Autor: Gilberto da Silva

Escrevo, às vezes com raiva, às vezes com medo, tudo que posso: notícias, histórias inventadas, poesias, resenhas, artigos em geral. Assim vou tocando em frente...

Especialista dá dicas para evitar transtornos com a alimentação no período das festas

É possível comer o que se gosta, de forma moderada e saudável, evitando problemas como a intoxicação alimentar Foto: Agência Minas/ André Brant

Fim de ano chegou e com ele confraternizações, reuniões com amigos e familiares, viagens e saída da rotina. A alimentação muda, os horários ficam mais flexíveis e são permitidos até certos excessos com alimentação e bebida, por exemplo. Relaxar é bom, mas os cuidados com a saúde não devem ser deixados de lado.

Para que o período de descanso e lazer seja tranquilo e proveitoso, é preciso ter atenção com a qualidade dos alimentos e bebidas que ingerimos. Nesse período, é comum que as pessoas consumam alimentos que não fazem parte do dia a dia ou mesmo encomende pratos para a ceia ou comam mais em restaurantes.

Tudo isso faz com que estejam mais expostas a uma intoxicação alimentar, caso alguns cuidados não sejam seguidos. De acordo com o gastroenterologista do Hospital Anchieta, Dr. Rodrigo Aires de Castro, a intoxicação alimentar é um conjunto de sinais e sintomas decorrentes da ingestão de alimentos ou água contaminados com microorganismos – bactérias, vírus, fungos ou parasitas -, toxinas ou produtos químicos. “Essa contaminação pode acontecer na fabricação do alimento, durante o seu preparo, decorrente do modo de armazenamento e até nos utensílios utilizados para o seu consumo”, explica o médico.

O gastroenterologista diz que há uma tendência no aumento do número de casos durante as festas e férias devido, por exemplo, ao aumento do consumo de alimentos, especialmente fora de casa, na qual não se sabe a procedência ou os cuidados no preparo; ao consumo de alimentos em condições inadequadas de armazenamento, como em ambulantes nas praias, onde o alimento circula exposto ao calor e estraga mais rápido; além da exposição dos indivíduos a bactérias as quais não estão acostumados, como em viagens ao exterior ou a outro estado, ocasionando a chamada “diarreia dos viajantes”.

Quais são os sintomas e em quanto tempo aparecem?

O especialista aponta que os sintomas mais comuns são diarreia líquida, dor abdominal, náuseas, vômitos, febre e mal-estar. Casos mais graves podem evoluir para desidratação, perda de peso e queda da pressão arterial.

O tempo de manifestação dos sintomas depende de uma série de fatores tanto do indivíduo – imunidade, doenças crônicas, uso de medicações, entre outros – quanto do microorganismo infectante. “Por isso temos sintomas que se desenvolvem muito rapidamente, em poucas horas, ou levam vários dias para surgirem. Se levarmos em consideração apenas os agentes causais mais comuns, vírus e bactérias, varia, usualmente, de seis a 48 horas o período entre a ingestão e o início dos sintomas”, aponta Dr. Rodrigo.

Tratamento

A maioria dos casos é leve e melhora dentro de poucos dias. A recomendação, segundo o médico, é manter uma hidratação adequada, consumir alimentos leves, evitando condimentos, leites e derivados, cafeína e gordura. “Em casos mais intensos, especialmente se há desidratação, recomendamos procurar auxílio médico para que seja feita uma avaliação profissional e uma condução adequada, pois pode ser necessária a administração de soro endovenoso e antibióticos”, esclarece.

O médico alerta ainda que é preciso iniciar logo o tratamento para evitar complicações como a desidratação, principalmente em crianças e idosos. Caso não haja uma intervenção adequada, pode evoluir para casos mais graves e até óbito. “Se houver diminuição da saliva, ausência de lágrimas durante o choro, urina em pouca quantidade e com cor e cheiro forte, perda da elasticidade da pele e sonolência e/ou diminuição do nível de consciência, deve-se procurar ajuda médica imediatamente”, ressalta Dr. Rodrigo.

