Livros da Coleção Cerrado podem ser baixados gratuitamente

Onze publicações clássicas sobre o Cerrado estão agora disponíveis para download gratuito. A Coleção Cerrado aborda temas como ecologia e flora, matas de galeria, aproveitamento alimentar, correção de solo e adubação, entre outros. 

Os títulos foram publicados durante catorze anos, entre 1998 e 2012, reunindo informações da equipe de pesquisadores e técnicos da Embrapa Cerrados. O conteúdo se mantém atualizadas até hoje e é muito usado por estudantes.

Antes apenas comercializadas no formato impresso pela Livraria da Embrapa, as publicações, agora em formato digital, podem ser baixadas pelo site da Empresa. “Consideramos relevante oferecer esses livros gratuitamente para a sociedade. As publicações ajudam na melhor compreensão do bioma Cerrado, tanto para seu desenvolvimento, quanto para sua preservação”, afirma Shirley Araújo, bibliotecária da Embrapa Cerrados. 

Felipe Ribeiro, pesquisador da Embrapa Cerrados e autor de algumas obras da coleção, lembra que o conhecimento deve servir a sociedade e que a comunidade científica não pode se esquecer dessa finalidade. Ele completa: “Em geral não valorizamos aquilo que não conhecemos. Essa é uma grande oportunidade para que as pessoas conheçam mais sobre esse nosso grande Cerrado. O conhecimento aqui disponibilizado mostra o valor do bioma Cerrado, não apenas para os cerratenses que aqui vivem, mas para todo o Brasil, mostrando como fazer a conservação do nosso solo, da água, da biodiversidade, enfim, dos nossos recursos naturais”.

O pesquisador Alexandre Spetch enfatiza que explica o formato digital gratuito facilita a divulgação dos conteúdos para as famílias, grupos de amigos, pesquisadores e outros interessados: “Acredito que terá um efeito enorme na divulgação dessas obras”. 

Títulos para download

Cerrado – Matas de Galeria

José Felipe Ribeiro (1998)

Aponta a importância econômica, ambiental e científica das matas para a conservação da água e dos solos. Sua manutenção e perenidade dependem do uso racional e planejado das nascentes e das matas ciliares. A obra ainda representa as causas da degradação das matas ciliares, aborda questões relacionadas a produção de mudas, germinação, crescimento e conservação das espécies, recuperação, além de apresentar 68 famílias com 212 gêneros e quase 500 espécies do Cerrado. 

Cerrado – Aproveitamento alimentar

Semíramis Pedrosa de Almeida (1998)

Traz mais de 200 ideias práticas para o pequeno produtor agregar valor ao produto gerado em sua chácara ou fazenda, considerando uma série de parâmetros de sustentabilidade. Um deles é a capacidade de carga do ambiente trabalhado, já que a coleta de frutas do Cerrado ainda é uma atividade quase que exclusivamente extrativista.  

Cerrado – Caracterização e recuperação de matas de galeria
José Fellipe Ribeiro; Carlos Eduardo Lazarini da Fonseca; José Carlos Sousa-Silva (2001)

O livro introduz o leitor no ambiente das matas de galeria no contexto da região do Cerrado, caracterizando e enfatizando as formações florestais bastante complexas que essa região comporta. São apresentados estudos de caracterização de solos; aspectos sobre a vegetação; fenologia e biologia reprodutiva de espécies-chave; padrão de dispersão de todas as espécies lenhosas encontradas nos levantamentos no Distrito Federal até 1999. Reúne ainda estudos sobre a fauna, com resultados de inventários quantitativos e qualitativos, e os microrganismos presentes nessas áreas.

Cerrado – Ecologia e caracterização
Ludimilla Moura de Souza Aguiar; Amabílio José Aires de Camargo (2004) 

A riqueza de espécies tanto da flora quanto da fauna do Cerrado é muito expressiva, representando cerca de 30% da biodiversidade brasileira. Os conhecimentos sobre os processos ecológicos que regem a estruturação e o funcionamento das relações bióticas e abióticas no bioma são importantes para mitigar impactos sobre sua diversidade e para utilização sustentável dos recursos naturais.                                                                                

Cerrado – Correção do solo e adubação
Djalma Martinhão Gomes de Sousa; Edson Lobato (2002)

Destaca as tecnologias que tornaram possível o ótimo desempenho agropecuário da região, que permitiram incorporar os solos altamente intemperizados, ácidos e pobre em nutrientes ao processo produtivo agrícola. Coloca à disposição dos leitores uma série de informações imprescindíveis para o manejo sustentável dos solos. Traz recomendações de correção do solo e de adubação compatíveis para uma produção agrícola, pecuária e florestal que atenda o produtor e a sociedade, em harmonia com o ambiente do Cerrado de forma permanente. 

