NOTA DE APOIO À UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA


2_logo_fnu__Copy_.png
A FNU – Federação Nacional dos Urbanitários – e a CNU – Confederação Nacional dos Urbanitários – vêm declarar seu repúdio a mais uma tentativa vil de censura do atual governo golpista de Michel Temer.

Seu ministro da Educação, Mendonça Filho, conforme noticiou a imprensa, vai solicitar a diversos órgãos de controle que analisem a “legalidade” do curso oferecido pela Universidade de Brasília sobre “o golpe de 2016 e o futuro do Brasil”.

Trata-se de mais um absurdo entre tantos cometidos pelo atual governo. Mais uma vez, Temer e Mendonça Filho tentam ferir o princípio constitucional do pluralismo de ideias.

Essa tentativa de ocultar um período da História brasileira nada mais é do que o cerceamento da liberdade de aprender, ensinar, pesquisar e divulgar o pensamento e o saber.

O governo golpista considera válidos apenas os conteúdos que o mantêm no poder, apenas aqueles que não representam uma visão crítica.

Consideramos essa decisão uma afronta à concepção pedagógica, um atentado à História, um retrocesso no campo da Educação e dos Direitos Humanos e uma estratégia que, na verdade, efetiva o golpe – tema do curso.

Apoiamos uma Educação democrática, plural e libertadora. E, citando o grande mestre Paulo Freire: “Não é no silêncio que os homens se fazem, mas na palavra, no trabalho, na ação-reflexão”.

Pedro Tabajara Blois Rosário
Presidente da FNU – Federação Nacional dos Urbanitários

Paulo de Tarso Guedes de Brito Costa
Presidente da CNU – Confederação Nacional dos Urbanitários

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s