Confira como evitar uma intoxicação alimentar:

•             Lave bem as mãos antes de manipular ou ingerir alimentos;

•             Tome cuidado com o local e a procedência daquilo que você come;

•             Se for consumir algo de ambulantes, dê preferência para aqueles que estão mais bem acondicionados e que o vendedor não manipule os alimentos com as mãos;

•             Evite alimentos crus;

•             Verifique as condições de higiene do local onde vai comer;

•             Cuidado ao ingerir água, prefira sempre as minerais engarrafadas;

•             Se ainda assim, você ou alguém que você gosta tiver sido vítima de uma intoxicação alimentar, preste atenção à hidratação, oferecendo (ou ingerindo) líquidos em maior quantidade e/ou frequência. Procure auxílio médico!

Santos FC renova parceria com a Umbro

Com fardamento da marca inglesa, o alvinegro da Vila Belmiro teve seus grandes títulos no século

Uma das parcerias mais vitoriosas do futebol brasileiro, Santos FC e Umbro permanecerão juntos por ainda mais tempo. O vínculo entre o Peixe e a empresa foi renovado. A união entre a marca inglesa e o alvinegro da Vila Belmiro é um das mais antigas do futebol brasileiro, com a marca inglesa produzindo os primeiros exemplares do manto do Peixe ainda no ano de 1997. 

De lá para cá, muita coisa aconteceu, e a torcida santista viu os grandes momentos do Clube no século, com o diamante da Umbro no lado direito do peito. A primeira dessas glórias ocorreu em 2002, quando os Meninos da Vila, liderados por craques como Robinho, Elano e Léo, conquistaram o Campeonato Brasileiro em um épico de superação e pedaladas. 

Em 2004, a parceria fez a sorte ser alvinegra novamente. Ainda com os ídolos santistas em campo, o Peixe foi novamente campeão brasileiro com um time que encantou o mundo e segue no imaginário afetivo dos torcedores alvinegros. No entanto, o melhor ainda estava por vir.

No ano de 2010, o litoral paulista pôde presenciar o surgimento de uma nova geração de Meninos da Vila, que, com o manto confeccionado de maneira especial pela Umbro, chegaram ao topo. Um esquadrão com Neymar, Paulo Henrique Ganso, André e Robinho conquistou a primeira Copa do Brasil para o Santos, e abriu caminho para o que seria o maior momento do clube na história recente.

Ainda com a Umbro no peito, o clube alvinegro derrotou o Peñarol na final da Copa Libertadores de 2011, e fez toda a América ser pintada de preto e branco pela terceira vez. A linda camisa do Peixe ainda representou o Brasil no Mundial de Clubes e deixou um enorme legado de grandes jogos e gols brilhantes.

“A Umbro é uma parceira histórica do Santos Futebol Clube. Com a qualidade irretocável dos seus uniformes e do seu material, obtivemos, ao longo dos anos em que Clube e empresa estiveram juntos, grandes conquistas e campanhas memoráveis. Estamos confiantes para que esta parceria de sucesso se torne ainda mais marcante em 2020, com títulos e grandes atuações para o nosso torcedor”, declarou o Presidente José Carlos Peres.

A colaboração entre Umbro e Santos ainda tem em seu currículo a conquista de quatro campeonatos paulistas, além de um Rio-São Paulo e uma Copa Conmebol. Não é pouca história, e que torna ainda mais raro o alinhamento de uma marca a um clube percorrer caminho de tantas glórias e emoções.

“Ter um dos maiores clubes do mundo ao nosso lado é uma honra enorme, e sempre buscaremos desenvolver uniformes à altura do que o Santos Futebol Clube representa ao futebol. Nossa parceria não é vitoriosa por acaso: fazemos um trabalho especial, que respeita o torcedor e a história do clube, sem negar aspectos da contemporaneidade”, afirma Paulo Mündel, diretor de marketing do Grupo DASS.

