Mês: fevereiro 2018

Abertura do Campeonato Paulista de Futebol de Amputados 2018

amputados

A quadra society do Parque Ibirapuera será palco da rodada de abertura do Campeonato Paulista de Futebol de Amputados, no sábado (3 de março), a partir das 8h30.

O torneio, promovido pela Associação Brasileira de Desporto para Deficientes Físicos (ABDF), com apoio da Prefeitura de São Paulo, por meio das Secretarias Municipais de Esporte e Lazer (SEME), Verde e Meio Ambiente (SMVA) e Pessoa com Deficiência (SMPED), será realizado de 3 de março a 14 de julho, em oito etapas em diferentes cidade: São Paulo (03/03 e 14/07), Mogi das Cruzes (17/03, 07/04 e 23/06), Peruíbe (12/05), Campinas (02/06) e Praia Grande (07/07).

Serão sete equipes disputando a taça: Corinthians-Mogi, SPFC Futebol de Amputados, Santos AEDPG, Ponte Preta, Instituto Só Vida, Bola pra Frente e Audax Peruíbe. Os jogos serão realizados em uma única chave, todos os times competem entre si, e os dois primeiros colocados se classificam para disputar o título.

O futebol de amputados ganhou visibilidade mundial em meados de 2015, quando a União das Federações Europeias de Futebol (UEFA), em razão da responsabilidade social, criou a Federação Europeia de Futebol para Amputados (EAFF), estimulando a modalidade  na Europa. No continente já são mais de 10 seleções nacionais, com torneios de alto rendimento.

Anúncios

Os golpes de 1964 e 2016: poder, espetáculo, simulacro

Na Revista Rumores da ECA/USP – v. 11, n. 22 (2017) foi publicado  um artigo do professor Cláudio Novaes Pinto Coelho comparando os golpes de 1964

www.revistas.usp.br/rumores.

http://www.revistas.usp.br/Rumores/article/view/133404/135989

 

Resumo

A proposta principal deste trabalho é a realização de uma análise comparativa dos golpes de 1964 e 2016 sob a perspectiva de uma reflexão a respeito das relações entre comunicação e política. Os conceitos de poder espetacular desenvolvidos por Debord são a base para a análise dos golpes. A visão de Baudrillard a respeito do processo comunicacional de simulação e de produção de simulacros também será incorporada ao trabalho, mediante apropriação crítica. O pensamento  de Florestan Fernandes sobre a sociedade brasileira, em especial sua  visão sobre a existência de uma autocracia burguesa, será utilizado para confronto entre os conceitos de Debord e de Baudrillard e as particularidades da história brasileira. Editoriais da Folha de S.Paulo  fornecerão material para a investigação dos vínculos entre a atuação da mídia e a presença do poder espetacular e do processo de simulação e  de produção de espetáculos nas conjunturas históricas de 1964 e 2016.

Festival de Camarão e Massas Ceagesp

Spaghetti com Camarao e Parmesao (Foto Eduardo Bacani)

Spaghetti com Camarão e Parmesão (Foto Eduardo Bacani)

 

Começa nessa quarta-feira (28/02), a partir das 18h, o Festival de Camarão e Massas Ceagesp, edição 2018. O mais novo evento gastronômico da cidade funcionará de quarta a domingo, e vai até 29 de abril. Serão mais de 50 itens pelo preço fixo de R$ 69,90 por pessoa (exceto bebidas e sobremesas).

Neste festival, a proposta é combinar camarões com diversas opções de massas e molhos. Também haverá risotos, pizzas, parmegianas, frango à passarinho, pernil, porqueta e outros pratos da culinária italiana.

O Espaguete com Camarão preparado no interior de uma esfera de queijo parmesão será uma das grandes atrações do Festival de Camarão e Massas Ceagesp. O prato, servido individualmente, é finalizado na frente do público.

O mesmo acontece com os risotos, que serão preparados sempre na hora, à la minute. Ilhas de preparação de pratos ficarão instaladas no salão do Espaço Gastronômico Ceagesp para garantir a temperatura ideal das massas.

