Day: 20 de outubro de 2015

Dia do Poeta

Com José de Anchieta em seu Poema à Virgem e Cláudio Manuel da Costa com Munúsculo Métrico; Culto Métrico; Epicédio; Obras (sonetos, epicédios, romances, éclogas, epístolas, liras); O Parnaso Obsequioso; Vila Rica; Poesias Manuscritas.

Salve o Dia do Poeta na voz direta e meiga de Carlos Drummond de Andrade em suas Alguma Poesia; Sentimento do Mundo; José; A Rosa do Povo; Claro Enigma; Quadrilha; Boitempo; A Última Pedra no meu Caminho; 50 Poemas Escolhidos Pelo Autor; Antologia Poética; Fazendeiro do Ar; Viola de Bolso; Amar se Aprende Amando; Farewell.

Viva Manuel Bandeira poeta do Brasil com a A Cinza das Horas; Carnaval; O Ritmo Dissoluto; Libertinagem; Estrela da Manhã; Lira dos Cinquent’anos; Estrela da Tarde; Estrela da Vida Inteira; Belo, Belo; Opus 10; Mafuá do Malungo; Antologia Poética.

Belas (as feias que me perdoem) curtam o canto de Vinícius de Moraes com Serenata do Adeus; Canção do Amor Demais; Valsa de Eurídice; A Casa; A Felicidade; Chega de Saudade; É Preciso Dizer Adeus; Garota de Ipanema; Insensatez; Aquarela; Chorando pra Pixinguinha; Minha Namorada; Samba Triste; Pobre Menina Rica; Soneto da Separação.
Nas linhas e traços pantaneiros de Manoel de Barros escutai Poemas Concebidos Sem Pecado; Gramática Expositiva do Chão; Livro de Pré-Coisas; O Guardador das Águas; O Livro das Ignorãças; Livro Sobre Nada; Retrato do Artista Quando Coisa; Memórias Inventadas I; Portas de Pedro Viana; O Fazedor de Amanhecer; Águas; Poesia Completa.
Que a sabedoria de Mário Quintana te abrace  à Rua dos Cataventos; Sapato Florido; O Aprendiz de Feiticeiro; Caderno H; Espelho Mágico; Quintanares; A Vaca e o Hipogrifo; Esconderijos do Tempo; Baú de Espantos; Porta Giratória; A Cor do Invisível.
Que os versos de Cecília Meirelles encantem com seus Espectros; Criança, Meu Amor; Romanceiro da Inconfidência; Ou Isto Ou Aquilo; Mar Absoluto;Viagem; Vaga Música; Batuque; Canções; Flores e Canções; Antologia Poética; O Menino Atrasado.
Mesmo a minha pornográfica querida Hilda Hilst ilumine com seu Presságio; Balada de Alzira; Roteiro do Silêncio; Sete Cantos do Poeta Para o Anjo; Da Morte. Odes Mínimas; Do Amor; Do Desejo; Bufólicas; Cantares de Perda e Predileção; Alcoólicas; Amavisse; Amado Hilst.

Que os versos Cora Coralina tragam sabedoria em Poemas dos Becos de Goiás e Estórias Mais; Meu Livro de Cordel.
Que o mestre Castro Alves lance as Espumas Flutuantes; A Cachoeira de Paulo Afonso; Os Escravos; Hinos do Equador; Tragédia no Mar; O Navio Negreiro.

Em tudo isso Paulo Leminski com os seus Quarenta Clics em Curitiba; Polonaises; Não Fosse Isso e Era Menos/ Não Fosse Tanto e Era Quase; Tripas; Caprichos e Relaxos; Um Milhão de Coisas; Distraídos Venceremos; Toda Poesia; La Vie em Close; O Ex-Estranho; Aviso aos Náufragos.
E os versos pernambucanos e universais de João Cabral de Melo Neto acordem a Pedra do Sono; Os Três Mal-Amados; O Engenheiro; O Cão sem Plumas; O Rio ou Relação da Viagem que Faz o Capibaribe de sua Nascente à Cidade do Recife; Quaderna; A Educação Pela Pedra; Morte e Vida Severina; A Escola da Faca; Tecendo a Manhã.

pequenas reflexões

Hoje, ao acordar de madrugada e sem condições de “pegar” no sono novamente, refleti um pouco e senti o quanto estamos escrevendo e falando “com o estômago”, sem perceber as sutilezas da vida, sem saber que podemos magoar e ferir. Ninguém parece disposto a pagar a sua parte.

