Mês: março 2017

Redes estratégicas

content_id

O Parque CienTec fica na Avenida Miguel Stéfano, 4.200,  Água Funda-SP.

CEP 04301-904.

O estacionamento situa-se em frente ao Zoológico.

O acesso pode ser feito pela entrada ao lado do estacionamento ou pela portaria principal.

Para quem vai de transporte público:
A 15 minutos da estação São Judas do Metrô, ônibus 4742-10, Jardim Clímax

ou, da estação Santos-Imigrantes, ônibus Jardim Zoológico.

Curso: Jogos Cooperativos e Pedagogia da Cooperação

“O mundo ‘lá fora’ e o mundo ‘aqui dentro’ é o mesmo, isto é, um reflete o outro. O que o mundo é, depende de quem o vê e como vive nele.
A maneira de inserir a Cooperação no cotidiano é VIVENDO em nós mesmos o resgate desses valores e a transformação da nossa visão-e-ação no mundo.
Podemos inserir no dia-a-dia pequenas, simples e poderosas mudanças. Partindo do mais próximo – EU – para o mais distante – NÓS – estaremos fazendo a parte que nos cabe neste grande JOGO-VIDA.”
FÁBIO BROTTO

Os Jogos Cooperativos surgiram da preocupação com a excessiva valorização que a sociedade moderna atribui à competição. O Curso ‘Jogos Cooperativos e Pedagogia da Cooperação’ visa proporcionar aos/as participantes a vivência de situações onde a cooperação possa ser identificada e reconhecida como essencial para a construção de relações cotidianas saudáveis, construtivas e de respeito mútuo. Isso por meio de diferentes jogos cooperativos.
As atividades que privilegiam os aspectos cooperativos são importantes por contribuírem para o desenvolvimento da percepção de pertencer a um grupo, pois trabalham respeito, fraternidade e solidariedade de forma lúdica e altamente compensatória, levando a possibilidade de percepção da interdependência entre todas as criaturas.
A competição pode gerar diversos conflitos e emoções desagradáveis, podendo levar à comparação, frustração, ao sentimento de vitória ou de derrota, à exclusão. Porém a competição quando bem encaminhada, pode contribuir para ajustar a percepção destes momentos à sua verdadeira dimensão íntima, visando o equilíbrio. No ambiente competitivo bem administrado também estão presentes a necessidade do respeito, a superação de limites e a amizade, enfim a cooperação.
Os Jogos Cooperativos são estruturados visando diminuir a pressão para competir e a necessidade de comportamentos destrutivos, promover a interação e a participação de todos, deixando aflorar a espontaneidade e a alegria de jogar. São jogos de compartilhar, unir pessoas, jogos que eliminam o medo do fracasso e que reforçam a confiança em si mesmo e nos outros. Todos podem ganhar e ninguém precisa perder. Dessa forma, resultam no envolvimento total da aceitação de todos os membros do grupo.
O curso como um todo é organizado em 03 módulos, sendo os módulos I e II (descentralizados / em parceria) e o módulo III (na UMAPAZ), orientados (com os jogos que serão vivenciados pelo grupo) para os temas ÁGUA, RESÍDUOS, BIODIVERSIDADE E CULTURA DE PAZ/CONFLITOS (eixos prioritários).

Objetivos Gerais: Conhecer e praticar os Jogos Cooperativos; Compreender os fundamentos da Pedagogia da Cooperação; Estimular a reflexão crítica sobre COMPETIÇÃO X COOPERAÇÃO; Desenvolver maior empatia e capacidade de cooperar; Vivenciar diversos Jogos Cooperativos e aprender a focalizá-los; Vivenciar e praticar a PAZ EM AÇÃO; Praticar comportamentos e atitudes cooperativas para a construção de um mundo melhor e mais fraterno.

Proposta metodológica

 Aprendizagem Vivencial, com a utilização de metodologias integrativas, tais como Danças Circulares Sagradas, Comunicação Não-Violenta e Diálogo, estimulando o surgimento da Inteligência Coletiva e o exercício da Inteligência Social/Comunitária.
 Grupos entre 20 e 35 participantes (dependendo das possibilidades do espaço físico).
 Avaliação contínua (feedback e co-gestão) e formulário online a cada módulo.

Encontros

 Periodicidade semanal;
 01 módulo por mês (04 encontros/módulo);
 03 horas por encontro;
 Módulo III no segundo semestre, realizado na UMAPAZ;

Vagas: 40 (Haverá seleção de acordo com o público focalizado).
Carga horária: 12 horas/módulo (36 horas no total).

