Mês: setembro 2021

6º Seminário Comunicação, Cultura e Sociedade do Espetáculo

No dia 13/10, terá início o 6º Seminário Comunicação, Cultura e Sociedade do Espetáculo! No evento, serão apresentadas pesquisas no âmbito da Comunicação e Sociedade do Espetáculo que discutem a situação atual da cultura e momentos históricos da sociedade brasileira. Confira a programação completa e se inscreva: https://cspr.me/evento-VI-seminario

#Paulista900#UniversoCásper#UniversoCasper#Comunicacao#Comunicação#CasperLibero#CásperLíbero#Casper#Cásper#Graduação#Graduacao#Faculdade#Vestibular#Vestibular2022#PaulistaAvenue#AvenidaPaulista#AvPaulista#SociedadeDoEspetaculo

Alzheimer é tipo de demência mais incidente entre idosos

Foto Matthias Zomer
Dia Mundial do Alzheimer foi criado para dar visibilidade à doença, cuja incidência tende a aumentar em virtude do envelhecimento populacional
Em 2020, 13,5% da população do Brasil era composta por idosos, segundo o IBGE. Uma parcela que tende a crescer tanto no país quanto no mundo, em virtude do aumento da expectativa de vida. Os dados tornam ainda mais latente a necessidade de atenção acerca das doenças incidentes entre pessoas idosas, sendo uma delas o Alzheimer. O Dia Mundial do Alzheimer (21/09) foi criado para dar visibilidade a este tipo mais frequente de demência. De acordo com a Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia, cerca de metade das 2 milhões de pessoas com demência no Brasil têm Alzheimer. No entanto, há uma subnotificação em virtude da imprecisão no diagnóstico ou até mesmo da falta dele.
O que é o Alzheimer?
O Alzheimer é um tipo de demência, isto é, um grupo de sintomas caracterizado pela alteração de pelo menos duas funções do cérebro. Pode afetar a memória, a capacidade de pensamento e outras habilidades mentais. No caso específico do Alzheimer, os sintomas costumam se desenvolver gradualmente ao longo de muitos anos e, eventualmente, tornam-se mais graves, impactando o funcionamento cerebral, bem como a independência do paciente. Alguns pesquisadores acreditam que as demências sejam as “doenças do futuro”. Isso porque a população idosa está vivendo por mais tempo, fato que aumenta muito as probabilidades de desenvolver alterações nos neurônios. Ou seja, a velhice não causa, mas facilita o desenvolvimento da condição no organismo. Previsões elaboradas pela Universidade do Porto (Portugal) e pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) determinam que algum tipo de demência deve afetar pelo menos 1/4 da população brasileira com mais de 80 anos daqui a três anos – há dois anos, o Alzheimer já atingia 1,2 milhões de brasileiros.
O que causa o Alzheimer?
Embora ainda não tenha sido possível determinar precisamente as causas exatas do Alzheimer, acredita-se que alguns fatores podem influenciar nos riscos de desenvolver a doença, como o avançar da idade, histórico familiar dessa condição, depressão não tratada, inflamações no cérebro, fatores e condições de estilo de vida associados a doenças cardiovasculares.
Como reconhecer o Alzheimer?
As manifestações iniciais podem passar desapercebidas pelo paciente e familiares, pois os primeiros sinais são pequenos problemas de memória, fato que costuma ser relativamente comum em pessoas de qualquer idade. “É comum esquecermos coisas do dia a dia, como por exemplo o nome de uma pessoa ou onde guardamos o celular – muitas vezes esses esquecimentos são por falta de atenção. Já o esquecimento que interfere na funcionalidade da pessoa (esquecer de pagar contas, esquecer caminhos conhecidos, esquecer compromissos importantes) podem ser indicativos da doença de Alzheimer. Esquecer de alguma coisa e lembrar depois pode indicar um esquecimento ‘normal’. Esquecer de alguma coisa e esquecer que esqueceu, geralmente indica anormalidade”, explica o neurologista do Hospital Brasília Arthur Jatobá e Sousa.
Existe prevenção?
Como a causa exata do Alzheimer ainda não é clara para os pesquisadores, não há maneira conhecida de prevenir a doença. Porém, alguns hábitos podem auxiliar indiretamente. A prática regular de exercícios é um exemplo, já que pode beneficiar as células cerebrais, aumentando o fluxo sanguíneo e de oxigênio para o cérebro, além de favorecer o bom funcionamento do cor​​ação – estudos de autópsia já demostraram que até 80% dos pacientes com Alzheimer apresentavam doenças cardiovasculares. Uma alimentação saudável, rica em grãos inteiros, carnes magras e alimentos in natura, também pode auxiliar no combate à doença. O especialista do Hospital Brasília destaca que, como a doença se inicia no cérebro de 20 a 30 anos antes do início dos sintomas, esses tipos de cuidados têm um papel essencial. “Alguns fatores de risco modificáveis incluem hipertensão arterial, dia​betes, obesidade, tabagismo, etilismo, isolamento social, depressão, baixa escolaridade e sedentarismo”, pontua. Quanto ao temor relacionado à hereditariedade do Alzheimer, o médico afirma que, de fato, em uma pequena quantidade de pacientes há uma predisposição com a identificação de mutações genéticas específicas. Esses pacientes geralmente iniciam a doença antes dos 65 anos de idade, situação em que se considera um Alzheimer de início precoce. Porém, na maioria dos pacientes acometidos, a doença se inicia após os 65 anos (Alzheimer de início tardio) e não há ligação com uma mutação genética específica. Por este motivo, é importante, também, seguir as consultas regulares com o neurologista.
Existe tratamento?
Não há tratamento, mas existem medicamentos que podem ajudar a melhorar os sinais de demência em algumas pessoas, agindo como multiplicadores de neurotransmissores do cérebro. Há também estudos que apontam benefícios aos pacientes com Alzheimer que fazem uso do canabidiol (CBD), uma das substâncias presentes na planta de maconha. Segundo algumas pesquisas, o CBD pode evitar a criação de proteínas malformadas relacionadas ao Alzheimer. Também há associação entre os canabinoides e a proteção às células nervosas. No entanto, ainda não há consenso sobre o uso da substância. Em junho de 2021, a Food and Drug Administration (FDA) autorizou nos Estados Unidos o uso de um novo remédio contra o Alzheimer. Trata-se do Aducanumabe, desenvolvido pela farmacêutica Biogen, destinado a fases iniciais da doença e a pacientes com demência leve. Segundo a farmacêutica, a expectativa é de que o novo tratamento atrase o declínio cognitivo em até 22%. Ainda não há previsão do uso do remédio no Brasil.

