedagógico, teremos uma nova geração com uma nova energia para lutar contra a barbárie” . Erminia Maricato em Cidades Rebeldes.   As jornadas de junho causaram reboliço e repercute até hoje. Nem bem os ânimos esfriaram e a Boitempo lançou Cidades rebeldes: Passe Livre e as manifestações que tomaram as ruas do Brasil. Rápida…
Continue a Leitura »
Cultura

Discurso da Servidão Voluntária, de Etienne de La Boétie

Cassiano Telles Cícera Andréia de Souza   Resumo: Etienne de La Boétie foi um filósofo francês nascido em 1530 que viveu até 1563. Conhecido principalmente por traduzir textos de Plutarco e Xenofonte, referências clássicas Greco-romanas, mas principalmente por ter escrito Discurso da Servidão Voluntária. O presente trabalho tem como objetivo apresentar, na forma de resenha crítica, as principais ideias…
Continue a Leitura »
Comunicação

A Comunicação, por ela mesma

Por Gilberto da Silva* A PAULUS lança O rosto e a máquina: O fenômeno da comunicação visto pelos ângulos humano, medial e tecnológico, de Ciro Marcondes Filho que busca formatar uma Teoria da Comunicação livre dos “vícios” da Sociologia, da Filosofia, da Antropologia ou da Ciência Política. Assim como vários estudiosos da área, Ciro que  professor da USP, deseja uma…
Continue a Leitura »
contemporaneidade e comunicação.

Tecnologias do Imaginário

Fernanda Cielo1 Vantoir Roberto Brancher2 Valeska Maria Fortes de Oliveira3   Juremir Machado da Silva, autor da obra Tecnologias do imaginário é graduado em Jornalismo e História, mestre em Sociologia da Cultura e doutor em Sociologia da Cultura pela Universidade de Paris; foi, também, colunista e correspondente do jornal Zero Hora. Atualmente é professor do curso de Jornalismo da…
Continue a Leitura »
Cultura

A escravidão além da cor

Resenha do livro As cores da escravidão, de Ieda de Oliveira Por Gilberto da Silva Não sei o que aconteceu. Mas antes de chegar ao término da leitura fui tomado pelo choro, pelas lágrimas que teimavam cair dos olhos. Uma angústia, uma sofreguidão insuportável. Parei, respirei….  Pensei: seria alguma alma antepassada fazendo-se presente no meu corpo?  Reminiscências de um…
Continue a Leitura »
comportamento

Quando o apego é demais

Resenha do livro  Stalking – A história real de uma perseguição amorosa, de Flávio Braga, lançamento da editora nVersos   Por Gilberto da Silva Terminei a leitura do livro acreditando que o Edu é um vacilão. O meia idade que se apaixona por uma jovem de 16 anos e acaba vítima da sua sogra gostosa era, até eu receber…
Continue a Leitura »
Educação

Fundamentos da escola significativa

Obra tem  como propósito fornecer as bases de uma escola possível “Mais do que conteúdos, a escola deve promover habilidades intelectuais” Ao apresentar uma visão teórica bem fundamentada, o livro Fundamentos da escola significativa, de Fabio C. B. Villela, professor da Unesp de Presidente Prudente, e Ana Archangelo, da Unicamp, que inaugura a coleção A escola significativa (Edições Loyola)…
Continue a Leitura »
Cultura

O labirinto de Mariana

nair lúcia de britto O Labirinto de Mariana, livro de autoria de Marcelo Antinori, foi escrito com o objetivo de proporcionar uma leitura agradável e um bom entretenimento ao leitor. O romance é envolto num clima de amor e mistério; no qual lenda e realidade de confundem. A Vila de Paraty e suas belezas naturais foram um componente imperioso…
Continue a Leitura »
Cultura

Modernidade e Cenário Urbano em “Alma” de Oswald de Andrade: Traços do Modernista Brasileiro

