Dia: 15 de outubro de 2019

EM ÁGUAS PROFUNDAS

No livro EM ÁGUAS PROFUNDAS, David Lynch discorre sobre as influências e o impacto da prática da meditação transcendental em sua vida e obra. Diretor e roteirista da premiada série de TV americana Twin Peaks, e autor do clássico Veludo Azul, David Lynch tornou-se adepto da prática na década de 70, ao se aproximar do movimento espiritual criado pelo guru indiano Maharishi Mahesh Yogi, que teve sua primeira onda de popularidade nos anos 60 graças a seus célebres seguidores, como John Lennon, Paul McCartney, George Harrison, Mia Farrow e Donovan.
David Lynch revela a experiência de “mergulhar em si mesmo” e de “pescar ideias” como se pescam peixes e, em seguida, como aplicar esses conceitos na televisão, no cinema e nos outros meios criativos como pintura, música e desenho. “Quanto mais você expande a consciência – a atenção – mais fundo é seu mergulho na direção dessa fonte, e maior será o peixe que pode pegar”.


O mito é o nada que é tudo

Fernando Pessoa
Primeiro: ULISSES

  

O mito é o nada que é tudo.

O mesmo sol que abre os céus

É um mito brilhante e mudo —

O corpo morto de Deus,

Vivo e desnudo.

Este, que aqui aportou,

Foi por não ser existindo.

Sem existir nos bastou.

Por não ter vindo foi vindo

E nos criou.

Assim a lenda se escorre

A entrar na realidade,

E a fecundá-la decorre.

Em baixo, a vida, metade

De nada, morre.
s.d.

Mensagem. Fernando Pessoa. Lisboa: Parceria António Maria Pereira, 1934 (Lisboa: Ática, 10ª ed. 1972). – 25.