Facilitação e coordenação: Prof. Adriano Galhardo Pedroso, pedagogo com pós-graduação em Gestão de Pessoas, Psicopedagogia, Ecologia-Arte-Sustentabilidade, Transdisciplinaridade em Educação e Cultura de Paz; Focalizador em Danças Circulares Sagradas e em Jogos Cooperativos; Designer em Sustentabilidade pelo Programa Gaia Education. Docente e Coordenador de Projetos da Divisão de Formação da UMAPAZ/SP. Psicoterapeuta Transpessoal, com formação em Análise Transacional, Programação Neurolinguística e Florais de Bach.

Público: educadores/as, coordenadores/as de grupos e equipes, lideranças e gestores/as, profissionais da educação / saúde / assistência social, profissionais de ONG’s que necessitem trabalhar com grupos e desenvolver o senso comunitário.

TURMAS:

• UMAPAZ
Dias: 6, 13 e 28 de abril de 2017; 4,11,18 e 25 de maio de 2017; 1 de junho de 2017, quintas-feiras.
Horário: das 14h às 17h.
Local: Sede da UMAPAZ – Parque Ibirapuera. Av. Quarto Centenário, 1268. (zona sul)
Pedestres: Portão 7A.
Estacionamento: Portão 7 da Av. República do Líbano (Zona Azul).
Inscrições: aqui

• CEU GUARAPIRANGA (manhã)
Dias: 28 de abril de 2017; 5,12, 19 e 26 de maio de 2017; 2, 23 e 30 de junho de 2017, sextas- feiras.
Horário: das 9h às 12h.
Local: CEU Guarapiranga – Estr. da Baronesa, 2031. (zona sul)
Inscrições: DRE Campo Limpo – em breve

• CEU GUARAPIRANGA (tarde)
Dias: 28 de abril de 2017; 5,12, 19 e 26 de maio de 2017; 2, 23 e 30 de junho de 2017, sextas- feiras.
Horário: das 14h às 17h.
Local: CEU Guarapiranga – Estr. da Baronesa, 2031. (zona sul)
Inscrições: DRE Campo Limpo – em breve

As Flores de Outono

Begônia

Essas pequenas flores precisam de um clima ameno e agradável (temperatura ideal na média dos 25º C) para crescerem bonitas e saudáveis. O plantio pode ser tanto em vaso como no jardim, e seu florescimento se dá em cerca de três meses. É preciso regá-las a cada quatro dias, mantendo a terra sempre úmida, mas nunca encharcada. O solo ácido e misto é o mais indicado. A Begônia é uma flor que combina características rústicas e delicadas. As begônias são um tipo de flor tropical que se desenvolve melhor quando não são diretamente expostas ao sol, chuva e quando a temperatura fica entre 20 e 28 graus. Muito utilizadas para embelezar ambientes, essas plantas precisam ser mantidas longe de salas com ar-condicionado e de corredores com pouca luz. Por serem muito sensíveis, esses vegetais não suportam mudanças bruscas de clima, nem excesso de água.

 

Margarida

O outono é ideal para seu plantio porque os raios de sol muito fortes podem queimar as pétalas e folhas. Fáceis de cultivar em casa (em vasos ou jardim) e em diferentes tipos de solos (com exceção dos terrenos úmidos demais), o tempo de germinação varia entre 7 e 21 dias. É fundamental adubá-la com compostos orgânicos de forma periódica, além de regá-la sempre que a camada superficial do solo estiver seca.

A flor margarida significa inocência, juventude, virgindade, sensibilidade, pureza, paz, bondade e afeto. Leia minha crônica A flor da Obsessão.

Lírio branco

No preparo do cultivo deve-se usar composto orgânico e areia, e sua regagem deve ser regular, sem atingir as flores. Em dias muito frios, diminua a quantidade de água, já nos mais quentes é permitido borrifar um pouco de água extra sobre toda a planta. O outono é a época ideal, já que ela é muito sensível às baixas temperaturas e à incidência de raios solares fortes.

O lírio é originário do hemisfério norte, e está presente tanto na América do Norte, quanto na Europa e Ásia. A flor possui um pistilo saliente, com aspecto fálico, remetendo a significados relacionados à sexualidade e erotismo.

