Mês: maio 2015

Haddad cria mais Conselhos Tutelares

Entre eles o Conselho Tutelar do Sacomã

 

DECRETO Nº 56.142, DE 29 DE MAIO DE 2015 Cria os Conselhos Tutelares de Capão Redondo, Cidade Líder, Jaraguá, Anhanguera, Sacomã, Tremembé, Vila Curuçá e Cidade Tiradentes II, bem como reorganiza os demais Conselhos Tutelares no Município de São Paulo; revoga os Decretos nº 52.218, de 29 de março de 2011, e nº 54.871, de 24 de fevereiro de 2014.

FERNANDO HADDAD, Prefeito do Município de São Paulo, no uso das atribuições que lhe são conferidas por lei, CONSIDERANDO a necessidade de criação dos Conselhos Tutelares de Capão Redondo, Cidade Líder, Jaraguá, Anhanguera, Sacomã, Tremembé, Vila Curuçá e Cidade Tiradentes II, a fim de atender à demanda local, medida que encontra amparo no § 1º do artigo 9º da Lei nº 11.123, de 22 de novembro de 1991, reorganizando, em decorrência, os demais Conselhos Tutelares; CONSIDERANDO a deliberação do Conselho Municipal da Criança e do Adolescente a respeito das regiões a serem contempladas com os novos Conselhos (Publicação nº 51/ CMDCA-SP/2015), D E C R E T A: Art. 1º Ficam criados os Conselhos Tutelares de Capão Redondo, Cidade Líder, Jaraguá, Anhanguera, Sacomã, Tremembé, Vila Curuçá e Cidade Tiradentes II, com fundamento no disposto no § 1º do artigo 9º da Lei nº 11.123, de 22 de novembro de 1991. Art. 2º Os atuais 44 (quarenta e quatro) Conselhos Tutelares criados no Município de São Paulo, nos termos da Lei nº 11.123, de 1991, e previstos no Decreto nº 52.218, de 29 de março de 2011, ficam reorganizados na forma prevista neste decreto. Art. 3º Os 52 (cinquenta e dois) Conselhos Tutelares a que se referem os artigos 1º e 2º deste decreto são os seguintes: I – Conselho Tutelar de Anhanguera; II – Conselho Tutelar de Aricanduva; III – Conselho Tutelar de Bela Vista; IV – Conselho Tutelar de Brasilândia; V – Conselho Tutelar do Butantã; VI – Conselho Tutelar de Campo Limpo; VII – Conselho Tutelar de Cangaíba; VIII – Conselho Tutelar de Capão Redondo; IX – Conselho Tutelar de Capela do Socorro; X – Conselho Tutelar de Casa Verde; XI – Conselho Tutelar de Cidade Ademar; XII – Conselho Tutelar de Cidade Líder; XIII – Conselho Tutelar de Cidade Tiradentes I; XIV – Conselho Tutelar de Cidade Tiradentes II; XV – Conselho Tutelar de Ermelino Matarazzo; XVI – Conselho Tutelar de Freguesia do Ó; XVII – Conselho Tutelar de Guaianases; XVIII – Conselho Tutelar de Grajaú I; XIX – Conselho Tutelar de Grajaú II; XX – Conselho Tutelar do Ipiranga; XXI – Conselho Tutelar de Itaim Paulista; XXII – Conselho Tutelar de Itaquera; XXIII – Conselho Tutelar de Jabaquara; XXIV – Conselho Tutelar de Jaçanã; XXV – Conselho Tutelar do Jaraguá; XXVI – Conselho Tutelar de Jardim Helena; XXVII – Conselho Tutelar do Jardim São Luiz; XXVIII – Conselho Tutelar de José Bonifácio; XXIX – Conselho Tutelar de Lajeado; XXX – Conselho Tutelar da Lapa; XXXI – Conselho Tutelar da Mooca; XXXII – Conselho Tutelar de M’Boi Mirim; XXXIII – Conselho Tutelar de Parelheiros; XXXIV – Conselho Tutelar de Pedreira; XXXV – Conselho Tutelar da Penha; XXXVI – Conselho Tutelar de Perus; XXXVII – Conselho Tutelar de Pinheiros; XXXVIII – Conselho Tutelar de Pirituba; XXXIX – Conselho Tutelar do Rio Pequeno; XL – Conselho Tutelar de Sacomã; XLI – Conselho Tutelar de Santana; XLII – Conselho Tutelar de Santo Amaro; XLIII – Conselho Tutelar de São Mateus; XLIV – Conselho Tutelar de São Miguel; XLV – Conselho Tutelar de São Rafael; XLVI – Conselho Tutelar de Sapopemba; XLVII – Conselho Tutelar da Sé; XLVIII – Conselho Tutelar de Tremembé; XLIX – Conselho Tutelar de Vila Curuçá; L – Conselho Tutelar de Vila Maria; LI – Conselho Tutelar de Vila Mariana; LII – Conselho Tutelar de Vila Prudente. § 1º A atuação dos 52 (cinquenta