Haddad

Prefeito Haddad inaugura central de compostagem para reciclar resíduos das feiras livres

São Paulo 2015-12-15 Inauguração do Pátio Descentralizado de Compostagem de Resíduos de Feiras Livres, Serviços de Poda e Roçagem de Áreas Ajardinadas - Prefeito de São Paulo Fernando Haddad - Foto Cesar Ogata / SECOM

São Paulo 2015-12-15 Inauguração do Pátio Descentralizado de Compostagem de Resíduos de Feiras Livres, Serviços de Poda e Roçagem de Áreas Ajardinadas – Prefeito de São Paulo Fernando Haddad – Foto Cesar Ogata / SECOM

Fernando Haddad inaugurou nesta terça-feira (15) a primeira central de compostagem do programa Feiras e Jardins Sustentáveis. O pátio piloto foi criado para evitar que resíduos orgânicos (frutas, legumes e verduras) coletados nas feiras livres de São Paulo sejam descartados em aterros sanitários. Pelo projeto, o material será reciclado e transformado em adubo ecológico. O equipamento servirá de referência para outros pátios e quatro centrais de compostagem que serão implantados na cidade em 2016.

 

São Paulo 2015-12-15 Inauguração do Pátio Descentralizado de Compostagem de Resíduos de Feiras Livres, Serviços de Poda e Roçagem de Áreas Ajardinadas - Prefeito de São Paulo Fernando Haddad - Foto Cesar Ogata / SECOM

São Paulo 2015-12-15 Inauguração do Pátio Descentralizado de Compostagem de Resíduos de Feiras Livres, Serviços de Poda e Roçagem de Áreas Ajardinadas – Prefeito de São Paulo Fernando Haddad – Foto Cesar Ogata / SECOM

“Esse equipamento é o primeiro da cidade de São Paulo. Para uma metrópole, é muito importante recolher os resíduos das feiras e descartar de forma correta, economizando o aterro sanitário. Temos estudos que mostram que podemos reduzir em 10%, 15% e 20% o volume do que é destinado hoje para os aterros”, disse o prefeito, destacando que ações como essa contribuem para diminuir os investimentos necessários para aumentar a vida útil dos aterros.

A iniciativa é uma realização da Secretaria de Serviços, por meio da Autoridade Municipal de Limpeza Urbana (Amlurb), em parceria com a Subprefeitura da Lapa e a empresa Inova, responsável pelos serviços de limpeza nas regiões norte, oeste e central do município. Localizado em uma área de três mil metros quadrados na Subprefeitura da Lapa, o pátio piloto vem recebendo, desde setembro, cerca de 35 toneladas semanais de resíduos orgânicos, coletados em 26 feiras da região.

“As pessoas não se dão conta do conjunto de ações voltados para a sustentabilidade de uma cidade que tem 12 milhões de habitantes, mas que pertence a uma região metropolitana que tem 22 milhões de pessoas. O que estamos fazendo aqui é paradigma para o mundo, não só para a América Latina”, disse Haddad.

O secretário municipal de Serviços, Simão Pedro Chiovetti, disse que é preciso rever o modelo atual, de recolher os resíduos e transportá-los por longas distâncias até o aterro sanitário. “Temos que pensar como reter os resíduos no meio do caminho e como convencer a população a fazer reciclagem desde casa. Precisamos nos adequar às novas leis globais para preservar o meio ambiente”, afirmou.

São Paulo 2015-12-15 Inauguração do Pátio Descentralizado de Compostagem de Resíduos de Feiras Livres, Serviços de Poda e Roçagem de Áreas Ajardinadas - Prefeito de São Paulo Fernando Haddad - Foto Cesar Ogata / SECOM

São Paulo 2015-12-15 Inauguração do Pátio Descentralizado de Compostagem de Resíduos de Feiras Livres, Serviços de Poda e Roçagem de Áreas Ajardinadas – Prefeito de São Paulo Fernando Haddad – Foto Cesar Ogata / SECOM

Processo de compostagem
O pátio piloto do programa Feiras e Jardins Sustentáveis da Lapa adota um sistema de compostagem de resíduos orgânicos baseado em método criado pela Universidade Federal de Santa Catarina e o Cepagro (Centro de Promoção e Estudos da Agricultura de Grupo). Os resíduos orgânicos são coletados pela Inova nas feiras livres. Esse material é separado e depositado em leiras (canteiros preparados para o recebimento desses resíduos). Em seguida, os resíduos são cobertos por camadas de palha de grama, propiciando o surgimento de bactérias e fungos que degradam a matéria orgânica de forma controlada, sem exalar mau cheiro ou atrair insetos.