Carolina Barboza da Silva* Rafael Ademir Oliveira de Andrade** Introdução Oswald de Andrade não só participou como foi um dos líderes de um dos movimentos considerados primordiais para a compreensão da sociedade brasileira. O movimento Modernista contou com intelectuais e artistas como Mario de Andrade, Tarsila do Amaral, Menotti Del Picchia, Anita Malfatti e outros, mas poucos foram engajados…
Continue a Leitura »

A nova dimensão dos livros e das escolas

   Antonio Luiz Rios* A harmoniosa convivência do livro impresso, cada vez mais bonito e lúdico, com o e-book é uma nova realidade do mercado editorial, tornando infrutífera a discussão sobre o risco de extinção do primeiro. As editoras, mais do que nunca, tornam-se provedoras de conteúdos e espaço de produção criativa, no qual interagem autores, ilustradores, tradutores, capistas,…
Continue a Leitura »
Assédio Moral

Assédio Moral: entre sonhos e pesadelos

Gilberto da Silva “Que trágica ironia! As pessoas da minha instituição que, na pior das hipóteses, deveriam me proteger foram elas as responsáveis com ou sem intenção da minha dor” Página 201.   Obra: Entre sonhos e pesadelos: uma história real de assédio moral Autora: Ednete Franca Passos Oliveira Editora: Gráfica Editora J. Andrade Local: Aracaju, 2005 Preço:s/i Contatos…
Cultura

Ivan Gogh – a vida

VAN GOGH – A VIDA Steven Naifeh e Gregory White Smith Trad: Denise Bottmann São Paulo: Companhia das Letras, 2012   A PINTURA E A VIDA DE VAN GOGH                           “Ai, ai, as pinturas mais belas são as que sonhamos deitados na cama,                                                            fumando um cachimbo, mas nunca pintamos.”  Van Gogh   Uma vida curta e conturbada…
Continue a Leitura »
Gilberto da Silva

Para viver uma vida integrada

Você já tomou muito antibióticos para combater as infecções? Usa de forma constante analgésico? Faz uma alimentação baseada nos produtos industrializados e na carne? Amigos leiam com cuidado e atenção o livro Terapia Integrativa, de Ilan Segre. Vai gostar ou odiar. Mas com certeza, fará uma reflexão sobre si. No livro Terapia integrativa – Ioga, naturopatia, psicologia e ayurveda,…
Continue a Leitura »
Espiritualidade

Reflexões Diárias

nair lúcia de britto  Encontra-se disponível no mercado o livro Reflexões Diárias (2013), de Zíbia Gasparetto, lançado pela Editora Vida & Consciência. Considerada a escritora brasileira mais importante da literatura espiritualista, a autora apresenta nesta obra uma seleção de pensamentos poéticos que conduzem o leitor a uma reflexão diária; uma vez que cada um deles corresponde, respectivamente, a cada dia do…
Cultura

Limites da Fundação

Há uma série muito antiga de Isaac Asimov – os romances da Fundação – na qual os cientistas sociais entendem a verdadeira dinâmica da civilização e a salvam. Isso é o que eu queria ser. E isso não existe, mas a economia é o mais próximo que se pode chegar. Então, como eu era um adolescente, embarquei nessa.” – Paul…
Continue a Leitura »
Cultura

Ciberjornalismo e a produção jornalística na internet

Por Gilberto da Silva Ciberjornalismo. Assim, seco e direto é o nome da obra lançada pela Paulinas. A autora Carla Schwingel, é doutora em Comunicação e Cultura Contemporâneas (UFBA), especializada em cibercultura e ciberjornalismo e escreve com profundidade sobre o assunto. Objeto de estudo para a tese de doutorado com o título “Sistemas de Produção de conteúdos no ciberjornalismo:…
Continue a Leitura »]

O inferno somos todos nós

Pequena Resenha Critica   Romance “Diário de Um Médico Louco” de Edson Amâncio   “…-Eu não vou entrar nesse buraco com você!” (Fala de personagem do Filme ‘Olhar de Anjo’)     Escrever nos coloca em nós? Pior – ou, melhor – escrever nos desloca de nós, isso quando não nos fragmenta, fermenta (purga) de nós, nos liberta de…
Continue a Leitura »
Cultura