Camarão e Massas

Os camarões continuam presentes neste novo festival, tanto nas massas quanto nas tradicionais opções consagradas nos festivais da Ceagesp. O Camarão Assado no Espeto e o Camarão Crocante com Tártaro e Limão, por exemplo, continuarão sendo servidos nas mesas, à vontade. O mesmo acontecerá com o Frango à Passarinho e a Polenta Frita.

Todas as semanas, o público encontrará várias opções de massas secas e recheadas, preparadas na Cozinha Gourmet Ceagesp. Nesta primeira semana (de quarta a domingo), além de espaguete com camarão, terá ainda penne, fettuccine e gnocchetti, com opções de molhos ao sugo, bolonhesa, romanesca e dois queijos.

No cardápio também haverá sempre uma opção de peixe. Nesta semana, será a vez do Salmão com Molho de Maracujá. As opções de entradas do novo festival ficarão por conta de pizzas, brusquetas e caldos diversos, além de casquinha de siri.

Uma farta mesa de saladas e antepastos também estará incluída no valor do evento. Conservas, patês, embutidos, vários tipos de queijos, pães e saladas diversas ficarão à disposição dos comensais. Nesta primeira semana, entre os destaques, estarão Abobrinha Grelhada com Tomate Seco e Manjericão, Berinjela Grelhada com Pesto, Rúcula com Parmesão, entre outras opções.

Funcionamento

O Festival de Camarão e Massas Ceagesp 2018 funcionará de quarta a domingo. De quarta a sexta, o horário será das 18h à 0h. Aos sábados, das 12h às 17h (almoço), e das 18h à 0h (jantar). Aos domingos, das 12h às 17h (apenas almoço).

A entrada será pelo Portão 4 da Ceagesp, na altura do 1.946 da av. Dr. Gastão Vidigal, na Vila Leopoldina, zona oeste da capital. O estacionamento para automóveis ficará no Portão 4, com preço especial para os frequentadores do evento. O estacionamento para Motos será somente pelo Portão 2, na mesma avenida.

Serviço

Festival de Camarão e Massas Ceagesp

  • Quando: de 28 de fevereiro a 29 de abril
  • Horários: de quarta a sexta, das 18h à 0h. Aos sábados, das 12h às 17h, e das 18h à 0h. Aos domingos, das 12h às 17h
  • Preço: R$ 69,90 por pessoa (não há cobrança de taxa de serviço). Criança até cinco anos, não paga. De seis a dez, paga metade do valor. Bebidas e sobremesas são cobradas à parte.
  • Onde: Espaço Gastronômico Ceagesp
  • Endereço: Portão 4 da Ceagesp – av. Dr. Gastão Vidigal, altura do 1.946, na Vila Leopoldina, zona oeste da capital.
  • Estacionamento: Automóveis pelo Portão 4 (preço especial para os frequentadores do evento). Motos: somente pelo Portão 2.
  • Site: www.festivaisceagesp.com.br

João Jorge é o novo líder do Governo Dória

joao_jorge_2017
OFÍCIO RECEBIDO PARA PUBLICAÇÃO
15-00196/2018
“PREFEITURA DE SÃO PAULO
GABINETE DO PREFEITO
São Paulo, 27 de fevereiro de 2018.
Ofício nº 50/2018 – PREF.G
Ref.: Indicação do novo líder do Governo Municipal
Senhor Presidente,
Cumprimentando-o cordialmente, tenho a honra de informar a Vossa Excelência que o Nobre Vereador JOÃO JORGE será o novo Líder do Governo junto a essa honrosa Câmara.
Aproveito o ensejo para renovar protestos de elevada estima e distinta consideração.
JOÃO DORIA
Prefeito
Ao
Excelentíssimo Senhor
VEREADOR MILTON LEITE
Presidente da Câmara Municipal de São Paulo.”

Biografia

João Jorge de Souza é formado em Administração de Empresas. Casado, 58 anos, é pai de quatro filhos. Filiou-se ao PSDB em 1992. É membro da Igreja Evangélica Assembleia de Deus do Brás. Iniciou sua vida profissional na iniciativa privada aos 13 anos de idade.

Trabalhou como gerente na empresa multinacional Goodyear do Brasil. Foi vereador em Americana, chefe de gabinete na Câmara Municipal de São Paulo e na Assembleia Legislativa de São Paulo. No governo José Serra, trabalhou na recuperação de estradas vicinais no interior do Estado de São Paulo.