Os resíduos de poda triturada garantem que o ar continue circulando, o que é fundamental para o êxito do processo. O adubo será utilizado em ações de jardinagem nas praças. Para estimular a participação da comunidade, a Inova investiu em ações de conscientização ambiental e promoverá visitas a escolas.

Até agosto de 2016, o pátio da Lapa servirá como referência para outros pátios e quatro centrais de compostagem – cada uma com capacidade para processar, diariamente, 50 toneladas de resíduos– que a Prefeitura pretende implantar no município no próximo ano, descentralizando o processo e diminuindo os custos com transporte dos materiais. “A partir deste projeto, esperamos agilizar a implantação dos demais, para espalharmos essa experiência por toda a cidade”, explicou o coordenador de resíduos orgânicos da Amlurb, Antonio Oswaldo Storel Junior.

Storel destacou que o programa Feiras e Jardins Sustentáveis será fundamental para o cumprimento da Meta 92 da atual gestão, que estabelece a compostagem dos resíduos orgânicos das 900 feiras livres de São Paulo e dos serviços de poda da cidade.

O prefeito Haddad lembrou que a Prefeitura vem investindo em outros projetos que reduzem o impacto ambiental na cidade de São Paulo. Ele exemplificou a instalação de iluminação com lâmpadas de LED no bairro de Heliopolis, que reduzem em 50% o consumo de energia, e também ações no transporte público, como a criação das faixas exclusivas de ônibus. “Estamos reduzindo o monóxido de carbono porque os ônibus não ficam em engarrafamentos. Fazer o ônibus andar tem um impacto importante para o trabalhador e [impacto] ambiental”, disse o prefeito.

Todo mundo é comunista

bandeira

Por Gilberto da Silva

O mundo acordou mais comunista. O céu ficou vermelho comunista. A bela artista de teatro ficou comunista. Nasceu em uma maternidade em São Paulo mais uma comunista. Todo Parlamento é comunista. Todo partido é comunista e o PT também. Toda favela é comunista, toda burguesia virou comunista. A ditadura é comunista e a democracia velha e cansada aderiu ao comunismo.

Tem um bando de comunista andando pelas ruas. Até o Papa é comunista. O Obama acabou de virar comunista e levou com ele a Michele. A minha sogra é comunista. Comunista também é a vendedora de sapatos.  A Dilma é comunista. O traidor é comunista e o delator vermelhíssimo comunista. O  Geraldo secou as torneiras de todos: virou comunista do pau oco. Todos os movimentos são comunistas. O movimento pop é comunista e o gay, claro, comunistíssimo. O Haddad pinta as ciclovias de vermelho: comunistão! O cinema é comunista. Delfim é notório comunista. Lula é comunista mesmo jurando de pés juntos que não é e nem nunca foi e muito menos o contrário.

O dono da pastelaria é comunista. O proprietário da desentupidora é comunista. O frentista é comunista. A mulher do frentista, também!  O professor marxista é comunista e o otário também. Todas as bandeiras do mundo são comunistas. Ideias de “jerico” são comunistas. Cheque especial, comunistas. O teu patrão ficou vermelho. A Folha que já dava sinais declarou-se comunista e até o Estadão autodeclarou sua adesão ao mundo vermelho. Quem não se declara comunista, comunista é.

Os juros são comunistas e minha gata Félix é comunista. Todos os animais do planeta são comunistas e os extraterrestres uns verdadeiros alienígenas vermelhos. As estrias da minha bonitona de Ipanema são comunistas. Sexo é comunista e a falta dele também. Todo tesão do mundo é comunista. O inferno é comunista: vermelho, vermelho, vermelho. Todo comunista que eu conheço ou foi ou é ou será comunista. Tem ex-comunista que pede segredo para manter sua tradição comunista: comunista envergonhado.

Todos os sentimentos do mundo são comunistas. Todo neurótico é comunista. A loucura é comunista!

Prefeitura assina acordo para transferência da CEAGESP

Kátia Abreu e Fernando Haddad assinaram termo de cooperação para dar início aos estudos- Foto: Carlos Silva/Mapa

Kátia Abreu e Fernando Haddad assinaram termo de cooperação para dar início aos estudos- Foto: Carlos Silva/Mapa

Objetivo é instalar o entreposto em local que facilite a logística de distribuição e diminua o fluxo de caminhões nas Marginais. Área que será desocupada deve dar lugar a novo bairro de uso misto

19:10 23/06/2015

“Se existem 500 mil viagens por dia feitas em bicicletas, temos que dar proteção” diz Haddad

 2014_07_01_fa_ciclovia_duque_3

“A Prefeitura luta pelo cidadão. Se existem 500 mil viagens por dia feitas em bicicletas, temos que dar proteção. Estamos nos colocando à disposição para mediar este conflito, inclusive levando ao Judiciário todos os estudos técnicos que demonstram não só a viabilidade, mas a necessidade de proteger os ciclistas da cidade. Havia muitos acidentes e nossa intenção é reduzir, mas para isso nós precisamos de uma malha cicloviária”, afirmou o prefeito Fernando Haddad.

2014_07_01_fa_ciclovia_duque_8

Em coletiva de imprensa realizada nesta sexta-feira (20), o prefeito Fernando Haddad afirmou que a Prefeitura intermediará um diálogo entre ciclistas e Ministério Público sobre a viabilidade e a necessidade das ciclovias implantadas na cidade. Atualmente, a cidade possui 262,8 quilômetros de vias exclusivas aos ciclistas. Deste total, a atual gestão inaugurou 199,8 quilômetros desde junho de 2014, metade da meta proposta até o fim de 2016.
“A Prefeitura luta pelo cidadão. Se existem 500 mil viagens por dia feitas em bicicletas, temos que dar proteção. Não nos interessa esse antagonismo entre os ciclistas e a Promotoria. Estamos nos colocando à disposição para mediar este conflito, inclusive levando ao Judiciário todos os estudos técnicos que demonstram não só a viabilidade, mas a necessidade de proteger os ciclistas da cidade. Havia muitos acidentes e nossa intenção é reduzir, mas nós precisamos para isso de uma malha cicloviária”, afirmou Haddad.
Nesta quinta-feira, 19,  uma decisão judicial deferiu parcialmente o pedido de liminar do Ministério Público do Estado de São Paulo na ação civil pública que discute as ciclovias. Segundo entendimento preliminar do juiz, não ocorreu omissão ou violação por falta de planejamento de engenharia por parte do poder público na implantação do sistema cicloviário, conforme alegava a promotoria em seu pedido. O juiz ordenou a interrupção de novas implantações de ciclovias sem estudo de impacto viário local e global. Porém, decidiu que as obras da Avenida Paulista poderiam continuar por entender que impactos no trânsito local já tinham sido mitigados.
O prefeito Fernando Haddad reiterou que todas as informações necessárias sobre impacto de trânsito serão fornecidas. E explicou que boa parte das ciclovias na nova malha cicloviária está sendo feita em canteiros ou em espaços antes destinados a estacionamento de carros. “Uma diretriz da administração é de não suprimir faixa de rolamento. O estudo de impacto no trânsito deve ser feito somente quando existe supressão de faixa de rolamento.  Quando são suprimidas vagas de estacionamento, o trânsito inclusive melhora, pois acaba evitando as balizas. E no canteiro central, não preciso nem dizer, não tem impacto nenhum”, disse o prefeito, durante visita à Unidade Móvel da Rede Hora Certa, em funcionamento na subprefeitura de Santana, zona norte.
De acordo com Haddad, a documentação sobre a questão está pronta e será apresentada ao juiz, conforme a solicitação.  “Consideramos a decisão dele sensata, porque ela fica restrita à questão da supressão de faixa de rolamento. O prazo é de 60 dias, mas nós já estamos com tudo pronto”, afirmou o Prefeito.


Mobilidade

De acordo com a Pesquisa Mobilidade Urbana, feita pelo Ibope a pedido da Rede Nossa São Paulo e divulgada em setembro de 2014, o número de paulistanos que usam a bicicleta todos os dias como meio de transporte cresceu 50% em relação ao ano anterior. Enquanto o levantamento de 2013 estimou que cerca de 174,1 mil moradores da cidade usavam a bicicleta diariamente, em 2014 o número passou para aproximadamente 261 mil. A pesquisa apontava ainda que as medidas que mais incentivariam o uso da bicicleta como alternativa ao carro foram justamente a criação de novas ciclovias e a melhoria da segurança do ciclista.

Atualmente, a cidade possui 262,8 quilômetros de vias exclusivas aos ciclistas. Deste total, a atual gestão inaugurou 199,8 quilômetros desde junho de 2014, metade da meta proposta até o fim de 2016.

Cidade de São Paulo já conta com 10 parklets instalados

parklets01

A prefeitura da cidade de São Paulo instalou até o momento10 parklets na cidade. Depois da ciclovia é o que o Camarada Haddad mais aprecia. Desses, nove são na região da Subprefeitura Pinheiros, entre eles, nas ruas Padre João Manuel, Fidalga, Isabel de Castela, Francisco Leitão, Harmonia, Jerônimo da Veiga; e um na Vila Mariana, na rua Coronel Oscar Porto. Além disso, outras 11 solicitações estão em análise nas subprefeituras Lapa, Pinheiros, Sé, Vila Maria, Vila Mariana e Ipiranga, e outras 13 aguardam instalação. Até, o momento, 13 propostas foram indeferidas.