Além de medicamentos e implantes, luzes de ledterapia podem combater a queda dos cabelos

Setembro – Mês da Conscientização da Alopecia

Segundo dados da Sociedade Brasileira do Cabelo (SBC), a calvície afeta mais de 42 milhões de brasileiros. Cerca de 50% das mulheres também apresentam queixas com relação à queda de fios.

Setembro é o mês de conscientização da Alopecia, condição que provoca o rareamento ou a queda dos cabelos. Há diversos tipos: alopecia androgenética, alopecia areata, alopecia senil, alopecia de tração, cada qual com suas características.

O diagnóstico é feito durante o exame físico do paciente. É muito importante diagnosticar o tipo de alopecia, uma vez que os tratamentos são diferentes. Alguns exames de sangue, tricoscopia e até mesmo biópsia pode ser necessário para elucidar com clareza cada caso.

No que se refere aos tratamentos, atualmente, há diversas formas para coibir a queda dos fios como ingestão de medicamentos específicos, tópicos e orais, implantes capilares, entre outros. A Ledterapia, tratamento realizado com luzes, com tecnologia avançada, surge como uma indicação em quase todas as formas de alopecia.

De acordo com o médico angiologista Dr. Álvaro Pereira, referência no tratamento, “a ledterapia baseia-se na irradiação das células do folículo capilar, fazendo com elas trabalhem mais, aumentando a produção das proteínas que compõem os fios”.

O especialista afirma que já recebeu em seu consultório muitos pacientes com alopecia e os resultados na aplicação das luzes foram extremamente satisfatórios. “Há muitas mulheres também, mesmo adultas jovens, entre 30 e 45 anos, com eflúvio telógeno, que procuram a ledterapia para tratar a queda dos cabelos. Os resultados são impressionantes!”, conclui o médico.

Dr. Álvaro Pereira – Angiologista formado pela FMUSP em 1978, com residência em Cirurgia Vascular no HCFMUSP, Doutorado em Cirurgia Vascular na Divisão de Bioengenharia do INCOR – HCFMUSP, pós-doutorado no B&H Hospital – Harvard.

Encontro Nacional Pelos Direitos Humanos à Água e ao Saneamento

Nos dias 9, 10 e 11 de dezembro acontecerá o Encontro Nacional Pelos Direitos Humanos à Água e ao Saneamento (ENDHAS) promovido pelo ONDAS – Observatório Nacional dos Direitos à Água e ao Saneamento.
O evento acadêmico e popular contará com espaço para diferentes formas de apresentação da pesquisa e extensão universitária e valorização das lutas pelo direito humano à água e ao saneamento.

