Dia: 25 de janeiro de 2018

São Paulo com Suco

Boa pedida para este feriado em SAMPA. Assistir um filme feito em 1980 – O Homem que Virou Suco – de João Batista de Andrade. Nunca me esqueço que na saída do Cine Olido, no dia do lançamento, o diretor veio me perguntar se gostei do filme….

A história de um migrante nordestino que chega a São Paulo e é confundido com um operário que matara o patrão.

 

Anúncios

Alguns detalhes de gastos numa viagem para o Espírito Santo

Por Gilberto da Silva

Saída de São Paulo para o Espírito Santos, dia 22, de um ano que não lembro mais qual, às 06h15 minutos. Antes um café na padaria da esquina que é o que São Paulo tem de melhor! Dutra e demais estradas: um saco! Chegada em Iriri, às 18h45m minutos de um dia quente.

Álcool: $25,00 + r$ 20 + 20,00 = R65,00. Café da manhã: R$ 72,00. Jantar no dia 22: R$15,00. No dia 24, paguei mais 20 conto pro álcool/combustível.. Em Vila Velha gastei r$ 8,70 por um almoço e paguei R$1,40 por uma cerveja. No pedágio pra Vila Velha paguei 0,95 centavos. Mas na minha viagem não poderia faltar uma pinga Reserva do Gerente que paguei R$ 10,00 mas não devia, tomei uma pinga boa e me venderam outra ruim, afinal, quem mandou cair no papo de bêbado com o atendente…

No caminho para Iriri, já cansado,  comi um lanche por 8 conto.

Na primeira noite, dia 23, houve um homicídio e uma tentativa de roubo. Segundo minha acompanhante, o homicídio seria qualificado. Programas policiais à parte, dormi. Dia seguinte, café da manhã e mais estrada. Gastei mais 50 conto para ir até Anchieta e lá mais 9 conto pro lanche e oito e cinquenta para sucos em geral. Bem, sobrou um bife no restaurante português por R$ 12,50. Tempo para retorno na história, padre, igreja etc.

Saco cheio de Anchieta, rumamos pra Domingos Martins, caminho que se deu através de Alfredo Chaves. Estrada de terra. Uma parada para curtir a Cachoeira de Matilde. Uma linda região com muita plantação  de café, criação de gado e de bananas. Até hoje quando vejo a cotação do café, lembro-me da região.

Em Domingo Martins, região de imigrantes alemães, o clima é das montanhas e nessa época 9 no dia da minha passagem) acontecia um festival de música. Muitos jovens. Bom clima. tempo para a Pedra Azul.

Retorno pelas belas paisagens.

Chegada em Guarapari, num sábado, duas cervejas (R$8,50) praia,, suco, mar e sol. Tudo bem, parecia o Guarujá.

Caldo verde em Iriri, à noite com bebidas e petiscos, tudo muito barato na casa de uns 9 mangos.

O Hotel em que estávamos hospedados só oferecia café da manhã com manteiga gelada, na verdade pedra de manteiga. Cansei de pão com presunto. Cansei de anotar os gastos!

Retornar, São Paulo nos espera!