Confundezas com a Língua Portuguesa

Por Gilberto da Silva O cotidiano de um casal é marcado pelo original e inusitado Jaqueline Novaes, escritora paulistana de 41 anos, que hoje reside em Valinhos (SP), lançou o livro Confundezas com a Língua Portuguesa- trasduzindo Rolf Geissinger. O livro retrata as dificuldades da convivência entre diferentes culturas e línguas que são muito mais do que um simples…
Continue a Leitura »
Livros

O Pequeno Príncipe

Por: Raylene Rêgo.   Quem disse que esse livro é só para criança? Ah! Já sei. Quem ainda não leu, só pode. O livro “O Pequeno Príncipe” nos ensina várias lições. O seu autor: Antoine de Saint-Exupéry demonstra uma sensibilidade incrível em suas palavras. Eu me vi envolvida e comovida com a história. Não sei se com você acontecerá…
Continue a Leitura »
Cultura

Contos do Isaac

  Por Jaqueline Novaes Título: 47 contos de Isaac B. Singer Editora Cia das Letras ISBN:8535905030 Tradução:José Rubens Siqueira Este livro nos traz um poço do rico do universo judaico, suas lendas, seu folclore; com contos breves e bem escritos por este “contador” de história que é Isaac B. Singer. De maneira sutil ele vai nos narrando sem nenhum maneirismo…
Continue a Leitura »
Cultura

O Brasil Privatizado II

O Brasil Privatizado II O assalto das privatizações continua Autor: Aloysio Biondi R$ 7,00 – 64 páginas Prefácio A publicação de O Brasil Privatizado II: O assalto das privatizações continua poderia ser justificada de várias formas. A mais imediata seria simplesmente dizer: “O Aloysio já havia acertado com a Editora Fundação Perseu Abramo uma continuação do primeiro. Além disso, ele até já…
Continue a Leitura »
Cultura

Como andam as relações entre homens e mulheres?

Ninguém duvida que estão acontecendo mudanças de comportamento nas relações entre os sexos na sociedade brasileira contemporânea. Mas o que mudou? Como homens e mulheres estão lidando com isso? Nos seis artigos que compõem este volume, estas transformações são analisadas a partir do discurso de homens e mulheres em situações atuais como o mercado de trabalho feminino, academias de.

A Poesia realizada

pesie

Por Gilberto da Silva

 

Pichemos, oremos, lemos.

Aqui postes entulhados

Lá vidas mesquinhas

Aqui corpos suados.

 

Façamos versos

sejam intrusos

obtusos

ou confusos.

Mas façamos!

 

Liberte sua alma,

deixe criativa a sua mente.

 

Não nos afastai das letras!

 

Que tipo de homem-sexual você é?

 

By ACROSS Team | Published: November 6, 2013

Dentro do universo masculino, até alguns anos atrás, os homens eram definidos, grosseiramente falando, como homossexual, heterossexual ou bissexual.

Porém o novo milênio, não presenteou somente o mundo tecnológico com novas definições. O aumento da oferta em diferentes indústrias despertou nos homens gosto e apreço por hábitos, produtos, hobbies e estilos diferenciados. Com isso, surgiram descrições para o ser ‘homem’ em um universo que era, até então, bem básico.

Conheça abaixo os conceitos que definem  o universo masculino contemporâneo, independente da opção sexual, e veja como eles se agrupam.

Übersexual

  • Homem moderno e que também cuida da sua imagem, porém de uma forma mais despojada.
  • Em alemão, Über significa “acima de”, ou seja, este é um homem que une boas qualidades e se destaca comparado aos demais, mas sem exageros.
  • Ele tem estilo, mas não é narcisista.
  • É inteligente, charmoso e gosta de se envolver em causas sociais.
  • Além de todo este jeito moderno e discreto, o übersexual é também companheiro fiel, sensível e dedicado, sem atitudes grosseiras.