Cerrado – Adubação verde
Arminda Moreira de Carvalho; Renato Fernando Amabile (2006)

As plantas condicionadoras de solo (adubos verdes e plantas de cobertura) representam uma das opções de diversidade de espécies com reflexos na qualidade do solo e, consequentemente, dos agroecossistemas estabelecidos em áreas de Cerrado. O livro aborda desde o histórico da utilização dos adubos verdes, incluindo sua introdução no Cerrado, até o estudo de viabilidade econômica de seu uso em agroecossistema desse bioma.

Cerrado – Uso eficiente de corretivos e fertilizantes em pastagens
Geraldo Bueno Martha Júnior; Lourival Vilela; Djalma Martinhão Gomes de Sousa (2007) 

A necessidade de adubação das pastagens nessa região do Cerrado é evidenciada pelo fato de que a maioria dos solos não fornece nutrientes na quantidade adequada para o crescimento das plantas e nos níveis de extração das forrageiras utilizadas na formação de pastagens. Os baixos retornos econômicos obtidos pela pecuária se dão pela baixa produção de forragem, que pode ser consequência da não utilização de fertilizantes e pelo manejo do pastejo deficiente. A publicação traz recomendações de adubação de acordo com a intensidade e uso e o tipo de solo, capazes de melhorar a capacidade produtiva das pastagens cultivadas.

Cerrado – Ecologia e Flora (volumes 1 e 2)

Sueli Matiko Sano; Semíramis Pedrosa de Almeida; José Felipe Ribeiro (2008)

A partir da atualização e do acréscimo de conteúdo à publicação esgotada Cerrado: ambiente e flora, esta traz uma lista aumentada da flora do Cerrado, em formato de banco de dados, com descrição e classificação dos organismos, dentro dos sistemas taxonômicos. Isso porque os autores entendem que para utilizar e preservar o bioma Cerrado, é necessário primeiro conhecer suas fitofisionomias e as espécies que a compõem.

Cerrado – Desafios e oportunidades para o desenvolvimento sustentável
Lucília Maria Parron; Ludmilla Moura de Souza Aguiar; Eny Duboc; Eduardo Cyrino Oliveira-Filho; Amabílio José Aires de Camargo; Fabiana de Gois Aquino (2008)

O Cerrado tem cerca de 320 mil espécies vegetais, animais e de microrganismos, além de importante produção agropecuária. No entanto, nas últimas décadas, os recursos naturais têm sido tratados de forma fracionada, como se eles não fossem componentes de um sistema dinâmico. Trabalhar de forma sistêmica e desenvolver tecnologias menos agressivas ao meio ambiente contribui para a conservação e a utilização planejada dos recursos. Nesse sentido, a publicação apresenta os avanços no desenvolvimento de tecnologias compatíveis com os cenários atuais e futuro.

Cerrado – Micorriza arbuscular: ocorrência e manejo
Jeanne Christine Claessen de Miranda (2008)

A associação benéfica entre fungos micorrízicos e raízes de plantas sempre esteve presente em todos os sistemas de produção e tem contribuído significativamente para a sua sustentabilidade e para a preservação ambiental. A publicação apresenta os conhecimentos e os resultados de estudos realizados durante 30 anos sobre o tema, considerando duas linhas principais: manejo dos fungos micorrízicos arbusculares nativos e da micorriza arbuscular nos sistemas de produção; inoculação desses fungos para implementação de modelos de desenvolvimento sustentável. 

Todas as publicações estão disponíveis na página da Embrapa Cerrados. Clique aqui para fazer o download da coleção.