Começou a trabalhar com o governador Geraldo Alckmin em 2001, quando foi gerente da Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU), fazendo projetos habitacionais, e entregou 10 mil casas. Escreveu e o livro ‘O caminho para a Casa Própria’.

Nos últimos seis anos gerenciou o sistema de ônibus na Grande São Paulo, quando trabalhou na Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU) a convite do governador. Conheceu vários lugares do mundo para especializar-se em mobilidade urbana e transportes públicos. Defende a implantação de BRTs (Bus Rapid Transit) em São Paulo, usando como modelo o TransMilenio da cidade de Bogotá, na Colômbia.

Foi um crítico ferrenho da administração Fernando Haddad (2013-2016), no combate à indústria da multa e ao programa de ciclovias sem planejamento. Sua principal bandeira é o transporte público e a mobilidade urbana. Atualmente é vereador de São Paulo, eleito em 2016 com 42.404 votos e presidente do Diretório Municipal do PSDB da capital. Na Câmara Municipal faz parte da Comissão de Trânsito, Transporte, Atividade Econômica, Turismo, Lazer e Gastronomia.

No dia 29 de outubro de 2017 foi eleito presidente do diretório municipal do PSDB de São Paulo.

Virado à Paulista

virado

O Virado à Paulista, prato tradicional das segundas-feiras paulistanas, foi tombado como Patrimônio Imaterial do Estado pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do governo do Estado de São Paulo.

O Prato é composto de arroz, feijão engrossado com farinha de milho, bisteca, linguiça, toucinho, couve, ovo frito e banana, o prato carrega história em seus ingredientes, tendo seus primeiros registros ainda no século 17.

 

Ingredientes

  • 3 xícaras de feijão cozido, batido no liquidificador
  • 2 dentes de alho, picados ou amassados
  • 1 cebola, picada
  • Sal a gosto
  • Pimenta – do – reino a gosto
  • 1/2 xícara de farinha de mandioca crua
  • 2 colheres de sopa de óleo de soja ou azeite
  • 3 xícaras de água
  • 2 bistecas
  • Suco de 2 limões
  • Óleo para fritura
  • 1/2 kg de lingüiças fresca ou caipira
  • 3 l de água fervente
  • 2 bananas nanicas
  • 1 ovo batido com 1 copo de leite
  • O suficientes de farinha de trigo, para empanar
  • Sal a gosto
  • 1 maço de couve, lavado e higienizado
  • 1/2 kg de panceta
  • 1 colher de chá de bicarbonato de sódio

A linda História de Moonlight Sonata – Beethoven

  “Beethoven vivia um desses dias tristes, sem brilho e sem luz. Estava muito abatido pelo falecimento de um príncipe da Alemanha, que era como um pai para ele…

O jovem compositor sofria de grande carência afectiva. O pai era um alcoólatra contumaz e o agredia fisicamente. Faleceu na rua, por causa do alcoolismo… Sua mãe morreu muito jovem. Seus irmãos biológicos nunca o ajudaram em nada, e, some-se a tudo isto, o fato de sua doença agravar-se. Sintomas de surdez, começavam a perturbá-lo, ao ponto de deixá-lo nervoso e irritado…

Beethoven somente podia escutar usando uma espécie de trombone acústico no ouvido. Ele carregava sempre consigo uma tábua ou um caderno, para que as pessoas escrevessem suas idéias e pudessem se comunicar, mas elas não tinham paciência para isto, nem para ler seus lábios…

Notando que ninguém o entendia, nem o queriam ajudar, Bethoven se retraiu e se isolou. Por isso conquistou a fama de misantropo. Foi por todas essas razões, que o compositor caiu em profunda depressão. Chegou a redigir um testamento, dizendo que iria se suicidar…

Mas como nenhum filho de Deus está esquecido, vem a ajuda espiritual, através de uma moça cega, que morava na mesma pensão pobre, para onde Beethoven havia se mudado e lhe fala quase gritando: “Eu daria tudo para enxergar uma Noite de Luar” Ao ouvi-la, Beethoven se emociona até as lágrimas. Afinal, ele podia ver! Ele podia escrever sua arte nas pautas…