e dois) Conselhos Tutelares restringe-se aos distritos administrativos estabelecidos do Anexo I deste decreto, cujos âmbitos territoriais estão delimitados pelas divisas especificadas no Anexo I da Lei nº 11.220, de 20 de maio de 1992, à exceção dos Conselhos Tutelares de Grajaú I, Grajaú II, Cidade Tiradentes I e Cidade Tiradentes II, para os quais serão observadas as divisas constantes dos §§ 2º e 3º deste artigo. § 2º O Distrito de Grajaú subdivide-se em dois segmentos, de acordo com a linha divisória, tendo como referência o sentido centro-bairro, assim descrito: inicia-se na Rua Giuseppe Piermarini, segue na direção sudeste, virando à esquerda na Rua Giuseppe Tartini e, em seguida, dobrando a segunda à direita na Avenida Antônio Carlos Benjamim dos Santos, virando à esquerda na Avenida Cristóvão Caresana e nela à direita na Rua Cornélio Dopper; curva acentuada à direita na Avenida Felipe Ivaldi, seguindo até o final, margeando o muro da Viação Cidade Dutra, que se situa em via sem denominação, até o encontro com a Rua Elísia Gonçalves Barcelos em direção à Rua Bento de Assis Marques, seguindo a primeira à direita na Avenida Dona Belmira Marin, nela virando a primeira à direita na Rua São Caetano do Sul; curva suave à direita na Rua Alziro Pinheiro Magalhães, virando à esquerda na Rua Major Lúcio Dias Ramos, nela virando à direita na Estrada do Barro Branco e a primeira à esquerda para alcançar a Rua Três Corações; segue até a primeira à direita em rua sem denominação, nela entrando; segue até o final, onde há o encontro com área verde, margeando a Represa Billings; considerando a referida linha divisória, o lado esquerdo corresponde ao Conselho Tutelar de Grajaú I e, o lado direito, ao Conselho Tutelar de Grajaú II. § 3º O Conselho Tutelar de Cidade Tiradentes passa a designar-se Conselho Tutelar de Tiradentes I, ficando criado o Conselho Tutelar de Tiradentes II e, mantidos os limites especificados no Anexo I da Lei nº 11.220, de 1992, o Distrito de Cidade Tiradentes fica subdividido em dois segmentos, de acordo com a linha divisória, tendo como referência o sentido centro-bairro, que assim se descreve: inicia-se na Avenida Souza Ramos até a rotatória da Avenida dos Metalúrgicos, na bifurcação segue à esquerda na Avenida Naylor de Oliveira até a Rua Sara Kubitscheck, no cruzamento da Rua Cavaleiro de Jorge, segue na Rua Antonio Carlos Míngues Lopes até a rotatória, segue à direita na Rua Cachoeira Campo Grande até a rotatória, segue à esquerda na Rua Luís Carlos Libay, seguindo por essa rua até a Rua dos Têxteis, dobrando à esquerda na Rua Naylor de Oliveira. Art. 4º Compete à Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania a gestão e os encargos necessários ao funcionamento dos Conselhos Tutelares. Art. 5º Compete às Subprefeituras assegurar a estrutura administrativa e os recursos humanos necessários ao pleno funcionamento dos Conselhos Tutelares, na conformidade do Anexo II deste decreto. Art. 6º As alterações estabelecidas neste decreto serão implementadas a partir da data do próximo processo de escolha dos novos Conselheiros Tutelares. Art. 7º As despesas decorrentes da execução deste decreto correrão por conta das dotações orçamentárias próprias, suplementadas se necessário. Art. 8º Este decreto entrará em vigor na data de sua publicação, revogados os Decretos nº 52.218, de 29 de março de 2011, e nº 54.871, de 24 de fevereiro de 2014. PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO, aos 29 de maio de 2015, 462º da fundação de São Paulo. FERNANDO HADDAD, PREFEITO EDUARDO MATARAZZO SUPLICY, Secretário Municipal de Direitos Humanos e Cidadania FRANCISCO MACENA DA SILVA, Secretário do Governo Municipal Publicado na Secretaria do Governo Municipal, em 29 de maio de 2015.