Toda a forma de amor vale a pena

youtube.com/watch

Giro da vitrine 48 muitas atrações – #cringe #marlonbrando #amáliarodrigues #todasasformasdeamor #luizhespanha # Você se sente um cringe? Bumba meu boi no Maranhão #leléemtrânsito #fotosdasemana #pílulasfotográficas. Toda a forma de amor vale a pena. valerá? #silêncioestratégico

Tracklist 1:24 Abertura com Gilberto da Silva 2:55 Música com Larissa Carvalho: Jatobás e Butitis 6:08 Homenagem ao amigo jornalista e compositor Luiz Hespanha 14:14 Aniversariantes da Semana 18:27 Um pouco sobre Marlon Brando 23:40 Bate papo sobre Cinema com Homero Massuto 29:36 Dia Nacional do Bumba Meu Boi 42:19 Você Sabe o Que é Boco-Moco? 44:54 Lelé em Trânsito: Sweet Dream (Eurythmics), interpretado pela Banda HSCC da Austrália 54:45 Imagens da Semana com Cuca Jorge 1:11:00 Homenagem à Amália Rodrigues 1:18:29 Giro Flash com Celso Montal: For a Few Dolars More 1:22:55 Giro da Cultura POP com Homero Massuto: O Velho Oeste com o cineasta Sergio Leone 1:38:30 Bate papo sobre Faroeste, Western, Bang-Bang, chamem como quiser. 1:51:30 Pílula Fotográfica com Cuca Jorge: A História por detrás dos Retratos 1:57:33 Mensagem do Pai Gyldomar 1:59:05 Considerações Finais com Gilberto da Silva e demais Vitrineiros 2:07:19 Música: Falsa Estrela com Luiz Hespanha

Psicóloga fala sobre o novo termo “cringe”

A psicóloga Maria Rafart falou um pouco sobre o novo termo que vem sendo muito usado e surgiu recentemente. Afinal, o que é  “cringe” ? 

“Os jovens de hoje gostam do luxo. São mal comportados, desprezam a autoridade. Não têm respeito pelos mais velhos, passam o tempo a falar em vez de trabalhar. Não se levantam quando um adulto chega. Contradizem os pais, apresentam-se em sociedade com enfeites estranhos. Apressam-se a ir para a mesa e comem os acepipes, cruzam as pernas e tiranizam os seus mestres”. 

Estas frases, que poderiam se referir a qualquer situação atual, são atribuídas ao grego Sócrates, o filósofo que viveu 400 anos antes de Cristo… Os conflitos geracionais já acontecem há muito tempo, portanto. 

A adolescência é um período desafiador e de grandes descobertas. O jovem questiona o ambiente de onde veio, coloca muitas dúvidas em suas certezas anteriores, e tem energia de sobra para tentar mudar o que está ao seu redor. 

A expressão “no meu tempo”, é uma espécie de lugar seguro para o nosso ego. É um lugar onde já fomos jovens, nosso corpo respondia bem a qualquer estímulo, e a vida parecia ser bem melhor. 

É bastante lógico, portanto, defendermos com unhas e dentes os tempos em que achamos que tudo estava “muito melhor”. É uma autoafirmação de que aquilo que vivemos ainda vale a pena.

A brincadeira do “cringe” em a ver com confronto geracional. Confrontar não é necessariamente brigar, mas é defender o seu ponto de vista e achar que é melhor do que o outro. Isso acontece desde sempre. O “cringe” de hoje é o cafona, o out, o demodê, e o jacu de antigamente.

Mesmo que os gladiadores desta luta “cringe” sejam os millenials e a geração Z, isso também dá o que pensar aos mais velhos. Para uma nascida nos anos 1960 como eu (em dezembro de 1963, para ser exata), muitas imagens chegam à cabeça: a mãe enrolando o cabelo com bobbies, a família assistindo à chegada do homem na lua com a primeira tevê da família, ou a pintura a guache da bandeira que estragou a lataria do carro do vizinho para comemorar o Brasil campeão na copa de 1970. A gente também teve nossos momentos cringe.” Disse a especialista. 

Maria Rafart Crédito: Divulgação 

Giro da Vitrine 46 com The Beatles

Get Back, Yasmin Dias! Bad Boy, Celso Montal! Help!, Cuca Jorge! Michelle não! Vitrineirxs: All You Need Is Love no Yellow Submarine da Madalena Carvalho. PS: Please Mr. Postman, não esqueça do Homero Massuto!