Com contrato renovado, a esperança da Umbro é que os belos momentos do passado se repitam e tragam mais sorrisos ao torcedor do Peixe, e que o peso dessa camisa continue fazer tremer os adversários, carregando o plantel em direção a novas taças. 

Salpicão vegano é a sugestão para as festas de final do ano

Tradicionalmente encontrada nos cardápios das ceias de Natal e Ano Novo, a receita é uma das mais degustadas nessa época

As comemorações de final do ano se aproximam e com elas chegam as reuniões com familiares e amigos para as ceias de Natal e do Ano Novo. E hoje em dia é bastante comum que cada convidado leve um prato para auxiliar o anfitrião na montagem da ceia, para que todos possam experimentar diversos pratos durante as refeições.

Ingredientes

  • 1 xícara de chá de cenoura ralada
  • ½ xícara de chá de maçã verde picada
  • ½ xícara de chá de Milho Verde em Conserva
  • ½ xícara de chá de salsão bem picado
  • ½ xícara de chá de Azeitonas Picadas
  • 1 xícara de chá de cubinhos de batata cozida
  • ½ xícara de chá de Ervilha em Conserva
  • ½ xícara de chá de uva passa
  • 1 xícara de chá de carne de jaca desfiada
  • ½ xícara de chá de maionese vegana
  • 1 colher de sopa de Mostarda Premium
  • Suco de meio limão
  • 1/3 xícara de chá de salsinha e cebolinha picados
  • Sal e pimenta moída a gosto
  • Batata palha

Modo de preparo da Carne de Jaca

Ingredientes:

  • 1 jaca verde do tipo dura
  • Água e óleo

Modo de preparo:

Para fazer a carne de jaca inteira na pressão, utilize uma jaca verde dura e pequena. Coloque a fruta na panela de pressão e adicionei um fio de óleo (ajuda a não formar tanta cola), cubra com água e leve para cozinhar em fogo médio por cerca de 50 minutos depois que pegar pressão ou até ficar macia;

Quando der 35 minutos de cozimento, retire a pressão e abra a panela com cuidado. Vire a jaca, preencha com mais um pouco de água quente e volte ao fogo até ficar macia. O tempo vai depender do tamanho da jaca;

Quando estiver macia, escorra a água da panela, corte a fruta e desfia a jaca.

Modo de preparo da Maionese Vegana

Ingredientes:

  • 1 xícara de chá de leite de soja gelado
  • 1 dente de alho sem o miolo
  • 1 colher de sopa de vinagre branco
  • 1 batata inglesa cozida e amassada
  • Sal a gosto
  • Óleo vegetal

Modo de preparo:

No liquidificador, adicione a xícara de chá de leite de soja gelado, sem adoçante, o alho sem o milho, o vinagre branco, a batata cozida e amassada e tempere com o sal;

Bata em velocidade alta e vá acrescentando o óleo vegetal aos poucos. Durante esse processo, a maionese vai gerar bastante óleo, o que é normal. Coloque um fio fino no centro do liquidificador e bata constantemente, sem parar;

Conforme a mistura for encorpando, vá diminuindo a velocidade do liquidificador. O eletrodoméstico utilizado precisa ter mais que duas velocidades para a receita atingir a consistência certo, pois é preciso bater na velocidade mais alta e ir diminuindo até dar o ponto correto;

Quando as laminas começarem a patinar, vai ser a hora de desligar e está pronto.

Modo de Preparo

Lave e pique os ingredientes conforme a descrição. Cozinhe os cubos de batata em água quente até ficarem macios. Para preparar o salsão, retire a casca com uma faca e depois corte bem;

Em uma vasilha grande, coloque a cenoura ralada, a maçã verde picada, o Milho Verde em Conserva, o salsão, a Azeitona Picada , a batata cozida, a Ervilha em Conserva , a uva passa e acrescente a carne de jaca desfiada;

Adicione a maionese vegana, a Mostarda Premium , o suco de limão, a salsinha e cebolinha e tempere com sal e pimenta. Misture bem todos os ingredientes e leve à geladeira por pelo menos 2 horas antes e servir.

Coloque o Salpicão em uma travessa e decore com a batata palha.

Livro dos 110 anos da Academia Paulista de Letras traz a biografia dos imortais

Anna Maria Martins e Márcio Scavone a biografia dos imortais – foto: Marcelo Navarro

Os 40 membros da APL escreveram suas próprias histórias de vida

Realizado na noite desta quarta-feira, no auditório da instituição, o evento contou com a presença de intelectuais, como Maria Adelaide do Amaral, que recentemente foi eleita para ocupar umas das cadeiras da APL, de autoridades como o presidente da Imprensa Oficial do Estado, Norival Pântano Junior, de vários integrantes da casa como José de Souza Martins, Roberto Duailibi, Eros Grau, Raul Cutait, Júlio Medaglia, Anna Maria Martins, José Gregori, Dom Fernando Antonio Figueiredo, entre outros.

O Projeto – Feito sob o formato de 25X 29 cm, com 240 páginas, o 110 anos recebeu apoio da Lei Rouanet e patrocínio do Banco Safra. Em sua primeira tiragem – 1500 exemplares -, a obra foi elaborada pelo fotógrafo e acadêmico (cadeira de número 9) Marcio Scavone, e levou três anos para ser concluída. “Sinto-me envaidecido por estar à frente deste projeto, uma vez que procurei instigar cada acadêmico a trazer para o papel a sua impressão, escrevendo sua biografia e ofertando uma citação. Portanto, o livro é uma criação colaborativa. Cada intelectual deixou sua marca pessoal”, afirma Scavone.

Roberto Duailibi, Roberta Matarazzo e Eros Grau. Foto: Marcelo Navarro

Agora, o livro será distribuído nas principais bibliotecas nacionais e instituições de educação.

Documentário sobre o ‘Woodstock brasileiro’ estreia no Curta!

 – “O Barato de Iacanga” (Documentário)
O documentário musical mostra os bastidores do Festival de Águas Claras, o mais lendário festival alternativo dedicado à música brasileira. A narrativa é construída a partir de Leivinha, idealizador do evento. Na época com 20 anos, ele organizou as quatro edições do festival (1975, 1981, 1983 e 1984) transformando a fazenda de seus pais no principal destino hippie daquele período. Diretores: Thiago Mattar. Duração: 94min. Classificação: 10 anos. Horários alternativos: 17 de dezembro, terça-feira, às 02h10 e às 16h10; 18 de dezembro, quarta-feira, às 10h10; 21 de dezembro, sábado, às 13h10; 22 de dezembro, domingo, à 22h10.

Cipriano Barata

Cipriano Barata

Hoje vamos falar sobre o Jornalista baiano José Cipriano Barata de Almeida (26/9/1762-7/6/1838), um dos mais combativos defensores da independência do país do período do Império.
Cipriano José Barata de Almeida foi um médico e político baiano, que teve importante participação na liderança da Conjuração Baiana (1798), também conhecida como Conspiração dos Alfaiates. Cipriano Barata tinha posição política liberal, foi um importante revolucionário e defensor da independência do Brasil em relação a Portugal, da liberdade e também da abolição da escravatura.
Cipriano Barata nasceu na cidade de Salvador (BA) em 26 de setembro de 1762. Estudou na Universidade de Coimbra, instituição em que se formou em Filosofia, Matemática e Cirurgia. isto mesmo Filosofia, Matemática e Cirurgia!
Enquanto estudava em Portugal, entrou em contato com os ideais de liberdade e igualdade, disseminados pelo Iluminismo.
Liberal-democrata, participa da Conjuração Baiana de 1798 e da Revolta Pernambucana de 1817.