 

ANEXO I INTEGRANTE DO DECRETO Nº 56.142, DE 29 DE MAIO DE 2015 CONSELHOS TUTELARES DA CIDADE DE SÃO PAULO (DISTRITO – POPULAÇÃO) I – Conselho Tutelar de Anhanguera (84.577) II – Conselho Tutelar de Aricanduva (263.256): Aricanduva 85.474 Carrão 84.320 Vila Formosa 93.462 III – Conselho Tutelar de Bela Vista (241.889): Bela Vista 71.437 Cambuci 41.112 Consolação 57.721 Liberdade 71.619 IV – Conselho Tutelar de Brasilândia (268.954) V – Conselho Tutelar do Butantã (226.113): Butantã 53.939 Morumbi 53.670 Vila Sônia 118.504 VI – Conselho Tutelar de Campo Limpo (381.430): Campo Limpo 217.806 Vila Andrade 163.624 VII – Conselho Tutelar de Cangaíba (133.620) VIII – Conselho Tutelar de Capão Redondo (278.482) IX – Conselho Tutelar de Capela do Socorro (231.540): Cidade Dutra 195.105 Socorro 36.435 X – Conselho Tutelar de Casa Verde (301.622): Cachoeirinha 138.808 Casa Verde 84.989 Limão 77.825 XI – Conselho Tutelar de Cidade Ademar (273.842) XII – Conselho Tutelar de Cidade Líder (198.379): Cidade Líder 129.266 Parque do Carmo 69.113 XIII – Conselho Tutelar de Cidade Tiradentes I (109.260) XIV – Conselho Tutelar de Cidade Tiradentes II (109.259) XV – Conselho Tutelar de Ermelino Matarazzo (205.034): Ermelino Matarazzo 114.931 Ponte Rasa 90.103 XVI – Conselho Tutelar de Freguesia do Ó (138.360) XVII – Conselho Tutelar de Guaianases (104.798) XVIII – Conselho Tutelar de Grajaú I (184.072) XIX – Conselho Tutelar de Grajaú II (184.071) XX – Conselho Tutelar do Ipiranga (219.606): Cursino 110.617 Ipiranga 108.989 XXI – Conselho Tutelar de Itaim Paulista (225.588) XXII – Conselho Tutelar de Itaquera (202.636) XXIII – Conselho Tutelar de Jabaquara (224.427) XXIV – Conselho Tutelar de Jaçanã (94.211) XXV – Conselho Tutelar do Jaraguá (204.050) XXVI – Conselho Tutelar de Jardim Helena (130.521) XXVII – Conselho Tutelar do Jardim São Luiz (278.093) XXVIII – Conselho Tutelar de José Bonifácio (131.088) XXIX – Conselho Tutelar de Lajeado (164.788) XXX – Conselho Tutelar da Lapa (319.817): Barra Funda 14.861 Jaguara 24.025 Jaguaré 52.994 Lapa 67.397 Perdizes 113.587 Vila Leopoldina 46.953 XXXI – Conselho Tutelar da Mooca (357.212): Água Rasa 82.891 Belém 47.133 Brás 30.962 Mooca 81.258 Pari 18.331 Tatuapé 96.637 XXXII – Conselho Tutelar de M’Boi Mirim (317.718): Jardim Ângela 317.718 XXXIII – Conselho Tutelar de Parelheiros (153.372): Marsilac 8.030 Parelheiros 145.342 XXXIV – Conselho Tutelar de Pedreira (150.659) XXXV – Conselho Tutelar da Penha (331.569): Arthur Alvim 100.468 Penha 127.152 Vila Matilde 103.949 XXXVI – Conselho Tutelar de Perus (83.777) XXXVII – Conselho Tutelar de Pinheiros (293.347): Alto de Pinheiros 41.655 Itaim Bibi 96.803 Jardim Paulista 89.577 Pinheiros 65.312 XXXVIII – Conselho Tutelar de Pirituba (252.056): Pirituba 167.826 São Domingos 84.230 XXXIX – Conselho Tutelar de Rio Pequeno (222.605): Rio Pequeno 119.636 Raposo Tavares 102.969 XL – Conselho Tutelar de Sacomã (253.336) XLI – Conselho Tutelar de Santana (317.665): Mandaqui 107.792 Santana 113.763 Tucuruvi 96.110 XLII – Conselho Tutelar de Santo Amaro (244.105): Campo Belo 64.065 Campo Grande 103.721 Santo Amaro 76.319 XLIII – Conselho Tutelar de São Mateus (292.579): Iguatemi 140.252 São Mateus 152.327 XLIV – Conselho Tutelar de São Miguel (227.701): São Miguel 87.838 Vila Jacuí 139.863 XLV – Conselho Tutelar de São Rafael (151.547) XLVI – Conselho Tutelar de Sapopemba (280.231) XLVII – Conselho Tutelar da Sé (212.828): Bom Retiro 37.529 República 61.080 Santa Cecília 89.062 Sé 25.157 XLVIII – Conselho Tutelar de Tremembé (212.343) XLIX – Conselho Tutelar de Vila Curuçá (147.491) L – Conselho Tutelar de Vila Maria (289.203): Vila Guilherme 55.565 Vila Maria 111.115 Vila Medeiros 122.523 LI – Conselho Tutelar de Vila Mariana (354.928): Moema 88.445 Saúde 135.013 Vila Mariana 131.470 LII – Conselho Tutelar de Vila Prudente (244.458): São Lucas 141.137 Vila Prudente 103.321