#tracklist: 1:25 Abertura 2:20 Um pouco de alegria com Ob-La-Di, Ob-La-Da. 4:44 Aniversariantes da Semana 8:14 Lelé em Trânsito 11:26 Datas Especiais: Dia Mundial de Conscientização da Violência Contra a Pessoa Idosa / 16:00 Aniversário da Morte de Bussunda 22:28 Matéria sobre o Dia Nacional do Tambor de Crioula – 18 de junho 26:40 Dicas de Leitura 32:36 Fotos da Semana com Cuca Jorge 45:10 Madalena Carvalho comenta sobre a Vacina contra o COVID-19 52:33 Campanha de Ajuda às Crianças com Câncer por Dee Snider (Twisted Sister) 58:44 Giro da Cultura POP com Homero Massuto: O Assunto Hoje é FUTEBOL 1:13:20 Pilula Fotográfica com Cuca Jorge: Dicas sobre Retratos 1:22:10 Dicas de Um Velho Roqueiro com Celso Montal: The Beatles 1:29:57 Bate papo sobre os Beatles com os Vitrineiros 1:34:08 Campanha “Ler Gibi” 1:36:04 The Beatles e O Mundo das HQs com Homero Massuto 1:40:32 Bate papo sobre o Dia do Cinema Nacional comemorado em 19/06 1:50:55 Museu do Futebol: Edson Arantes do Nascimento (Pelé) 2:01:00 Homenagem ao músico Alberto Nepomuceno, precursor do nacionalismo 2:02:23 Video Clip “Hasta Siempre” com Nathalie Cardone 2:20:35 Considerações Finais

Bolo Cremoso de Abacaxi com Coco Zero Açúcar

Desenvolvido pela Criadora de Conteúdo Culinário Maviane Chiappetta, o bolo clássico é uma excelente sugestão para servir no geladíssimo após as refeições

Desenvolvido com Adoçante Culinária Lowçucar, a receita resulta em uma massa extremamente macia com aquele aroma que se espalha por toda casa enquanto fica pronto. Vamos acompanhar o passo a passo para fazer ainda hoje?

Ingredientes: Doce de Abacaxi:1 abacaxi picado 2 xícaras de água.2 colheres de sopa de adoçante. 

Modo de preparo: Doce de AbacaxiEm uma panela coloque todos os ingredientes e leve ao fogo. Deixe cozinhar por 20 minutos em fogo baixo, desligue e reserve..

Ingredientes: Massa 4 ovos 3 colheres de sopa de Óleo de Coco 4 colheres de sopa de Adoçante Culinária Lowçucar1 xícara de leite morno1 xícara de farinha de arroz1 colher de chá de extrato de baunilha 1 colher de sopa de fermento em pó (rasa)1 xícara de leite de coco diluído em mais 1/2 xícara de leite para umedecer o bolo.50g de coco ralado sem açúcar. 

Modo de preparo: Massa Pré aqueça o forno a 180⁰.Bata as claras até ponto de neve e reserve.Na batedeira, adicione as gemas, o adoçante, o óleo de coco e bata até formar um creme claro, em seguida, adicione o leite, a baunilha, a farinha de arroz e bata para misturar os ingredientes. Finalize colocando as claras em neve e o fermento. Unte uma forma e asse até o palito sair limpo. 

Ingredientes: Creme500ml de leite 1 colher de sopa bem cheia de amido de milho 3 colheres de sopa de Adoçante Culinária LowçucarMetade do abacaxi picado com calda que se formou no cozimento.1/2 caixa de creme de leite

 Modo de Preparo: Creme

No liquidificador coloque o leite, o amido, metade do abacaxi cozido o adoçante e bata. Em seguida leve para o fogo mexendo sem parar, assim que ferver deixe cozinhar por um minuto, desligue o fogo e misture o creme de leite..Montagem:Molhe o bolo com a mistura de leite de coco com leite, em seguida cubra o bolo com o creme, adicione o restante do abacaxi cozido e finalize com coco ralado. 

Dica Especial: Sirva bem gelado.

Café da manhã com a Professora Maria Ribeiro do Valle

Profª Dra. Maria Ribeiro do Valle é coordenadora geral do CEDEM Centro de Documentação e Memória da UNESP – Universidade Estadual Paulista Livre-docente em Sociologia das Revoluções, Universidade Estadual Paulista FCLAR UNESP (Unesp/2017)./ Pós-Doutorado, Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP/2009) /Doutora em Educação, Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP/2002) /Mestre em Educação, Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP/1997) / Graduação em História, Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Guaxupe (FFCLG/1993). /Graduação em Ciências Sociais, Universidade de São Paulo (USP/1990).