Retrosexual

  • Conhecido como “o homem à moda antiga”. Por isso, a palavra inicia com “retrô”.
  • É valente, viril e conservador.
  • Apesar deste resgate de valores antigos, este homem rejeita o comportamento machista.
  • Veste-se bem, mas não necessariamente com o que a moda dita. O relógio é o seu acessório.
  • Tem pouca preocupação com a forma física, a barba não tem pressa para ser feita, não usa cosméticos e vai ao cabeleireiro só para fazer o tradicional corte de cabelo.

Machosexual

  • Homem forte, viril com características masculinas bem visíveis. É decidido, valente e protetor.
  • Não implementa estilos novos no seu comportamento, na atitude e na maneira de vestir.
  • É o homem que assume a responsabilidade frente a(o) companheira(o), sua família e a sua comunidade, podendo até mesmo ter a sua atitude confundida com o machismo.
  • A falta de compromisso com a vaidade é uma forma de assegurar a sua masculinidade.
  • Suas características físicas são corpo, barba e cabelo naturais. Não usa gel ou cera para ajeitar o cabelo para um lado ou para o outro.
  • Essas descrições estão de acordo com a definição mais recente de machosexual. No estudo que fizemos, encontramos em um artigo uma definição mais antiga que relaciona o machosexual ao homem homossexual que mantém as características físicas e de comportamento bem masculinas.

Metrossexual

  • Homem vaidoso, que se veste bem e precisa estar na moda.
  • Investe na compra de roupas, acessórios e cosméticos com elevado grau de sofisticação.
  • Vai ao cabeleireiro para fazer mais do que um corte básico; faz manicure, pedicure, depilação e limpeza de pele.
  • Se possível, complementa o visual com um corpo chamado “escultural”, de músculos extremamente definidos.
  • Todo este cuidado não é somente para sentir-se melhor, é também para ser visto.
  • Urbano, serve de público alvo para as revistas de moda masculina.

E, por fim, o mais novo no pedaço…

Tecnosexual:

  • É o homem envolvido pelo mundo virtual.
  • Mantém um visual moderno, com um toque de vaidade.
  • Carregam no mínimo um gadget (o mais atual, é claro) e sabem o melhor aplicativo para qualquer demanda.
  • São atualizados e navegam com gosto pelas redes sociais. Com senso estético, estão transformando a definição mais nerd de “geek” para algo mais cool. Ou seja, eles são os moderninhos.

Nos divertimos muito  buscando essas novas definições do homem-sexual (até onde sabemos Across cunhou este termo). Dentro dessas categorias, em qual você mais se encaixaria?

Você é:

( ) Übersexual
( ) Retrosexual
( ) Machosexual
( ) Metrossexual
( ) Tecnosexual

A falta que Bundas nos faz

bundascapaHoje acordei com a Bundas na memória. Baixou uma baita saudades de Bundas. Das Bundas lidas e relidas, das Bundas passadas e repassadas. Das sempre boas Bundas! Quem tinhas Bundas não via Caras…

As Bundas vieram e se foram num pequeno fluxo de tempo. As Bundas eram de bom tamanho, ideal para ótimas risadas e gargalhadas, nem muito grande, nem muito pequena, eram páginas de Bundas em palmos medidas.
A revista hebdomadária teve vida curta, mas foi suficiente para encher nossos olhos de boas bundas e caras de bundas por todo o país.
No meio de Bundas encontrávamos Ziraldo, Jaguar, Millor, Veríssimo, Chico e Paulo Caruso, Miguel Paiva, Angeli, Jô Soares, Aroeira e tantos outros mestres na arte de bundar com alegria, e bundar com inteligência. Bundar com satisfação e gozação…

 

Mas Bundas caiu, digamos, saiu das bancas muito rápido deixando seus leitores inconsoláveis. Bundas faz falta! Se o Pasquim já foi e já voltou, quem sabe um dia a Bundas volta. Que volte ruidosa, cheirosa, espalhafatosa e gostosa como todas Bundas…

Concurso de receitas receberá inscrições até 2 de novembro

merendas_foto

Merendeiros e merendeiras de todo o país têm até 2 de novembro para fazer a inscrição no concurso Melhores Receitas da Alimentação Escolar. O prazo, que expiraria no dia 25 próximo, foi prorrogado para permitir que mais pratos regionais sejam adicionados ao cardápio, que já conta com dezenas de iguarias servidas diariamente nas escolas de todo o Brasil.

