Fonte de Artes do Morro do Querosene

Imagem inline 1

 

28, 29 e 30 de agosto de 2015 – na Travessa da Fonte (Butantã, São Paulo)

Artistas encontram outros artistas, mostram suas obras, sentem o contato com seu público. A comunidade se reconhece, vivencia o movimento, interage com as várias manifestações artísticas, troca experiências e dança a dança que traz saúde. São cores, cheiros e sons que alimentam nossa alma, fortalecem os laços de amizade, a compreensão da realidade e nossa vontade de viver.

Morro do Querosene, herança da Villa Pirayuçara, milenar ponto de convergência de caminhos que cruzavam a América do Sul, o Peabiru. Hoje propomos este encontro onde tantos já se encontraram, tocaram e cantaram no passado. E isto acontecia, neste lugar, por causa da água de beber. E agora, nos encontraremos pela causa da Água e pela criação do Parque da Fonte.

O Morro do Querosene e o Parque da Fonte do Peabiru

Tudo começou devido à efervescência artística dos moradores do Morro do Querosene, um bairro tranquilo da zona oeste de São Paulo. São pintores, poetas, músicos, dançarinos, atores, bonequeiros, ceramistas e cineastas que se misturam aos que não se denominam artistas, se encontram pelas ruas, se comprimentam, trocam ideias, fazem projetos e gostam de brincar de boi, jogar capoeira, tocar berimbau e dançar ciranda. Estas ruas guardam uma história incrível: integravam o milenar caminho do Peabiru. E na Vila Pirajuçara, nome oficial deste bairro, ainda podemos encontrar a Bica e a Fonte, parada obrigatoria dos viajantes que por ali passavam.

A Fonte, e mais duas outras nascentes, numa reserva muito degradada de Mata Atlântica, com cerca de 40.000 m2, jorram e formam um córrego de águas límpidas que atualmente deságua num bueiro de águas pluviais descuidadas.

Há 15 anos a comunidade do Morro do Querosene luta pela preservação desta área e criação do Parque da Fonte. Em 2003 conseguimos, nas reuniões do Plano Diretor da Cidade, que a Chácara da Fonte fosse considerada ZEPEC (Zona Especial de Preservação Cultural); em 2011, conseguimos o DUP – decreto de utilidade pública para fins da criação do Parque; em 2012, o CONPRESP deliberou o Tombamento da Área como patrimônio ambiental, histórico e cultural; e, em 2014, a Revisão do Plano Diretor registrou esta área como ZPAM (Zona de Proteção Ambiental). Todas estas ações limitam o espaço construtivo e o tipo de construção e assim, o valor de compra e venda caiu bastante. O Processo Administrativo para Desapropriação desta área (compra da área pela Prefeitura) está em fase final. Este momento é decisivo para que consigamos nosso tão sonhado Parque da Fonte do Peabiru!

O Festival

No dia 28 de agosto, sexta-feira, um cortejo percorrerá as ruas do bairro pedindo licença, convidando e semeando clima de paz e alegria na vizinhança. Após este cortejo, já na Rua da Fonte, uma Roda de Conversa com o tema “ÁGUA & CULTURA”.

Para esta Roda de Conversa são convidados especiais:

– os secretários de estado e do município do Meio Ambiente e da Cultura

– a Sub-Prefeita Maria Rosa, do Butantã

– o historiador Júlio Abe Wakahara e Laura Capriglione, Jornalista Livre.

– o etno-musicólogo Eric Galm e o pesquisador de culturas populares Paulo Dias (Espaço Cachuera)

– o deputado federal Carlos Zarattini e o vereador Toninho Vespoli

– Luiz Campos e José Bueno, do coletivo Rios & Ruas, e Cachoeira, do Y-Butantã

– Hamilton Faria do Instituto Polis e Alessandro Azevedo pelos Pontos de Cultura da Lei Cultura Viva.

Nos dias 29 e 30 de agosto, a partir das 10h30, shows musicais, grafites, brincadeiras, poesia, danças, capoeira, oficinas e jongo.

Na programação:

– os músicos: Planta & Raiz, Barbatuques, Dinho Nascimento, Isca de Polícia, Peixelétrico, Tião Carvalho, Orquestra de Berimbaus do Morro do Querosene, Gaspar Rapsicordélico, Toninho Carrasqueira, Vitor da Trindade, Manos Urbanos, Ambulantes, Henrique Menezes, Marquinho Mendonça, Veja Luz e Lumumba, Marcos da Feira e o Terno Colorido, Filhas da Floresta, Edsão Mozum, Adler São Luiz, Gabriel Nascimento, Ideologia Fatal e Cabaret Três Vinténs.

– os poetas: Nicanor Jacinto, Maloqueiristas, Paulo Almeida, Cláudio Laureate, Tula Pilar, Hugo Paz, Zinho Trindade, Hamilton Faria e Mc Banks Back Spin

– os djs High Public e Bruninho

– os dançarinos: Treme Terra, Grupo Cupuaçu, Beija Fulô e Mara Moreira.

– Roda de Capoeira com os mestres Brasília, Meinha, Gladson, Kenura e Dofona

– Jongo com mestre Totonho do Tamandaré; Samba-de-Roda com Mestre Ananias e Garoa do Recôncavo

– grafitando e restaurando velhos grafites, Júlio Djcsar, Cipriano Souza, D’Ollynda Brasil e Wish.

– fazendo oficinas de cinema, bordados, pipas e sucos : Edu Abad, Mariana Acioli, Piparia e Alice Ramos.

– e barracas culturais divulgando os coletivos e seus movimentos.

Local de fácil acesso, servido por várias linhas de ônibus, próximo à Estação Butantã do Metrô.

Acessibilidade adequada para idosos e portadores de deficiência física.

Serviço:

FAMQ – Fonte de Artes do Morro do Querosene

Quando: dia 28, a partir das 17h, 29 e 30 de agosto, a partir das 10h30.

Onde: Travessa da Fonte e Rua Padre Justino (altura do nº 500 da Av. Corifeu de Az. Marques – Próx. Estação Butantã do Metrô) – Vila Pirajussara (Morro do Querosene), Butantã

Quanto: Gratuito

Classificação: Livre

Contato: www.facebook.com/pages/FAMQ/983960728282878

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.