ANEXO II INTEGRANTE DO DECRETO Nº 56.142, DE 29 DE MAIO DE 2015 CONSELHOS TUTELARES DA CIDADE DE SÃO PAULO (DIVISÃO POR SUBPREFEITURAS) I – Subprefeitura de Perus: 1. Conselho Tutelar de Perus 2. Conselho Tutelar de Anhanguera II – Subprefeitura de Pirituba/Jaraguá: 1. Conselho Tutelar de Pirituba 2. Conselho Tutelar do Jaraguá III – Subprefeitura de Santana/Tucuruvi: Conselho Tutelar de Santana IV – Subprefeitura de Jaçanã/Tremembé: 1. Conselho Tutelar de Jaçanã 2. Conselho Tutelar de Tremembé V – Subprefeitura de Vila Maria/Vila Guilherme: Conselho Tutelar de Vila Maria VI – Subprefeitura de Freguesia/Brasilândia: 1. Conselho Tutelar de Freguesia do Ó 2. Conselho Tutelar de Brasilândia VII – Subprefeitura de Casa Verde/Cachoeirinha: Conselho Tutelar de Casa Verde VIII – Subprefeitura da Lapa: Conselho Tutelar da Lapa IX – Subprefeitura do Butantã: 1. Conselho Tutelar do Butantã 2. Conselho Tutelar do Rio Pequeno X – Subprefeitura de Pinheiros: Conselho Tutelar de Pinheiros XI – Subprefeitura da Sé: 1. Conselho Tutelar da Sé 2. Conselho Tutelar de Bela Vista XII – Subprefeitura da Mooca: Conselho Tutelar da Mooca XIII – Subprefeitura de Vila Prudente: Conselho Tutelar de Vila Prudente XIV – Subprefeitura de Sapopemba: Conselho Tutelar de Sapopemba XV – Subprefeitura de Vila Mariana: Conselho Tutelar de Vila Mariana XVI – Subprefeitura do Ipiranga: 1. Conselho Tutelar do Ipiranga 2. Conselho Tutelar de Sacomã XVII – Subprefeitura do Jabaquara: Conselho Tutelar de Jabaquara XVIII – Subprefeitura de Santo Amaro: Conselho Tutelar de Santo Amaro XIX – Subprefeitura de Campo Limpo: 1. Conselho Tutelar de Campo Limpo 2. Conselho Tutelar de Capão Redondo XX – Subprefeitura de Cidade Ademar: 1. Conselho Tutelar de Cidade Ademar 2. Conselho Tutelar de Pedreira XXI – Subprefeitura de M´Boi Mirim: 1. Conselho Tutelar de M´Boi Mirim 2. Conselho Tutelar do Jardim São Luiz XXII – Subprefeitura de Capela do Socorro: 1. Conselho Tutelar de Capela do Socorro 2. Conselho Tutelar de Grajaú I 3. Conselho Tutelar de Grajaú II XXIII – Subprefeitura de Parelheiros: Conselho Tutelar de Parelheiros XXIV – Subprefeitura de São Mateus: 1. Conselho Tutelar de São Mateus 2. Conselho Tutelar de São Rafael XXV – Subprefeitura da Penha: 1. Conselho Tutelar da Penha 2. Conselho Tutelar de Cangaíba XXVI – Subprefeitura de Cidade Tiradentes: 1. Conselho Tutelar de Cidade Tiradentes I 2. Conselho Tutelar de Cidade Tiradentes II XXVII – Subprefeitura de Ermelino Matarazzo: Conselho Tutelar de Ermelino Matarazzo XXVIII – Subprefeitura de Guaianases: 1. Conselho Tutelar de Guaianases 2. Conselho Tutelar de Lajeado XXIX – Subprefeitura de Itaquera: 1. Conselho Tutelar de Itaquera 2. Conselho Tutelar de José Bonifácio 3. Conselho Tutelar de Cidade Líder XXX – Subprefeitura de Itaim Paulista: 1. Conselho Tutelar de Itaim Paulista 2. Conselho Tutelar de Vila Curuçá XXXI – Subprefeitura de São Miguel: 1. Conselho Tutelar de São Miguel 2. Conselho Tutelar de Jardim Helena XXXII – Subprefeitura de Aricanduva/Formosa/Carrão: Conselho Tutelar de Aricanduva

Anúncios

Gratinado de macedônia com mandioca

gratinado_de_macedonia_com_mandioca

Gratinado de macedônia com mandioca
Receita cedida pela Bonduelle

Rende: 4 porcões
Tempo: 40’