O lírio planta medicinal antisséptica e cicatrizante, utilizada para tratar diversas infecções, apresentada muitas vezes na forma de tintura.

Rosa

As rosas preferem o outono, pois é a época do ano mais propícia para o cultivo, cuidado e manutenção. Até a primeira floração, deve-se regar todos os dias com água em temperatura ambiente, passando depois para duas vezes por semana, deixando a terra um pouco seca entre uma rega e outra. As roseiras precisam estar localizadas em um local ensolarado e bem arejado, com temperatura entre 25 e 30° C. A primeira poda deve ser feita após um ano do plantio e repetida todos os anos.

A rosa (do latim rosa) é uma das flores mais populares no mundo. Vem sendo cultivada pelo homem desde a Antiguidade.

Gérbera

Pertencente à família dos girassóis, as gérberas são flores bastante usadas para ornamentar ambientes internos, o que se deve à variedade e intensidade de suas cores. O cultivo deve ser realizado em solo sempre úmido, com areia e compostos orgânicos. As flores gostam do clima temperado, nem muito quente e nem muito frio, mantidas à meia sombra. Seu florescimento costuma durar dois meses, sendo um pouco menor quando plantadas em vasos.

Gérberas são flores que podem significar sensibilidade, sensualidade, amor, nobreza, alegria e simplicidade.

São plantas do gênero Gerbera, que fazem parte da família Asteraceae (também conhecida como Compostas). Por serem da mesma família que o girassol e margarida, as suas flores apresentam algumas semelhanças.

Astromélia

Essa é uma planta que não tolera frio e falta de umidade, por isso é importante manter a terra do vaso ou do canteiro sempre úmida e fértil com adubo orgânico. Ela gosta muito de sol, mas, para que as pétalas não se queimem, é preciso mantê-las à meia sombra. A flor pode alcançar até 25 cm e é aconselhável cultivá-la de forma isolada. A folha da astromélia apresenta um comportamento incomum: a ressupinação. Significa que ela tem uma torção na base. Desse modo, o que parece ser a parte de cima da folha é, na verdade, a parte inferior.

As Astromélias são de origem peruana, chilena e brasileira, apesar de ter um nome não muito atrativo, possuem flores de grande beleza

 

Virada Sustentável Porto Alegre começa na quinta-feira

A segunda edição da Virada Sustentável Porto Alegre começa na próxima quinta-feira, 30 de março. Considerado o maior evento de mobilização e educação para a sustentabilidade da América Latina e um dos maiores do mundo, a Virada Sustentável acontece até domingo, 02 de abril. Serão mais de 200 atividades em quatro dias de realização, em diferentes locais da Capital e em quatro EcoPontos principais: a Casa de Cultura Mario Quintana, o Parque da Redenção, a Associação Cultural Vila Flores e o SESC Campestre.
Seminários, mostras de filmes, esportes, oficinas, shows e espetáculos teatrais, artes visuais, feiras de inovação e a Virada Ecogastronômica estão entre as atividades que vão tratar de temas como qualidade de vida, biodiversidade, resíduos, água, cidadania, mobilidade urbana e mudanças climáticas, além de potencializar as discussões sobre a importância da economia em negócios sustentáveis e da cultura para a vida urbana. Todas as atividades são gratuitas e abertas ao público.
 

Frederic Lafargue ganha prêmio de Foto do Ano 2017 no 3o Prêmio Fotográfico Istambul da Agência Anadolu

Frederic Lafargue ganha prêmio de Foto do Ano 2017 no 3o Prêmio Fotográfico Istambul da Agência Anadolu

Iraq, Doogrdkan (56 km south of Mosul), April 19, 2016.
A pregnant sunni woman escaping I.S controlled area, who has managed to find one of the rare openings in the defense line against I.S, is seen crossing the frontline under the kurdish peshmerga’s defending the position control.

ISTAMBUL, 27 de março de 2017 – /PRNewswire/ — Tirada pelo fotógrafo francês Frederic Lafargue para a Paris Match, uma poderosa imagem que mostra uma difícil escapada do Estado Islâmico foi escolhida como Foto do Ano 2017 pelo júri internacional do 3o Prêmio Fotográfico Istambul.

Círculo de Estudos de Diálogo de David Bohm

 

Círculo de Estudos de Diálogo de David Bohm

Visa aprofundar a compreensão teórica das ideias de David Bohm e subsidiar a reflexão sobre a prática do Diálogo. Agregar os conhecimentos da proposta dialógica, fornecendo elementos que estimulam possíveis insights na prática de grupos de diálogo.
É uma atividade que vem a responder à necessidade apontada por participantes do Grupo Experimental.