Até agora, São Paulo, Minas Gerais e Paraná são as unidades da Federação com mais receitas cadastradas. Todos os 26 estados e o Distrito Federal estarão representados no concurso.

Com a iniciativa, o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) busca valorizar o papel dos profissionais da merenda, além de promover a formação de hábitos alimentares saudáveis, tanto no ambiente escolar quanto fora dele. Também é uma forma de comemorar os 60 anos da alimentação escolar no Brasil.

O Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae) é considerado referência internacional para países interessados em criar ou aprimorar políticas na área. Atualmente, mais de 42 milhões de estudantes brasileiros são beneficiados pelo programa.

Para participar do concurso, a merendeira ou o merendeiro deve inscrever a receita na página eletrônica do concurso e mobilizar a escola na qual trabalha para desenvolver pelo menos uma atividade de educação alimentar e nutricional que tenha a ver com a preparação inscrita. A escolha ocorrerá em quatro etapas, nas quais serão selecionadas as receitas mais elaboradas e saborosas de cada região. Os cinco vencedores da etapa nacional ganharão uma viagem internacional e um prêmio de R$ 5 mil.

Os profissionais que já fizeram a inscrição devem observar os novos prazos, conforme a tabela. Além das inscrições, foram prorrogadas as datas das etapas estaduais e regionais, bem como as fases de divulgação dos resultados.

 

Assessoria de Comunicação Social, com informações do FNDE

A democracia arrombada, por Janio de Freitas

DSC01405

Pela lucidez do artigo, vale a reprodução, mesmo com a grita reacionária… Mas um jornalista que arderá no fogo da intolerância…