2 latas de macedônea Bonduelle
2 pacotes de mandioca
Sal e pimenta a gosto
3 colheres (sopa) de manteiga
2 xícaras (chá) de leite
1 xícara (chá) de queijo parmesão ralado
1 xícara (chá) de mussarela ralada grossa
Azeite

Preparo
Escorra a macedônea. Cozinhe as mandiocas na água com sal até ficarem macias, escorra e ainda quente passe no espremedor. Coloque na panela, misture o sal a pimenta, a manteiga  e o leite. Cozinhe no fogo brando, mexendo sem parar, até formar um purê. Em refratários individuais, levemente untado com azeite alterne purê, macedônea e pure. Polvilhe a mussarela, o parmesão, regue com um fio de azeite e leve ao forno pré aquecido a 200º até dourar.

Dica
Substitua a mandioca por batatas.

É possível uma outra globalização? | Revista Partes

Para efeito deste artigo nos baseamos fundamentalmente nas seguintes obras, A Armadilha da Globalização – o assalto à democracia e ao bem-estar social, de Hans-Peter Martin e Harald Schumann e no livro Por uma outra globalização – Do Pensamento Único à Consciência Universal, de Milton Santos, porém recorremos a outras literaturas na expectativa compreender a globalização nas suas várias dimensões e na interdisciplinaridade. Não existe um consenso sobre esta questão, sobre o termo globalização ou mundialização como é usado em alguns países, ou até por Renato Ortiz, o que pode alterar ainda mais a semântica deste delicioso debate. Questões como a modernidade e o papel da comunicação de massa no processo de globalização merecem um grande destaca, porém, pelo conteúdo das duas obras aqui analisadas podemos deixar este debate para um momento posterior.

viaÉ possível uma outra globalização? | Revista Partes.

Dia do Geógrafo – Mapeamento temático do uso e ocupação da terra da Bacia Hidrográfica do Arroio da Lagoa no Município de Irati PR | Revista Partes

O presente trabalho teve como objetivo analisar, identificar, classificar e mapear os tipos de uso e ocupação da terra na Bacia Hidrográfica do Arroio da Lagoa no município de Irati-Pr. Parte da Bacia Hidrográfica está inserida na área urbana da cidade, sendo o restante na área rural. Os resultados mostram que quase metade da referente Bacia, é urbanizada, contendo algumas indústrias, mas há outras classes, como, reflorestamento, cultivo, campo e floresta, estas situadas na área rural da Bacia.

Palavras-chave: Mapeamento, Bacia Hidrográfica, Uso da Terra, Irati.

Abstract: This study aimed to analyze, identify, classify and map the kinds of use and occupation of the land in the Hidrografic Basin of Arroio da Lagoa in the town of Irati-Pr. Part of the hidrografic basin is within the urban area of the city, with the rest in rural areas. The results show that almost half of the referent basin is urbanized, containing some industries, but there are other classes, such as, forestry, farming, field and forest, those located in rural areas of the Basin.

Keywords: Mapping, Hidrografic Basin, Land Use, Irati.

viaMapeamento temático do uso e ocupação da terra da Bacia Hidrográfica do Arroio da Lagoa no Município de Irati PR | Revista Partes.

Dia do geógrafo – A Temática Ambiental e o Currículo de Geografia | Revista Partes

A Temática Ambiental e o Currículo de Geografia | Revista Partes.

Ao longo dos anos a concepção de natureza para a Geografia foi sendo transformada mas a Geografia Escolar continuou a mesma. Ainda podemos perceber forte influência da Geografia Tradicional no currículo da disciplina. Nesse artigo buscamos compreender como que o estudo do Espaço Geográfico, pela ótica da Geografia Crítica, pode estabelecer uma interface com a Educação Ambiental Crítica.