O que são os Parklets

Os Parklets são extensões temporárias de calçada promovem o uso do espaço público de forma democrática, permitindo à comunidade construir seu próprio espaço de convívio, resgatando as narrativas locais, melhorando a paisagem urbana e transformando espaços em lugares melhores para se viver e conviver.

Trata-se de uma ampliação temporária do passeio público, realizada por meio da implantação de plataforma sobre a área antes ocupada por automóveis na via pública, equipada com bancos, floreiras, mesas e cadeiras, guarda-sóis, aparelhos de exercícios físicos, paraciclos ou outros elementos de mobiliário, com função de recreação ou de manifestações artísticas.

parklets02Ao mesmo tempo que o parklet restringe o estacionamento dos carros, ele permite o uso do espaço de forma democrática por pedestres, ciclistas crianças e idosos, permitindo à comunidade construir seu próprio espaço de convívio, resgatando as narrativas locais, melhorando a paisagem urbana e transformando espaços em lugares melhores para se viver e conviver.

No Brasil o conceito de parklet surgiu em São Paulo, em 2012. A primeira implantação aconteceu no ano seguinte, liderada por um grupo composto por arquitetos, designers e ONGs. A boa avaliação da população permitiu à Prefeitura de São Paulo transformar a ideia original em política pública de ocupação dos espaços públicos da cidade, revertendo áreas originalmente destinadas aos automóveis para as pessoas. A intenção é de que os primeiros parklets sejam instalados ainda no primeiro semestre de 2014.

Instalação dos Parklets

Não basta projetar uma praça ou um parque. É preciso entender a dinâmica de cidade que se deseja e a vida das pessoas no seu dia a dia. Os espaços públicos devem refletir as necessidades e os anseios dos seus usuários, para só assim serem realmente utilizados.

A instalação dos parklets pode ser de iniciativa da Administração Pública ou de uma pessoa física ou jurídica que deseje o espaço. Os custos financeiros referentes à instalação, manutenção e remoção do parklet são de responsabilidade exclusiva do mantenedor.

No caso de pessoas físicas ou jurídicas, a solicitação deverá ser feita à Subprefeitura competente, junto a um termo de compromisso de instalação, manutenção e remoção do parklet. Caberá também a Subprefeitura, averiguar a conveniência do pedido e publicar edital destinado a dar conhecimento público do mesmo.

Para instalação, a proposta deverá atender às normas técnicas de acessibilidade, diretrizes estabelecidas pela Companhia de Engenharia e Tráfego – CET e pela Comissão de Proteção à Paisagem Urbana – CPPU.

Entre as restrições estão, por exemplo, a instalação de parklets em locais onde haja faixa exclusiva de ônibus, ciclovias ou ciclofaixas, ou em vias com limite de velocidade acima de 50 km/h.

EM ÁREA COMERCIAL: Parklets localizados em áreas comerciais contribuem para a atividade econômica do local. O parklet deve ser projetado e sinalizado de forma que fique claro aos pedestres que é um local público e não uma extensão de um estabelecimento.

EM ÁREA RESIDENCIAL: Apesar da maior parte dos parklets serem localizados em áreas comerciais, eles também podem obter sucesso em áreas residenciais, fornecendo um espaço de convivência para os moradores das imediações.

Link para o manual de instalação: http://gestaourbana.prefeitura.sp.gov.br/wp-content/uploads/2014/04/MANUAL_PARKLET_SP.pdf

Link para o infográfico: http://gestaourbana.prefeitura.sp.gov.br/infografico-parklets/

Antiga Secretaria Municipal de Planejamento, Orçamento e Gestão foi reestruturada. Novo secretário tem como maior desafio a melhoria dos serviços prestados pela Prefeitura

2015-03-04-co-posse-valter-correia-08

Sai Leda Paulani – autora do livro Brasil Delivery e entra o jornalista Valter, ex-secretário de Administração de São Bernardo e Guarulhos e que estava em Brasília, no Ministério do Planejamento. A tiracolo foi empossada, como secretária adjunta, a ex-diretora de programas do Ministério do Planejamento Critsina Kiomi Mori, autora da tese  Políticas públicas para inclusão digital no Brasil : aspectos institucionais e efetividade em iniciativas federais de disseminação de telecentros no período 2000-2010

 

Notícias

Valter Correia da Silva assume Secretaria Municipal de Gestão

17:07 04/03/2015