Janio de Freitas, na Folha 25/10/2015
Crise, crise mesmo —não os quaisquer embaraços que os jornalistas brasileiros logo chamam de crises— desde o fim da ditadura tivemos apenas a que encerrou o governo Collor. Direta ao objetivo, exposta como se nua, escandalosa e inutilmente previsível, começou e se encerrou em cinco meses e dias. Estava reafirmado, provava-se vivo e são, o mau caráter histórico do Brasil.
Mas, aos quatro anos, a Constituição resistiu e respondeu aos safanões, não muitos nem tão graves. Não se deu o mesmo com a crise em que fiz minha estreia como jornalista profissional. Aos oito anos em 1954, a primeira Constituição democrática do Brasil, em quase 450 anos de história, não pôde sequer esperar que um golpe militar e um revólver matassem Getúlio. As tantas transgressões que sofreu desde a posse do Getúlio eleito já eram o esfacelamento da Constituição democrática, com o desregramento político, legal, ético e jornalístico da disputa de poder que ensandecia o país.
O Brasil deixara de ser democracia bem antes do golpe que o revólver de Getúlio deixou inconcluído como ação, não como objetivo. Reduzido o regime de constituição democrática a mera farsa, em poucos meses seguiram-se o impedimento do vice de Getúlio, a derrubada do terceiro na linha de sucessão, que era o presidente da Câmara, e a entrega da presidência ao quarto até a posse do novo presidente eleito. Estes foram golpes militares do lado até então perdedor, antecipando-se aos golpes que o lacerdismo e seus subsidiários prepararam, com os militares de sempre, para impedir a posse do eleito Juscelino.
Em termos políticos, a vigência da Constituição democrática foi restaurada por Juscelino. Lacerda, seus seguidores e aliados fizeram mais para derrubá-lo, e por longos cinco anos, do que haviam feito contra Getúlio. Dois levantes de militares ultralacerdistas (o primeiro delatado ao governo pelo próprio Lacerda, temeroso de represália). Mas os desmandos administrativos, ainda que acompanhados de grandes realizações, corromperam a vigência plena da Constituição.
A Constituição que Jânio Quadros encontra é desacreditada, e por isso frágil. Seus princípios são democráticos, mas, dada a sua fraqueza, o regime não é de democracia de fato. Um incentivo a aventuras inconstitucionais, portanto. Primeiro, a que se frustrou na indiferença ante a renúncia presidencial. Depois, o levante militar contra a posse do vice. Não foi a Constituição democrática que impediu a guerra civil entre seus violadores e seus defensores. Foi um acordo que nem por ser sensato deixava ele próprio de segui-la.
O Brasil do período em que se deu o governo Jango está por ser contado. As liberdades vicejaram, o que deu certos ares de regime constitucional democrático. Mas os desregramentos de todos os lados e o golpismo tanto negaram a constitucionalidade como a democracia. As eleições para o Congresso estavam viciadas por dinheiro norte-americano e brasileiro, grande parte do Congresso seguia ordens de um tal Ibad, que era uma agência da CIA, a agitação governista e oposicionista criava um ambiente caótico e imprevisível mesmo no dia a dia. As liberdades não bastavam para configurar uma democracia, propriamente, por insuficiência generalizada do pressuposto democrático.
Passados os 21 anos de serviço ostensivo dos militares brasileiros aos interesses estratégicos e econômicos dos Estados Unidos, a Constituição de 1988 apenas embasou e aprimorou a democratização instituída com a volta do poder aos seus destinatários por definição e direito –os civis, em tese, os agentes de civilização. De lá até há pouco, o que houve no governo Collor foi como um mal-estar. Não afetou as instituições e sua prioridade democrática.
Não se pode dizer o mesmo do Brasil atual. Há dez meses o país está ingovernável. À parte ser promissor ou não o plano econômico do governo, o Legislativo não permite sua aplicação. E não porque tenha uma alternativa preferida, o que seria admissível. São propósitos torpes que movem sua ação corrosiva, entre o golpismo sem pejo de aliar-se à imoralidade e os interesses grupais, de ordem material, dos chantagistas. Até o obrigatório exame dos vetos presidenciais é relegado, como evidência a mais dos propósitos ilegais que dominam o Congresso. A Câmara em particular, infestada, além do mais, por uma praga que associa a criminalidade material à criminalidade institucional do golpe.
A ingovernabilidade e, sinal a considerar-se, o pronunciamento político contra a figura presidencial, pelo comandante do Exército da Região Sul, são claros: se ainda temos regime constitucional, já não estamos sob legítimo Estado de Direito. A democracia institucional desaparece. Como indicado no percurso histórico, sempre que assim ocorreu e não foi contido em tempo, o rombo alargou-se. E devorou-nos, com nossa teimosa e incipiente democracia.

Dia do Aviador

DIA DO AVIADOR

Hoje, dia 23 de outubro é comemorado o Dia do Aviador. Dia para celebrar os profissionais que pilotam todos os tipos de aviões.

No dia 23 de Outubro de 1906, o brasileiro Alberto Santos Dumont, torna-se o primeiro ser humano a voar com o seu 14-Bis, Santos Dumont faz um voo no Campo Bagatelle, na França, que ficaria registrado como o inicio de uma grande revolução nos meios de transporte na Terra: o avião.

4° Encontro Ambiental na região do Jaçanã/Tremembé

4° Encontro Ambiental

 

A região do Jaçanã/Tremembé vai realizar o 4° Encontro Ambiental na região do Jaçanã/Tremembé no dia 29 de outubro de 2015, das 9h as 15 h na Rua Conchita, 265.  Em um espaço democrático, onde a sociedade e o poder público possam construir juntos caminhos para o desenvolvimento Sustentável.

 

 

%d blogueiros gostam disto: