Dia: 6 de agosto de 2015

Amor e irmandade

438px-Peter_Paul_Rubens_-_Cain_slaying_Abel_1608-1609

Caim matando Abel (por Peter Paul Rubens).

Por Gilberto da Silva

O lema da Liga dos Justos era “todos os homens são irmãos”. A Liga Comunista de Karl Marx foi uma continuação da Liga dos Justos e Marx discordou do lema anterior e declarou que havia categorias inteiras de homens que ele não reconhecia como irmãos (principalmente os burgueses); e eu digo: todos os homens são irmãos, mas uns com mais categorias do que os outros e uns mais Abel e outros mais Caim, outras Avan e demais Enoque. Não adianta ficar discutindo qual é a marca que Deus colocou em Caim (Gênesis 4:15), bola pra frente, sem preconceito ou racismo.

De fato nossas associações – entre humanos – são caracterizadas por uma dualidade ou até caso queiram por uma dialética quase incompreensível. Daí as mil razões para esoterismos, fuga nas religiões ou demais formas que fogem da realidade concreta.

Os impulsos brutais do ser humano não se resolverão nem com a ditadura capitalista já instalada – mas negada pelo conjunto da sociedade- e nem com uma ditadura comunista a ser implantada – as já históricas sabemos como é. Antes disso, questões essenciais deverão ser resolvidas antes de qualquer modo de democracia venha a ser instaurada.

O entusiasmo militante do ser humano é como um gozo com todas as suas variações. Passado o êxtase devemos permanecer na caminhada. Poucos estão aptos a servir a humanidade sem pedir algo em troca. Mas em busca da sociedade baseada no Amor e na Irmandade o que verdadeiramente precisamos é construir a perspectiva de uma nova Utopia. E esse desafio não é nada fácil.

Econotas – Cades do Ipiranga

Por Gilberto da Silva

Cades Ipiranga

Conselho regional de Meio Ambiente, Desenvolvimento Sustentável e Cultura de Paz da região do Ipiranga

 

 

Cades Ipiranga

O Conselho Regional de Meio Ambiente, Desenvolvimento Sustentável e Cultura de Paz da subprefeitura Ipiranga (Cades –IP) tem novos conselheiros representantes da sociedade civil. No dia 31 de maio foi realizada a eleição dos Conselheiros da Sociedade Civil  e eleitos 8 candidatos titulares e 3 suplentes.

Novos conselheiros

Os indicados tomaram posse do cargo no dia 16 de junho. Os conselheiros titulares são: José Carlos Oliveira (Casé), Thainá da Silva Darri, José João Rodrigues Sá; Marcelo Borges Leal, Nelson da Silva Junior, Denival Cardoso de Andrade, Regina Foge Vicente e Douglas Cavalcanti Ripardo. Também participam os suplentes: Alexandre Antunes, Ariovaldo da Silva e Diego Macedo de Lunas.

Mescla

A nova composição mescla pessoas que já conhecem o funcionamento do conselho, tais como o Casé, o nosso amigo Denival e o Doutor Nelson da Silva  com a chegada de novos integrantes que demonstram vontade de se dedicar ao meio ambiente e fazer muita coisa pela região.

Bom trabalho

Desejamos aos novos integrantes do Cades que eles tenham muito sucesso na nova empreitada. Esperamos que eles deem quórum às reuniões, fato que não vinha acontecendo no último ano e que possam de forma harmoniosa abrir as reuniões para a participação da população. Não dá para contar apenas com as iniciativas do pode público que deseja apoio ao Plano Diretor, aos Planos regionais e de metas. A sociedade civil deve ajudar no fomento de culturas de sustentabilidade, no apoio de ações públicas ou privadas para a educação ambiental (que tal uma boa campanha sobre a questão do lixo?) e para atitudes de conservação e práticas de cultura de paz.

Desafio

Não é tarefa fácil e não adianta contar com muito apoio do poder público,  mas é preciso perseverar no exercício da democracia, na educação para a cidadania e no convívio entre setores diferentes da sociedade. É um grande desafio, pois sabemos o quanto ainda as questões ambientais são ignoradas tanto pelo poder público como por parte da população que diante de outras demandas mais imediatas trata com desprezo as ações de sustentabilidade.