Na onda do momento falamos e escrevemos muitas besteiras. Apontamos nossos dedos nos outros, transferimos nossas culpas e não aceitamos o Outro. Nossas frustrações sempre depositadas em culpa alheia. Em algum momento pintamos o passado como maravilha e o futuro como o passaporte para o Inferno; em outros, o inverso, depois o reverso… É tempo de todos, sem exceção, mudar seus conceitos, ou revê-los ou refletir sobre eles.

Não quero entrar nessa onda de banalidade do mal como bem filosofou Hannah Arendt. Estou a querer distância de discursos de ódio, xenofobia, racismo e demais preconceitos. Nem que seja para reciclar ideias e amizades!

A originalidade do totalitarismo é atroz, não porque surgiu alguma nova ideia no mundo, mas porque suas ações constituem uma ruptura com todas as nossas tradições; elas demoliram indiscutivelmente nossas categorias de pensamento político e nossos critérios de julgamento moral. (ARENDT, 2008, p.332)

Benedito Domingos Mariano é o novo Secretário Municipal de Segurança

mariano1aO sociólogo Benedito Domingos Mariano foi nomeado hoje (20/10) para exercer cargo de Secretário Adjunto e também designado para responder pelo cargo de secretário municipal de segurança até que outro seja nomeado após saída da atual cúpula peemedebista da pasta.

Maria estava nomeado como assessor especial no Gabinete da Vice-Prefeita de São Paulo, Nádia Campeão. Mariano foi o primeiro ouvidor da Polícia no Estado de São Paulo (No período de 1995 a 2000) e esteve à frente da Secretaria de Segurança Urbana na gestão da ex-prefeita Marta Suplicy (PT). Foi também secretário na Secretaria de Segurança Pública, em São Bernardo do Campo.

Benedito Domingos Mariano nasceu no dia 11 de fevereiro de 1959, na cidade de Bernadino de Campos, Estado de São Paulo, local onde seus pais trabalhavam na roça desde cedo. Dos treze aos dezessete anos, trabalhou com seu irmão na função de ajudante em uma barraca de feira. Quando ainda era moço, escrevia peças para o teatro amador, tendo, inclusive, recebido premiação por seu trabalho.

Graduou-se em Sociologia, pela gloriosa (por onde eu passei) Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo e tornou-se Mestre em Ciências Sociais, pela PUC de São Paulo.
É um dos fundadores do Movimento Nacional de Direitos Humanos e exerceu os cargos de Diretor-Secretário da Arquidiocese de São Paulo e Secretário Municipal da Prefeitura de Osasco.
Sua trajetória profissional é marcada pelos importantes cargos e funções exercidos, dentre os quais destacamos: Coordenador da Câmara Setorial de Segurança Municipal do Grande ABC; Presidente do Conselho Nacional de Segurança Pública (CONSEMS) e Membro do Conselho Nacional de Segurança Pública (CONASP).

TÍTULO DE NOMEAÇÃO 82, DE 19 DE OUTUBRO DE 2015
FERNANDO HADDAD, Prefeito do Município de São Paulo,
usando das atribuições que lhe são conferidas por lei,
RESOLVE:
Nomear o senhor BENEDITO DOMINGOS MARIANO, RF
598.417.3, para exercer o cargo de Secretário Adjunto, símbolo
SAD, do Gabinete do Secretário, da Secretaria Municipal de
Segurança Urbana.
PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO, aos 19 de
outubro de 2015, 462° da fundação de São Paulo.
FERNANDO HADDAD, Prefeito