A vontade de viver volta-lhe renovada e ele compõe uma das músicas mais belas da humanidade: “Sonata ao Luar” No seu tema, a melodia imita os passos vagarosos de algumas pessoas, possivelmente, os dele e os dos outros, que levavam o caixão mortuário do príncipe, seu protector…

Olhando para o céu prateado de luar, e lembrando da moça cega, como a perguntar o porquê da morte daquele mecenas tão querido, ele se deixa mergulhar num momento de profunda meditação transcendental…

Alguns estudiosos de música dizem que as três notas que se repetem, insistentemente, no tema principal do 1º movimento da Sonata, são as três sílabas da palavra “why”? ou outra palavra sinônima, em alemão…

Anos depois de ter superado o sofrimento, viria o incomparável Hino à Alegria, da 9ª sinfonia, que coroa a missão desse notável compositor, já totalmente surdo. Hino à Alegria expressa a sua gratidão à vida e a Deus, por não haver se suicidado…

Tudo graças àquela moça cega, que lhe inspirou o desejo de traduzir, em notas musicais, uma noite de luar…

Usando sua sensibilidade, Beethoven retratou, através da melodia, a beleza de uma noite banhada pelas claridades da lua, para alguém que não podia ver com os olhos físicos. “

 

VIDEO

https://youtu.be/OsOUcikyGRk

Interpretação por Valentina Lisitsa

 

Nota sobre a obra – A Sonata para piano n.º 14, Op. 27 n.º 2 é uma sonata de Beethoven. Essa sonata foi muito tocada na época de Beethoven, que chegou a dizer que tinha feito músicas melhores. A “Sonata ao Luar”, que serviu de tema para inúmeros filmes e romances, só recebeu seu apelido em 1832, cinco anos depois da morte de Beethoven.[1] Foi o crítico Rellstab que comparou a música a um luar ao lago Lucerna. Tal comparação foi adotada como apelido para a obra.

São as águas de março…

adefesacivil

Todo o verão a cidade sofre com as fortes chuvas. De novembro a março, quando as chuvas são mais intensas, a população sofre os efeitos do alagamento de vias públicas,
inundações de residências, escorregamentos e quedas de árvores.
Resolver o problema não é fácil, nem rápido. Depende de obras caras e de longo prazo para remediar um problema antigo, mas estamos trabalhando para isto. Depende também da colaboração de todos. Lixo jogado nas ruas entope bocas-de-lobo, córregos e rios por onde a água escoa, além de servir como abrigo e alimento para ratos. (trecho de uma antiga cartilha da Defesa Civil da Cidade de São Paulo)

SECRETARIA MUNICIPAL DE CULTURA LANÇA OS PRIMEIROS EDITAIS DO ANO

vai

Foi anunciado pela SMC, o Calendário de Editais do primeiro semestre, foram publicados no Diário Oficial os editais para Fomento à Dança, Fomento ao Teatro, VAI (Valorização de Iniciativas Culturais) I e II e Prêmio Zé Renato

A Secretaria Municipal de Cultura (SMC) abre inscrições para os primeiros editais de 2018, nesta primeira etapa, com um investimento de R$23,5 milhões, contemplando os programas de Fomento à Dança, Fomento ao Teatro, VAI (Valorização de Iniciativas Culturais) I e II e Prêmio Zé Renato.

 

 

Os editais com inscrição aberta no dia 20 de fevereiro são:

– 32ª edição do Fomento ao Teatro vai disponibilizar R$8,5 milhões para contemplar até 15 projetos.

– 24º Fomento à Dança deve atender até 10 projetos de R$ 300 mil cada. Totalizando um investimento de R$ 3 milhões nesta edição

– 7º Prêmio Zé Renato vai distribuir R$ 4 milhões entre os projetos selecionados.

– A 15ª edição do VAI disponibilizará R$ 8 milhões que serão distribuídos entre o VAI I, que abriga projetos de até R$ 40 mil, e o VAI II para projetos de até R$ 80 mil.