Programação, inscrição e submissão de trabalho: http://www.endhas.com

Giro da Vitrine 59 / Nossas portas abertas!

#thedoors #barrywhite #morrisonhotel

The Doors, Vicente Celestino, Leci Brandão, ABBA, Tânia Alves, Barry White, Fotos, Dicas e muito mais no Giro da Vitrine 59

GIRO 59

souvitrinauta

0:28 Introdução: Homenagem a Vicente Celestino
7:33 Boa Noite Vitrinautas!
10:17 Considerações Iniciais com o Grande Giba e as Celebridades da Semana
12:30 Um pouco de Barry White, Just The Way You Are
18:36 Um pouco de Leci Brandão
21:53 Homenagem a Alice, mãe da Vitrinete Madalena Carvalho
24:27 Celebridades da Semana
32:43 Recado do Aderbal, Nosso Diretor Virtual
32:50 Aniversariantes da Semana
37:33 Imagens da Semana com Cuca Jorge
46:48 Lelé em Trânsito com ABBA
54:55 Celebridades da Semana II
56:22 Datas Comemorativas
57:57 Celebridades In Memoriam
59:35 Enchendo a Bola do Grande Giba
1:02:00 Horário Eleitoral do Pai Gyldomar
1:03:46 Dicas de Um Velho Roqueiro: THE DOORS
1:18:32 Pílula Fotográfica: Fotos em Movimento??? Cuca Jorge explica como fazer.
1:24:59 Laura Cardoso, nossa imensa atriz
1:31:42 Giro da Cultura POP: Homero comenta o 12° Cine Fantasy.
1:55:59 Um pouco de Bate Papo sobre Clint Eastwood, na estreia de O Caminho Para a Redenção, aos 91 anos.
2:01:15 Giro do Futebol
2:10:35 Momento Maguila e as Considerações Finais.
2:14:35 Final

Trio curitibano Tangerim lança música em apoio à Vacina da UFPR

A banda Tangerim, formada por três músicos curitibanos, lança nesta quarta-feira, 15 de setembro, uma música em apoio à ciência e ao desenvolvimento da Vacina da UFPR contra a Covid-19. O imunizante é produzido com insumos nacionais e que atualmente está em fase de testes pré-clínicos. 
“Tudo Vai Passar” fala sobre libertação e autocuidado em meio à pandemia. A letra é uma mensagem de esperança trazida pela vacinação. “Hoje eu vejo o mundo de casa, mas daqui a pouco eu vou voar o mais alto que eu puder”, diz a música. 
“Trazer luz a esse tema e contribuir com a causa é uma honra para a Tangerim. A UFPR é motivo de orgulho para todo o estado e estamos muito felizes com a expectativa de arrecadar doações através da nossa arte. Esperamos engajar nossos fãs com conteúdos lúdicos e informativos durante os próximos dias”, conta o músico Bruno Beltrão.

Vacina UFPR
A vacina desenvolvida na Universidade Federal do Paraná contra a Covid-19 deve encerrar a fase de testes pré-clínicos até o final do ano. Os pesquisadores acreditam que o imunizante poderá ser disponibilizado para a população em 2022, caso seja aprovado nos testes pré-clínicos e clínicos.
A Vacina da UFPR tem baixo custo de produção, usa insumos nacionais e tem tecnologia de produção 100% desenvolvida na universidade, fruto de pesquisas realizadas com biopolímeros biodegradáveis e com partes específicas de proteínas virais. 
A UFPR lançou uma campanha para arrecadar fundos para garantir a realização das próximas etapas de testes. Por meio do vacina.ufpr.br, a sociedade pode fazer doações financeiras de qualquer valor.



Tangerim
A banda é formada por Angelo Signori (guitarra), Bruno Beltrão (baixo) e Lucas Sfair (violão). O trio encontra inspiração para compor no dia a dia. Sonhos, relacionamentos e vivências pessoais são traduzidos em letras assinadas em conjunto pelo trio.
Todos são ex-integrantes de outros projetos musicais e se conheceram em festivais curitibanos. Depois de compartilhar composições pessoais em um grupo de mensagem instantâneas, passaram a se encontrar pessoalmente para escrever. O desejo era fazer um som novo, moderno e acessível, revezando o vocal principal. Ao total, a banda lançou 8 músicas, com mais de um milhão de visualizações nas plataformas digitais. O próximo passo é lançar o um EP, composto por 4 singles, ainda em 2021.

Clipe: https://www.youtube.com/watch?v=I01Jz4S26xI