Em 1821, foi deputado pela Província da Bahia.junto às Cortes Constitucionais, em Lisboa, em 1821 onde defende publicamente a separação do Brasil de Portugal.
Em 1822 cria o jornal Sentinela da Liberdade na Guarita de Pernambuco, no qual acusa o imperador dom Pedro I de se comportar de maneira absolutista.

Em 1823, foi eleito deputado para a Assembleia Constituinte. Porém, não assumiu, pois percebeu que ocorreria intervenção imperial. Fato que se comprovou. Neste mesmo ano, na província de Pernambuco, publicou o jornal liberal A Sentinela da Liberdade na Guarita de Pernambuco.

Foi preso em 1825, acusado de ter participado da Confederação do Equador. É libertado em 1830. Liberto em 1833, foi morar em Salvador, cidade em que criou o jornal Sentinela da Liberdade na Guarita do Quartel General de Pirajá.
A ousadia é punida com sucessivas transferências de prisão, o que sempre causa mudança no título da publicação.

Nos dois últimos anos de vida, após largar a política, atuou como professor de Francês na cidade de Natal.

Faleceu, aos 75 anos de idade, na cidade de Natal (RN) em 7 de junho de 1838.

Almirante Delamare

Em Junho de 1822, período da independência, o Chefe divisão Rodrigo Antonio Delamare comandava uma flotilha. Nessa época, chefiava as forças portuguesas na Bahia o general Inácio Luís Madeira de Melo (1775-1833), que acabara de receber reforços consideráveis para enfrentar os separatistas. Dom Pedro, para enfrentá-las, envia uma frota leve, uma frota de barcos leves da marinha de guerra brasileira, sob o comando do Chefe-de-Divisão Rodrigo Antônio Delamare, foi mandada bloquear a Bahia.

O futuro Almirante Partiu do Rio de Janeiro transportando tropas do general francês Pierre Labatut, a serviço do Império, com a missão de bloquear Salvador e dar fim à inquietude causada pelo jornal Constitucional, de Francisco Jê Acaiaba de Montezuma (1794-1870), futuro visconde de Jequitinhonha, que denunciara a intenção dos portugueses em atacar os brasileiros.

O Almirante Delamare exerceu posteriormente atividades no Supremo Tribunal Militar. Foi-Nomeado Vogal em 3 de janeiro de 1828, tendo sido dispensado em 19 de dezembro de 1833. Delamare falece em 04 de maio de 1840 e foi sepultado nas catacumbas da Igreja de São Francisco de Paula que localiza-se hoje no largo de São Francisco de Paula, no centro histórico da cidade do Rio de Janeiro.

Curta, compartilhe e inscreva-se no Vitrine do Giba iremos falar mais sobre os personagens da independência do Brasil e que hoje muitos são denominações de ruas no bairro do Ipiranga na cidade de São Paulo.