Dia do Profissional de RH

A data remete à fundação da Federação Mundial de Associações de Gestão de Pessoas, criada em 3 de junho de 1976. No Brasil, a consolidação do dia veio após o reconhecimento dos profissionais de recursos humanos por Genézio Lucone, fundador da Associação Paulista de Administração Pessoal, que hoje é a Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH).

O profissionais de Recursos Humanos, que têm como função alinhar e conscientizar os funcionários em torno dos objetivos da empresa e, ao mesmo tempo, deixá-los motivados e qualificados para encarar os desafios do mercado e de suas próprias carreiras.

O profissional de Recursos Humanos sempre visa a humanização da organização em que trabalha, procurando motivar, treinar e qualificar os colaboradores, desenvolvendo equipes autossuficientes, incentivando os colaboradores e promovendo sua satisfação no trabalho, contribuindo assim para o desenvolvimento e crescimento das organizações.

Coletivo de jovens artistas da periferia de Fortaleza cria peça de teatro para ser veiculada em rede social

O Coletivo Inflamável, grupo de artistas de Fortaleza, desde o começo da pandemia mundial têm criado conteúdo virtual com a finalidade de contribuir no alivio possível para a população cearense atravessas esse período. O novo trabalho, intitulado À Deriva Na América do Sul, foi concebido para ser exibido no Instagram, uma rede social popular entre os cearenses.

Com texto coletivo, e trechos de Fernando Pessoa e Sófocles, o trabalho é um experimento cênico virtual que narra à trajetória da tripulação de um barco pesqueiro que, após uma grande tempestade em alto mar, fica à deriva no oceano das incertezas. O capitão, ao que parece, não faz a menor ideia de como leva-los de volta à terra firme. A situação gera desavenças de personalidades, o desespero e o individualismo.  A incapacidade de articular as divergências alimenta a inação da população do barco, contribuindo para a manutenção da inércia de um povo que não sabe mais se um dia chegará. E onde poderia chegar?

Serviço:

Dias 04 e 05 de Junho. Às 19h, no instagram @coletivoinflamavel

Ficha Técnica:

Direção: Ítalo Saldanha

Elenco: Aurianderson Amaro, Brena Canto, Kelly Enne Saldanha, Lu Sales e Naldo de Freitas

Adereços: Naldo de Freitas

Arte Visual: Brena Canto

Figurino, iluminação e cenografia: Coletivo Inflamável

Preparação corporal: Aurianderson Amaro.

Apoio: Maria Vitória e Victor Rodrigues

FOLHADINHOS DE SARDINHA COM LIMÃO

Gomes da Costa/Divulgação

Preparo: 55 min.

Rendimento: 20 porções

Ingredientes

1 lata de Sardinha com Limão Gomes da Costa

Meio pacote de massa folhada laminada, descongelada (150g)

Gema para pincelar

 
Modo de Preparo

Com o auxilio de um garfo, amasse a Sardinhas Gomes com o molho de limão, de maneira a formar uma pasta.

Desenrole-a, para obter um retângulo com cerca de 12,5x40cm.

Corte a massa ao meio no sentido do comprimento, formando 2 tiras de cerca

de 6,5cm x 40cm.

Distribua no centro de cada tira de massa metade da pasta de sardinha (faça

uma fileira com a pasta no meio da tira).

Feche a massa dobrando-a sobre o recheio. Não é necessário enrolar a

massa, basta uni-las.

Corte cada tira recheada em 10 pedaços (cerca de 2,5cm cada). Proceda da

mesma forma com toda a massa.

Distribua os folhadinhos numa assadeira (deixando um pequeno espaço entre

eles).

Cubra a assadeira com papel alumínio e leve ao congelador ou freezer por

cerca de 20 minutos.

Retire o papel alumínio, pincele a gema pela superfície da massa e leve ao

forno preaquecido (180ºC), por cerca de 15 minutos ou até folhar e dourar.

Sirva morno ou frio.

Tempo de Congelador/Freezer: 20 minutos

 
Dica do Chef

Você pode deixar os folhadinhos prontos no freezer/congelador e assar no

momento em que for consumir.

 
Variação

Salpique castanha de caju picada sobre a gema.