Dia: 18 de outubro de 2019

Teatro, moda e cultura no V Seminário Comunicação, Cultura e Sociedade do Espetáculo

No dia 18 de outubro de 2019 atuei como moderador de uma mesa durante o V Seminário Comunicação, Cultura e Sociedade do Espetáculo evento organizado pelo grupo de pesquisa em Comunicação e Sociedade do Espetáculo do PPGCOM (Programa de Pós Graduação em Comunicação) da Faculdade Cásper Líbero. O grupo é liderado pelo professor doutor Cláudio Novaes Pinto Coelho.

A proposta do evento é refletir sobre a produção cultural na contemporaneidade, procurar compreender como esta produção está vinculada a processos comunicacionais que se concretizam em produtos midiáticos, que podem ou não estar integrados à dinâmica da sociedade capitalista do espetáculo, que articula produção e consumo de mercadorias e produção e consumo de imagens. Uma pergunta se coloca neste instante: Práticas de resistência a essa dinâmica são possíveis? Por outro lado, a contemporaneidade também nos coloca, tendo em vista o crescimento em escala mundial de governos repressivos, o desafio de refletir sobre as possibilidades de resistência diante das diferentes formas de exercício da opressão.

A mesa que mediei foi muito boa, com belas apresentações e contribuições para esta debate.

Giulia Garcia e o TEMPO Y ESPETÁCULO: poética e processos comunicacionais no Teatro Oficina, uma aula sobre a resistência do Teatro Oficina Uzyna Uzona e reflexões sobre as montagens de Roda Viva em 1968, 2018 e 2019. A Giulia está terminado o curso de jornalismo na Cásper Libero e é uma menina com futuro brilhante!
Em Polifonias no teatro popular: reflexões sobre a peça “Bom Retiro, Meu Amor” do TUOV, Mei Hua Soares, doutora e atriz, contou um pouco sobre o processo criativo do TUOV ( Teatro Popular União e Olho Vivo ) durante a elaboração da peça Bom Retiro Meu Amor: Ópera-Samba, Mei Hua Soares foi e é uma garota sensacional! Muito aprendi.

Em Cogitando sobre uma arte crítica: pensamento crítico em gesto, meu colega de grupo Antonio Duran mostrou o processo criativo do grupo Teatro da Vertigem, da qual é dramaturgo e a partir das reflexões entendermos um pouco mais sobre os processos de criação teatral. Antonio como sempre contundente, não dá para passar num debate com ele sem levar alguma experiência da prática teatral para casa.


Eis que, Entre flores e vaga-lumes: um recorte da cultura e da resistência em Pasolini, Ethel Pereira Shiraishi leva-nos ao mundo do enigmático e contundente cineasta e homem de cultura italiano. Nossa sempre boa anfitriã ( eventos e Relações Públicas), Ethel Pereira, sempre trazendo poesia onde não há esperança.


Em Arte, história e mídia: o que comunicam as releituras de O Quarto Estado, Fabiola Ballarati Chechetto, que nós carinhosamente a chamamos de Nina refletimos sobre sobre o quadro O Quarto Estado de Giuseppe Pellizza da Volpedo e suas diversas apropriações e ressignificações. O Novecento presente. Itália viva! Descobri na apresentação a referência do final do filme Novecento (1976) de Bernardo Bertolucci que marcou minha juventude!

E por último, a Moda como Cultura e Forma de Comunicação, na rápida, porém magnífica exposição sobre a moda como parte integrante de uma cultura e como forma de comunicação. Rafaella Piragini Fernandes, estudante de Relações Públicas na Faculdade Cásper Líbero traçou um breve percurso histórico cujo enfoque é justamente a moda em seu vínculo como questões mais amplas.. Ah! Madame Channel…