Visconde de Jequitinhonha

Hoje vou falar de um personagem que não é nome de Rua no tradicional bairro do Ipiranga em São Paulo. Esqueceram dele? Sim, vou falar de Francisco Gomes Brandão – o futuro Visconde de Jequitinhonha – que foi um político, jornalista e advogado brasileiro nascido em Salvador, na Bahia.
Francisco Gomes Brandão ou Francisco Jê Acaiaba de Montezuma, teve lugar de destaque, por exemplo, na história da Maçonaria do Brasil. Em 12 de março de 1829, então no exílio, recebe do Supremo Conselho dos Países Baixos, hoje Bélgica, uma carta de autorização para instalar um Supremo Conselho do Rito Escocês Antigo e Aceito no Brasil. De volta ao Brasil, Montezuma instala o Supremo Conselho, usando a autorização do Supremo Conselho da Bélgica em 12 de novembro de 1832, recebendo o título de 1º Soberano Grande Comendador brasileiro.
Francisco Gomes atuou no Senado na defesa do império, da emancipação dos escravos e um dos fundadores da Ordem dos Advogados do Brasil (1843).
Ele era filho de um comandante português e de uma negra, estudou na Universidade de Coimbra e diplomou-se em leis (1821).
No período da luta pela independência, adotou o nome de Francisco Gê Acayaba de Montezuma, sobrenomes de origem africana, tupi e asteca.
Em 2 de Dezembro de 1854 recebeu, através de um decreto imperial, o título de Visconde com Grandeza (Grande do Império) tornando-se o Visconde de Jequitinhona.
Montezuma foi um dos membros-fundadores do Instituto Histórico e Geográfico do Brasil.
Este homem “de cor” como era chamado naqueles tempos nasceu em Salvador, 23 de março de 1794 e morreu no Rio de Janeiro, 15 de fevereiro de 1870.
Este é um personagem ainda a ser resgatado na história da independência e do Primeiro reinado.
A Vitrine do Giba fica por aqui. Entre nas nossas redes sociais, inscreva-se nos nossos canais. Um abraço e até!

Uma fala sobre a AIDS

Olá você que acompanha a Vitrine do Giba, principalmente você jovem (se tem por aqui algum jovem que me acompanha…) Quero falar um pouco sobre a AIDS.
A aids é a doença causada pela infecção do Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV é a sigla em inglês). Esse vírus ataca o sistema imunológico, que é o responsável por defender o organismo de doenças. As células mais atingidas são os linfócitos T CD4+. O vírus é capaz de alterar o DNA dessa célula e fazer cópias de si mesmo. Depois de se multiplicar, rompe os linfócitos em busca de outros para continuar a infecção.
Na minha juventude vi muitos amigos meus morrerem por conta da doença. E foi um período terrível. Não sabíamos como enfrentar a doença e sem cuidados e orientações muitos sofreram, pagaram com a vida.
Hoje, mesmo com todas as informações disponíveis, os jovens não usam camisinha, fora o predominância de um discurso conservador e de falta de campanhas e debate sério e profundo sobre o assunto.
Dados do Boletim Epidemiológico HIV Aids 2018, divulgado pelo Ministério da Saúde, mostra como a detecção do vírus entre os jovens aumentou em apenas dez anos. Entre 2007 e 2017, a notificação de casos de HIV de pessoas com 15 a 24 anos aumentou aproximadamente 700%. Especialistas acreditam que a explosão de ocorrências se deve, por um lado, à maior disponibilidade de testes e, por outro lado, a campanhas de conscientização cada vez mais acanhadas.
A transmissão do HIV e, por consequência da AIDS, acontece das seguintes formas:
• Sexo vaginal sem camisinha.
• Sexo anal sem camisinha.
• Sexo oral sem camisinha.
• Uso de seringa por mais de uma pessoa.
• Transfusão de sangue contaminado.
• Da mãe infectada para seu filho durante a gravidez, no parto e na amamentação.
• Instrumentos que furam ou cortam não esterilizados.
A prevenção contra o HIV precisa entrar no contexto de vida de cada pessoa, no dia a dia da pessoa e ela precisa saber, ter autonomia para escolher a melhor estratégia de evitar a doença.
Então, você, jovem, que não viu a epidemia da década de 1980 e que já nasceu em uma época em que o HIV tem tratamento, não têm muita noção da gravidade dos problemas que a infecção pelo vírus pode causar.
A juventude não vivenciou o momento forte da epidemia, portanto não tem percepção sobre o risco e não conhece métodos de prevenção. Muitas escolas deixaram de falar sobre saúde e doenças sexualmente transmissíveis ou quando falam não atinge os adolescentes.
Portanto, alerta ligado, pois mesmo o tratamento atualmente disponível é muito pesado.
Ficamos por aqui inscreva-se no nosso Canal Vitrine do Giba, curta e compartilhe.