Ainda no primeiro semestre, a SMC abre inscrições para:

– 2º Edital de Apoio ao Reggae

– 2º Edital de Apoio ao Circo

– 3º MAR

– 2º Edital de Publicação de Livros

– Seminário de Graffiti e Mostra

– 2º Edital de Apoio à Música

– 2º Edital de Rádios Comunitárias

Os editais anunciados para acontecerem até maio deste ano contemplam apoio à produção e criação de várias linguagens artísticas. As inscrições poderão ser feitas presencialmente e também pela internet, por meio da plataforma Spcultura.  

Além dos editais já existentes, referentes a programas consolidados como os Fomentos ao Teatro e à Dança, em 2017, a SMC criou novos programas de apoio às artes que proporcionaram investimentos em movimentos culturais e linguagens artísticas que ainda não recebiam recursos de forma regular, ampliando a oferta de novas iniciativas.

Mais informações, acesse www.cultura.prefeitura.sp.gov.br

As trevas vão se avolumando

Nota de repúdio à violação da autonomia universitária

A Associação Brasileira de Pesquisadores em Comunicação e Política (Compolítica) vem a público manifestar sua solidariedade e apoio ao professor e pesquisador Luis Felipe Miguel (UnB), um dos sócios fundadores desta instituição, vice-presidente na gestão 2013-2015, diante da ameaça do Ministério da Educação (MEC) em comunicado que diz pretender encaminhar à Advocacia-Geral da União, ao Tribunal de Contas da União, à Controladoria-Geral da União e ao Ministério Público Federal solicitação de apuração de suposta improbidade administrativa face à oferta de disciplina na graduação em Ciência Política da UnB que visa a discutir o golpe de 2016 e o futuro da democracia no país. O movimento parte justamente de entidade a que compete zelar pela autonomia universitária, conforme prescreve o artigo 207 da Constituição Federal.

A comunidade acadêmica tem sido vítima frequente de arbítrios semelhantes nos últimos meses. Mesmo após o trágico episódio que envolveu o suicídio do professor Luiz Carlos Cancellier, então reitor da UFSC, prisões, conduções coercitivas e demais gestos indicativos de abuso de poder, ora orquestrados pelo Judiciário, ora pelo Executivo, têm indicado aos professores, alunos, servidores técnico-administrativos e demais membros da comunidade um exagero e um ímpeto manifesto em desqualificar o ambiente da universidade pública e das instituições de ensino superior de modo geral.

O curso proposto pelo colega da UnB, a partir da disciplina “Tópicos Especiais em Ciência Política 4”, com o tema “O golpe de 2016 e o futuro da democracia no Brasil” tem os seguintes objetivos: “(1) Entender os elementos de fragilidade do sistema político brasileiro que permitiram a ruptura democrática de maio e agosto de 2016, com a deposição da presidente Dilma Rousseff; (2) Analisar o governo presidido por Michel Temer e investigar o que sua agenda de retrocesso nos direitos e restrição às liberdades diz sobre a relação entre as desigualdades sociais e o sistema político no Brasil; (3) Perscrutar os desdobramentos da crise em curso e as possibilidades de reforço da resistência popular e de restabelecimento do Estado de direito e da democracia política no Brasil.” O programa contempla bibliografia lúcida, de autores relevantes nas Ciências Humanas e Sociais do país.

Além disso, conforme o próprio pesquisador afirma, em nota posterior à divulgação do caso, “Trata-se de uma disciplina corriqueira, de interpelação da realidade à luz do conhecimento produzido nas ciências sociais, que não merece o estardalhaço artificialmente criado sobre ela”, ao que emenda “A única coisa que não é corriqueira é a situação atual do Brasil, sobre a qual a disciplina se debruçará”. Em outras palavras, a disciplina se propõe a um exercício de análise de conjuntura, uma das mais sofisticadas e intricadas vertentes teórico-epistemológicas.

A nota emitida pelo Ministério da Educação enxerga como “ataque às instituições brasileiras”, uma proposta de discussão e debate em alto nível sobre a realidade social no país após 2016.

Esta Associação reafirma seu compromisso com a defesa da autonomia universitária e estimula iniciativas que busquem aprofundar a análise do atual cenário político e midiático brasileiro.

Atenciosamente,

Associação Brasileira de Pesquisadores em Comunicação e Política (COMPOLÍTICA)