Dia do Geógrafo – Uma análise da percepção de professores de geografia sobre as políticas neoliberais

Dia 29 de maio é o Dia do Geógrafo

diadogeografo

No dia 29 de maio comemora-se o Dia do Geógrafo. A profissão de Geógrafo foi regulamentada pela Lei n° 6.664, de 26/6/79. A data foi escolhida porque no dia 29 de maio de 1936 foi criado o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Pela legislação, todo geógrafo deve possuir registro no Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (CREA) da unidade da federação onde exerce seu trabalho.

O geógrafo atua nas áreas de planejamento urbano, meio ambiente, desenvolvimento, qualidade de vida, ensino, políticas públicas, impactos ambientais, recuperação de áreas degradadas, cartografia, geoprocessamento, gestão ambiental, análise de riscos, pesquisa de mercado, saúde e bem-estar, projetos sociais, entre outros.

Os estudos de um Geógrafo não são apenas os detalhes físicos do ambiente, mas também seus impactos sobre as pessoas e sobre a natureza, percorrendo a ecologia, o tempo e os climas padrões de cada localização, sem contar a economia e também a cultura. Esses estudos são muitas vezes especialmente centrados nas relações entre estes elementos.

Com o passar do tempo surgiu o geomarketing que tem como objetivo o estudo para alocação e planejamento das redes de serviço e comércio.
O bacharel em geografia é legalmente habilitado e deve possuir registro no Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (CREA) da unidade da federação onde exerce seu trabalho.

No dia 29 de maio também se comemora o aniversário de fundação do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), bem como o dia do Estatístico.

28 de maio: Dia Internacional de Luta pela Saúde da Mulher

saudedamelher

28 de maio é o Dia Internacional de Luta pela Saúde da Mulher. A data marca o esforço pela conscientização e tratamento de distúrbios de saúde inerentes ao sexo feminino, tais como a menopausa e a osteoporose. Mas como prevenir e combater esses problemas?

A osteoporose, por exemplo, afeta principalmente mulheres na pós-menopausa, e é caracterizada por uma fragilidade nos ossos, trazendo riscos maiores de quedas e fraturas. No entanto, somente uma alimentação balanceada não é suficiente para evitar esse mal.

O Programa “Assistência Integral à saúde da Mulher: bases de ação programática” (PAISM) foi elaborado pelo Ministério da Saúde e apresentado na Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) da explosão demográfica em 1983, a discussão se pautava predominantemente sobre o controle da natalidade. O Ministério da Saúde teve um papel fundamental, pois influenciou no âmbito do Governo Federal e este por sua vez, se posicionou e defendeu o livre arbítrio das pessoas e das famílias brasileiras em relação a quando, quantos e qual o espaçamento entre os/as filhos/as.

Governo Federal entrega 384 moradias do MCMV em Batatais (SP)

moradiasembatais

Na sua quase epopeica maratona pelo interior paulista, o ministro das Cidades, Gilberto Kassab, estará hoje (28/05), em Batatais (SP), para entregar 384 unidades habitacionais do programa Minha Casa, Minha Vida (MCMV). As moradias fazem parte do Condomínio Residencial Imirim. Estima-se que 1.536 pessoas serão beneficiadas com as moradias.

O residencial Imirim é constituído de 96 blocos de casas sobrepostas, sendo cada bloco de 2 andares com 4 apartamentos.

O empreendimento conta com área de lazer, dois salões de festas com churrasqueira, quadra poliesportiva e dois playgrounds. Há ainda 12 unidades adaptadas para deficientes físicos.

No estado de São Paulo, o programa Minha Casa, Minha Vida já contratou 697.674 unidades habitacionais com investimento de R$ 51,6 bilhões. Em Batatais foram contratadas 1.441 unidades habitacionais com um investimento de R$ 93,8 milhões. No país, já foram contratadas 3.857.735 unidades habitacionais com investimento de R$ 254,4 bilhões.

Serviço

Governo Federal entrega 384 moradias do MCMV em Batatais (SP)
Data: Quinta-feira (28/05)
Horário: 15h10
Local: Avenida dos Pupins, s/n.