Day: 19 de abril de 2016

Livros para conhecer povos e culturas indígenas

 da Pluricom

Estimativas apontam que a população indígena brasileira poderia ser de até 10 milhões de habitantes quando os portugueses chegaram no país. A Fundação Nacional do Índio (Funai) calcula que cerca de 1.300 línguas eram faladas pelas muitas sociedades que povoavam o Brasil. Atualmente, porém, esse panorama é bem diferente. Muitos povos foram completamente dizimados.

 

Para refletir sobre a questão, por ocasião do Dia do Índio, celebrado em 19 de abril, a Editora Unesp resgata títulos que compõem um quadro da realidade indígena brasileira, abordando a temática sob diferentes pontos de vista. Confira a seleção:

Autor: Oscar Calavia Sáez | 480 páginas | R$ 74,00

O nome e o tempo dos Yaminawa

A obra conta a história de um pequeno grupo humano, composta a partir de uma documentação secundária e pouco expressiva somada a relatos locais. O livro busca a visão que os herdeiros deste grupo têm dessa história, e ainda o papel que essa visão exerce na vida social – um ser, um ver e um fazer entretecidos.

 

 

O caminhar sob a luz

O caminhar sob a luz: território Mbya à beira do oceano

Autora: Maria Ines Ladeira | 200 páginas | R$ 46,00

O objetivo da publicação é discorrer sobre a ocupação Guarani Mbya no litoral do Brasil e adjacências, com base na importância social e religiosa que este complexo territorial representa. Além disso, apresenta informações sobre o grupo indígena, como classificação, localização e situação das aldeias, a partir das fontes históricas e de dados sobre as migrações recentes.

 

Caminhos da identidade: ensaios sobre etnicidade e multiculturalismo

Autor: Roberto Cardoso de Oliveira | 256 páginas | R$ 52,00

Caminhos da identidade

Livro que apresenta uma reunião de textos que adicionam novos temas a questões tradicionalmente abordadas, ao longo de mais de quatro décadas, por Roberto Cardoso de Oliveira. Na obra é tratada a temática da identidade étnica, a sua relação com os fenômenos culturais e com o mundo moral.

 

A luta indígena no coração do Brasil

A luta indígena no coração do Brasil

Autor: Seth Garfield | 416 páginas | R$ 72,00

O autor Seth Garfield coloca os xavante no foco dos embates políticos e disputas ideológicas que atravessaram o período entre o Estado Novo a Constituição de 1988. O livro enfoca a luta desses índios que clamam pelo direito de possuir a terra e de permanecer xavante.

Filhos da cobra de pedra

Autor: Aloisio Cabalzar | 368 páginas | R$ 62,00

Filhos da cobra de pedraOs Tuyuka fazem parte de um extenso sistema social situado no noroeste da Amazônia. Falantes de uma das línguas Tukano Orientais, convivem aí com seus parentes e aliados, com outros povos de origem Aruak e Maku e, mais recentemente, com brasileiros e colombianos – porque estão habitando nessa fronteira. Este livro trata das relações dos Tuyuka entre si e com os outros. De suas origens na Cobra Canoa, as malocas nas quais foram se transformando, seus nomes e cerimônias, os rios que percorreram e nos quais continuam navegando – essa etnografia percorreu alguns desses caminhos e seus sentidos.

 

Políticas culturais e povos indígenas

Políticas culturais e povos indígenas

Organizadores: Pedro de Niemeyer Cesarino e Manuela Carneiro da Cunha | Selo Cultura Acadêmica| 517 páginas | R$ 69,00

Os 19 ensaios que compõem esta obra, ganhadora do Prêmio Jabuti 2015, procuram distinguir e debater as políticas culturais feitas para os índios, as feitas pelos índios e aquelas que de alguma maneira os envolvem. Os textos observam não apenas tais políticas, mas também seus pontos de cruzamento e seus efeitos conjugados, levando em conta a grande diversidade dos povos indígenas  do Brasil.

 

Confira outros títulos relacionados:

Veja também títulos para download gratuito:

APART HORTA

apatrhorta
Sessão especial do APART HORTA, no MIS – Museu da Imagem e do Som, nesta quarta feira, às 20h – entrada gratuita.
 
Para aqueles que ainda não conhecem, aqui está o trailer:
 

O filme contagia as pessoas com o interesse em cultivar alimentos em casa. Além da trama de Nazaré e Natanael o filme mostra experiências reais apresentadas nos mini documentários, que reafirmam: sim isso é possível! Tem gente plantando em espaços muito pequenos.  Os personagens do filme tocam no tema da reciclagem, do preço dos alimentos, do reaproveitamento da matéria orgânica (minhocários) e também do preconceito e da desinformação que rondam estes temas. Trazer essa história para o contexto de um condomínio mostra que cada pessoa se relaciona de uma maneira com o tema.

http://www.aparthortafilme.com/

Debate:O Golpe Civil Militar de 1964 e a Resistência Democrática

o-golpe-civil-militar
Evento gratuito ocorre dia 28 de abril, em São Paulo, SP

Passadas mais de cinco décadas do Golpe Civil-Militar de 1964, o Centro de Documentação e Memória da Unesp – Cedem promove o debate “Já se passaram 52 anos – o Golpe Civil Militar de 1964 e Resistência Democrática: um relato por suas vozes”, com o objetivo de resgatar uma face pouco conhecida da história da resistência democrática e, em particular, valorizar uma memória militante, por meio de algumas de suas vozes, todas contemporaneamente comprometidas com a construção de um projeto de nação.

O debate se centrará na resistência democrática pelo país que teve início nos dias subsequentes ao golpe e que se fortaleceu gradualmente nos anos seguintes. Resistência operacionalizada na luta política e também por iniciativas armadas, consumada após duas décadas com a anistia e o reestabelecimento do Estado Democrático e de Direito. Assim, temos mais uma vez no Cedem, uma reflexão sobre o golpe civil-militar de 1964 e também da democracia no Brasil. Um tempo para não esquecer.

Expositores
Francisco Paz – capitão da Política Militar, advogado, contador e filósofo. Professor na PUC-SP, no Curso de Pós Graduação “Políticas Públicas de Segurança”. Foi militar cassado durante o período da ditadura civil-militar brasileira.
José Luiz Del Roio – escritor, ativista político, vice-presidente do Instituto Astrojildo Pereira- IAP e ex-senador da Republica Italiana.
Ivan Alves Filho – historiador e autor de 14 livros. Coordena atualmente o projeto Brasileiros e Militantes, na Fundação Astrojildo Pereira. Foi exilado durante o período da ditadura civil-militar brasileira.

Mediação
Paulo Ribeiro Rodrigues da Cunha – professor doutor da Faculdade de Filosofia e Ciências, UNESP/Marília e pesquisador do Cedem/Unesp. Cunha é estudioso da questão agrária brasileira, de movimentos sociais e de militares no Brasil.

Inscrições gratuitas:
http://www.cedem.unesp.br/#!/form/ ou eventos@cedem.unesp.br (enviar nome completo e instituição)