Coordenação e facilitação: Márcia Amélia Moura, psicóloga, educadora ambiental, designer em sustentabilidade pelo Programa Gaia Education e especialização em Ecologia, Arte e Sustentabilidade pela UNESP/UMAPAZ, Coordenadora e Facilitadora do Projeto: A Prática do Diálogo para o Fortalecimento das Redes de Convivência na UMAPAZ.

Pré-requisito: para participar da atividade é necessário ter cursado a Oficina de Introdução ao Diálogo, Curso ou workshop de Diálogo, Curso de Introdução ao Diálogo.

Vagas: 25 (haverá seleção)
Público: pessoas interessadas em compreender mais profundamente as bases teóricas do Diálogo e integrar esses conhecimentos à sua vivência do Grupo Experimental de Diálogo e àqueles que gostariam de aplicar a metodologia nos seus grupos.

Total de encontros: 20

Conteúdo programático:

A Visão do Diálogo
Diálogo e Comunicação
A Natureza do Pensamento Coletivo
O Problema e o Paradoxo
O Observador e o Observado
A Suspensão de Pressupostos, o Corpo e a Propriocepção
O Pensamento Participativo e o Ilimitado

Dias: quartas-feiras

Abril – 05,19 e 26/04
Maio – 03, 17 e 31/05
Junho – 07, 21 e 28/06
Julho – 05/07
Agosto – 16 e 30/08
Setembro – 13 e 27/09
Outubro – 04, 18 e 25/10
Novembro – 08, 22 e 29/11

Horário: das 14h30 às 16h30
Local: Sede da UMAPAZ – Parque Ibirapuera. Av. Quarto Centenário, 1268.
Pedestres: Portão 7A.
Estacionamento: Portão 7 da Av. República do Líbano (Zona Azul).

Inscrições: aqui

Violência contra a mulher em situação de rua

Muna Zen , assistente Social e presidente da Associação dos Profissionais da Assistência Social do Estado de São Paulo será uma das expositoras.

Debate CEDEM
29/03/17 – 4ª feira – às 18h30

Existem na cidade de São Paulo aproximadamente 2.300 mulheres em situação de rua, segundo dados de abril de 2016, divulgados pela Coordenadoria do Observatório de Políticas Sociais da Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social da Prefeitura de SP. Os relatos obtidos por pesquisadores junto a essas mulheres apontam para uma vida marcada por experiências de pobreza; violências sexual, física e psicológica; dependência de drogas; rompimento dos laços familiares; gravidez indesejada e prostituição. O Debate CEDEM abordará o cotidiano dessas mulheres, os centros de acolhidas, as gestantes, sequestros de bebês e as mudanças nas políticas públicas após a aplicação do censo para essa população, iniciado na gestão Luiza Erundina(1989-1993).

Expositoras:
Profa. Ma.
 Luciana Marin Ribas –Advogada; Mestra em Direito Constitucional pela PUC-SP; Doutoranda em Direitos Humanos na Faculdade de Direito da USP. Pesquisadora da Clínica Luiz Gama de Direitos Humanos (USP). Atuou como coordenadora de gabinete da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania de São Paulo entre 2015 e 2016.

Muna Zen – Assistente Social e presidente da Associação dos Profissionais da Assistência Social do Estado de São Paulo; Membro da Comissão Científica da Mulher da Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo; Consultora da Casa de Isabel – primeiro Centro de Apoio a Mulher, Criança e Adolescente Vítima de violência.

Mediação:
Profa. Dra. Maria Leandra Bizello – Pós-doutora em Ciência da Informação pela Universidade do Porto, Portugal. É professora do Curso de Arquivologia e do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Faculdade de Filosofia e Ciências da Unesp,  Câmpus de Marília.

Debate Cedem
Violência contra a mulher em situação de rua
Data e horário: 29/03/2017, 4ª feira às 18h30;
Local: Praça da Sé, 108 – 1º andar (metrô Sé);
Informações: (11) 3116–1701
Retirada de certificado durante evento
Inscrições gratuitas: http://www.cedem.unesp.br/#!/evento1
E-mail: eventos@cedem.unesp.br
www.cedem.unesp.br
https://www.facebook.com/Cedem_unesp_oficial-718842781598083