Dia: 3 de novembro de 2015

Amartya Kumar Sen

Figura copiada do site da FUNDAÇÃO NOBEL: http://nobelprize.org/

Figura copiada do site da FUNDAÇÃO NOBEL:
http://nobelprize.org/

Amartya Kumar Sen nasceu em Santiniketan, no campus universitário de Rabindranath Tagore’s Visva-Bharati, Índia, em 3 de novembro de 1933. De uma família de Dhaka, hoje capital de Bangladesh, e com tradição acadêmica, é filho do professor de química da Universidade de Dhaka, Ashutosh Sen, e de Kshiti Mohan Sen, professora de sânscrito. Morou com os pais em Mandalay, em Burma (1936-1940, e foi educado em Santiniketan e na St. Gregory’s School, em Dhaka, e depois foi para o Presidency College, em Calcutta e completou sua formação superior no Trinity College, em Cambridge, United Kingdom.

Foi professor na Delhi School of Economics, no London School of Economics, em Oxford e em Harvard, onde, por uma década, lecionou Economia e Filosofia. Desde 1998 é Reitor do Trinity College, Cambridge (onde, em 1959, recebeu seu Ph. D. É um notável economista teórico, uma autoridade mundial em teoria da escolha social e economia do bem-estar social; é um pesquisador de ponta em economia do desenvolvimento e tem influenciado análises e programas de organismos da ONU e do Banco Mundial, entre outros. Ajudou na elaboração do novo cálculo do chamado Índice de Desenvolvimento Humano, publicado este ano. Publicou, entre muitos outros, Poverty and Famines (1981) e  Choice, Welfare and Measurement (1982).

Ganhou o Prêmio Nobel de Economia (1998) por suas contribuições à economia do bem-estar social.  Professor do Trinity College, em Cambridge, e também reitor na mesma faculdade, foi um dos fundadores do Instituto Mundial de Pesquisa em Economia do Desenvolvimento, a Universidade da ONU, seus livros mais importantes foram On Economic Inequality, Poverty and Famines e On Ethics and Economics.

Tem se destacado entre os economistas, cientistas e educadores do mundo todo por defender que o desenvolvimento de um país está essencialmente ligado às oportunidades que ele oferece à população de fazer escolhas e exercer sua cidadania, incluindo não apenas a garantia dos direitos sociais básicos, como saúde e educação, como também segurança, liberdade, habitação e cultura.

Segundo Sen, é importante o reconhecimento simultâneo da centralidade da liberdade individual e da força das influências sociais sobre o grau e o alcance da liberdade individual. Para combater os problemas que enfrentamos, temos de considerar a liberdade individual um comprometimento social, como forma de ampliar oportunidades sociais, políticas e económicas que permitam alcançar tal objectivo. Neste sentido, a expansão da liberdade é vista como o principal fim e o principal meio do desenvolvimento. (In:« Amartya Sen: o autor e algumas das suas obras, Cesaltina Abreu », Revista Angolana de Sociologia [Online], 9 | 2012, posto online no dia 29 Julho 2013, consultado no dia 24 Abril 2015. URL : http://ras.revues.org/484)

 

Sua luta resume-se na sua afirmação: – Vivemos um mundo de opulência sem precedentes, mas também de privação e opressão extraordinárias. O desenvolvimento consiste na eliminação de privações de liberdade que limitam as escolhas e as oportunidades das pessoas de exercer ponderadamente sua condição de cidadão.

Anúncios